Arquivo

Archive for agosto \31\UTC 2009

Portugal:Aumenta número de solicitações de exames para H1N1

31 de agosto de 2009 Comentários desligados

O número de solicitações de exames para H1N1 aumentou em portugal nesta última semana segundo o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, onde se faz grande parte dos exames para detectar o vírus. De tal forma, que muitos resultados estão demorando cerca  de 72 horas.

Vale lembrar que Portugal encontra-se neste momento no Verão e espera-se que o pico da epidemia ocorra no outono/inverno Europeu.

A PULMÃO S.A. enviou editoriais informativos à FERLAP- Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais, para alertar e sobretudo informar aos pais e escolares além de funcionários das escolas e professores.

Hoje(31/08/2009) o Centro de Vigilância e Controle de Doenças da Europa publicou em seu último boletim que todos os 27 países europeus já reportaram casos de H1N1,num total de 46016 casos confirmados,com registro de 104 óbitos.Nas últimas 24 horas houve confirmação de 343 novos casos, sendo a maioria destes diagnosticos (311), provenientes da Alemanha.

Portugal não registra até este momento nenhum caso de óbito.

Abaixo o mapa com registros de casos fatais por H1N1 na Europa até a data de hoje(31/08).Clique no Mapa abaixo para observá-lo em detalhes:

Casos Fatais de H1N1 na Europa até 31/08/2009

Casos Fatais de H1N1 na Europa até 31/08/2009

Abaixo o mapa do número de óbitos  Global até 31/08/2009. Clique no Mapa abaixo para observá-lo em detalhes:

Número de óbitos por H1N1 no mundo

Número de óbitos por H1N1 no mundo

ENGLISH VERSION:

All 27 EU and 4 EFTA countries are reporting cases of pandemic (H1N1) 2009 influenza. A total of 46 016 confirmed cases, including 104 deaths, have been reported since April 2009 (Table 1). In the past 24 hours, 343 new cases from the EU and EFTA countries were confirmed.Currently, the majority of cases (311), have been reported from Germany.

Portugal has no register of death up to this moment. THE PULMÃO S.A. has sent some Editorials to FERLAP- Lisbon’s Parents Association, in order to colaborate with Information about prevention of Swine flu and with  the Public Health in Portugal, Spain and other countries all over the world.

Fontes/Sources:

PULMÃO S.A. -Sua Atmosfera,Sua Vida!

ECDC-Europe

Anúncios

PULMÃO S.A. Divulga Vídeos da Turma Da Mônica contra gripe Suína-Vídeos de los niños acerca de la gripe porcina

30 de agosto de 2009 Comentários desligados

A PULMÃO S.A. cumprindo com sua missão em orientar a respeito da gripe suína e contribuir com a salvaguarda da saúde pública nos países de língua portuguesa, divulga o clips da Turma da Mônica abaixo:

¿Cómo prevenir la gripe porcina en español:


Categorias:Crianças/ Children, H1N1, Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

PULMÃO S.A Envia Editoriais para FERLAP em Portugal

30 de agosto de 2009 Comentários desligados

A PULMÃO S.A. enviou a FERLAP- Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais artigos e editoriais publicados como orientação para escolas e empresas de autoria do editor do site Dr. Marcos Nascimento,que inclusive serviram como base de orientação e logística para algumas instituições em Curitiba-Paraná-Brasil.

A Pandemia da nova gripe A/H1N1 continua sendo uma preocupação da PULMÃO S.A e acreditamos estarmos cumprindo nosso objetivo e missão de contribuir através da publicação de informações para salvaguardar a Saúde Pública no Brasil e no mundo.

PULMÃO S.A. alerta para que medidas de prevenção contra gripe H1N1 sejam mantidas

29 de agosto de 2009 Comentários desligados

A PULMÃO S.A. adverte para que se mantenha a vigilância contra a gripe Suína /H1N1, pois apesar de ter ocorrido decréscimo no número de atendimentos e mesmo no de internações nos estados do sul do Brasil,particularmente no Paraná e no Rio Grande do sul, alertamos que os procedimentos de higiene devem ser mantidos.

Preocupamo-nos com todos,mas em particular com as crianças,uma vez que estas são capazes de transmitir o vírus por 12-14 dias e portanto tem potencialidade para retroalimentar a epidemia.

Houve um recrudescimento da epidemia devido a dois fatores:

1.A interrupção das aulas,medida que se revelou acertada e uma excelente ferramenta de proteção da saúde pública;

2.Melhor distribuição do antiviral oseltamivir,aliada ao uso em até 48 horas do medicamento,ponto este crucial, e defendido desde o início desta epidemia pelo nosso consultor Dr. Marcos Nascimento, e adotado de maneira correta e de forma pioneira pelo Hospital São Vicente de Paulo,em Passo Fundo-RS, ato que levou a chamada “flexibilização do protocolo inicial” do Ministério da Saúde.

No que tange a situação atual,segundo a Secretaria de Estado da Saúde do Estado do Paraná, o Paraná teve até 26 de agosto, 3.073 casos confirmados com 170 óbitos. No Brasil os casos confirmados de paciente com Síndrome Respiratória Aguda Grave, que evoluíram ao óbito até dia 22/08/09 são de 557 ( dados do Ministério da Saúde).

O Registro do total de óbitos no Brasil(570), e em oito estados da federação, até 28/08/2009,segundo as Secretarias de Saúde Estaduais são:São Paulo(223),Paraná(178),Rio Grande do Sul(99),Rio de Janeiro(56),Santa Catarina(20), e Minas gerais(14).

Alertamos que no Hemisfério Norte, mesmo estando no verão, os casos de gripe suína continuam ocorrendo e número acima do esperado para esta época do ano, um sinal de alerta que denota uma “adaptação” deste novo vírus influenza H1N1 em comparação com o influenza sazonal(vírus da gripe comum).

Das dez regiões monitoradas nos Estados Unidos pelo Centro de Doenças e Controle(CDC-Atlanta), observa-se que o nível de atividade do influenza está estável ou diminuiu em nove regiões,mas na região IV(sudeste ),compreendida pelos estados do Alabama,Florida, Georgia,South Carolina,North Carolina e Tenessee e Montana.

Um outro dado é que na semana 33( de 16/08 a 22/08), houve  4.477  casos em que se realizou teste diagnóstico,nos Estados Unidos, 804(18%), deram positivos para influenza.E destes, 71%  rgistrou positividade  para o novo H1N1.

Em Curitiba-PR, dos positivos para influenza,82%  registrou positividade para o H1N1 e 18% para o vírus influenza sazonal.

Por isso,chamamos a atenção para que não se “abaixe a guarda” contra este novo Vírus H1N1,devendo haver resguardo também para TODO PROFISSIONAL pertencente a equipes de saúde,desde  recepcionistas a enfermeiros,fisioterapeutas,Nutricionistas,dentistas e Médicos.Estes deveriam estar vacinados contra a influenza sazonal e com a vacina anti-pneumocócica em dia (Pneumo 23), por determinação do CDC -USA, recomendação esta, que a PULMÃO S.A. apóia.

Abaixo gráfico do CDC com os testes positivos relatados pelo CDC:

TESTES POSITIVOS DE INFLUENZA RELATADOS PELO CDC 2008-2009

TESTES POSITIVOS DE INFLUENZA RELATADOS PELO CDC 2008-2009

FONTES:

PULMÃO S.A.- Sua Atmosfera, Sua Vida!

CDC Atlanta-USA;

SESA dos respectivos Estados da Federação-Brasil.

PULMÃO S.A. Comemora o Dia Nacional de Combate ao Fumo (29 de agosto)

28 de agosto de 2009 Comentários desligados

O dia 29 de Agosto é o dia Nacional  de combate ao fumo.Mais do que uma data festiva, a organização Mundial de Saúde(OMS), quer lembrar que o tabagismo é uma doença crônica gerada pela depêndência da Nicotina e deve ser tratada.Alguns números relevantes são os que se seguem abaixo:

45% das mortes por doença coronariana,como infarto do miocárdio;

85% das mortes por Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica(DPOC),como o enfisema pulmonar e a bronquite crônica;

25% das mortes por doenças cérebro-vascular,como os acidentes vasculares cerebrais,”os derrames.”

30 % das mortes por câncer,sendo 90% dos cânceres de pulmão, e mais de 90 % dos cânceres de cabeça e pescoço ocorrem em fumantes.

Este  é o maior problema de saúde pública mundial,segundo a Organização Mundial da Saúde(OMS).

A Nicotina é uma dependência quimica,por excelência.Isto cria a dificuldade das pessoas abandonarem o tabagismo.

Há portanto a necessidade de se criar medidas de esforço para que as pessoas se apercebam do risco,através de esclarecimentos via campanhas e via criação de leis para a proteção da saúde pública,como as leis recentemente sancionadas pelo Estado de São Paulo,Estado do Rio de Janeiro e a cidade de Curitiba no Paraná.

Mas há a necesidade de que se ofereça tratamento para os dependentes de derivados de tabaco/nicotina.

O tratamento é indicado para todas as pessoas que já tentaram parar de fumar e não conseguiram, ou que apresentem uma doença e ainda assim não querem deixar o vício. Essas situações demonstram que a pessoa tem um alto grau de dependência à nicotina e certamente vai precisar buscar ajuda.E a universalização destes tratamentos deve, na opinião da PULMÃO S.A. ser o próximo passo na contenção e diminuição desta pandepidemia, atuando como mais uma medida de salvaguarda da saúde pública.

É curioso ver preocupação por parte das pessoas com a qualidade de vida, em relação ao envelhecimento ou com  a saúde, mas paralelamente a isto, estão fumando…e o cigarro é justamente o principal fator do envelhecimento precoce e causador de doenças como as enumeradas acima.

Lutando contra o vício

Com a ajuda especializada, são empregadas estratégias que tornam mais fácil o tratamento, além do uso de medicamentos. Toda tentativa de parar de fumar deve vir precedida de uma decisão e um desejo. Se a pessoa não está interessada e busca o o tratamento apenas porque foi indicado por um médico ou por insistência da família, é feito um trabalho de motivação para que ela tenha determinação.

Depois, é necessário marcar a data do primeiro dia sem fumar. Na véspera, é importante se livrar de todos os objetos que lembrem o tabaco. Jogar fora cinzeiros, isqueiros e maços de cigarro. Esta passo é fundamental para que o indivíduo comece a construir no seu inconsciente a figura de uma nova pessoa, um não-fumante, com um comportamento diferente.Embuir-se de responsabilidade consigo mesmo.Afinal antes de mais nada a pessoa precisa mudar o paradigma, e precisa estar decidida e conciente de que o cigarro faz mal, e  querer se cuidar.

Alguns sintomas da síndrome de abstinência sempre surgem quando um paciente tenta abandonar uma droga. Esses podem ser minimizados com ações simples. A primeira delas é ocupar a boca. O fumante leva a mão a boca inúmeras vezes o dia inteiro. Uma orientação é que a pessoa beba líquidos,preferencialmente água ou mastigue cenouras em tiras diversas vezes.

Vida Mais Saudável

Uma das grandes preocupações é o risco de engordar,preocupação de todos os pacientes em tratamento para parar de fumar,sobretudo das mulheres.

Mas vale a pena explicar e esclarecer para o paciente que o cigarro é responsável,via ação vasoconstritiva da nicotina,pela minora o paladar e a fome,funcionando como anorexígeno.Quando a pessoa para de fumar, ela recupera o paladar e passa a ter mais apetite e pode comer mais.Entretanto, se a pesoa for bem orientada durante o tratamento e controlar a dieta ou ter os mesmos hábitos alimentares associado a exercícios,ela não engordará e terá uma vida muito mais saudável.

Praticar atividades físicas também é importante, pois ajuda a produzir um conjunto de substâncias chamadas endorfinas, que aliviam a ansiedade. Além disso, atividade física aumenta o gasto de energia, o que reduz o risco de ganho de peso quando deixa de fumar.

Durante o acompanhamento profissional também são ensinadas técnicas para se evitar recaídas. É importante que o paciente reconheça os fatores de risco, situações que significam grande vontade de fumar, como momentos de estresse agudo, ociosidade,hábitos condicionados como tomar um cafezinho. Outra coisa é evitar bebidas alcoólicas, porque o álcool reduz o juízo crítico e evitar bebidas ácidas ou com ph ácidos(bebidas gasosas),especialmente durante o tratamento.

Além da intervenção comportamental, os médicos hoje possuem um arsenal terapêutico para complementar o tratamento. São repositores de nicotina em forma de adesivos, gomas de mascar ou pastilhas, medicamentos que diminuem os sintomas de abstinência ( Bupropiona) e que agem nos neurotransmissores onde a nicotina atua,como a vareniclina. Com a evolução dos medicamentos, aumentou e muito a possibilidade de sucesso,pois ajudam os fumantes a interromperem e se absterem do hábito de fumar.

Mas vamos comemorar mais uma vez ! Hoje é dia de festa para as associações médicas como a de Pneumologia, Pediatria e a de Cardiologia,mas é uma vitória de todos os profissionais de saúde envolvidos nesta causa.

Nós da PULMÃO S.A.,tal qual propagamos em nosso slogan, saudamos estas datas como uma medida exemplar para a proteção da SUA ATMOSFERA ,SUA VIDA.

Conheça a programação do Dia Nacional de Combate ao Fumo acessando www.inca.gov.br/tabagismo.

FONTES:

PULMÃO S.A – Sua Atmosfera,Sua vida!

INCa- Institito Nacional de Câncer;

Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo;

OMS- Organização Mundial de Saúde;

Vídeo sobre DPOC: Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica

28 de agosto de 2009 Comentários desligados

Temos uma  grande preocupação: esclarecer sobre os riscos que os tabagistas  estão correndo e contribuir para que através da educação, venha a percepção não apenas dos malefícios provocados pelo tabaco e seus derivados, mas evidenciar que é possivel abandonar o cigarro e evitar suas consequências, como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica,  a DPOC. Deve-se lembrar que o melhor tratamento para o DPOC é PARAR DE FUMAR.

Há várias estratégias de tratamento para o DPOC, variando desde o Tratamento Medicamentoso,tomado como decisão, a partir dos critérios de Fargeström,passando pela abordagem psico-psiquiátrica.

Afim de Ilustrar o que acontece com os pulmões quando se fuma, e como se dá o desenvolvimemto da DPOC, colocamos abaixo um vídeo ilustrativo em inglês:

O Narrador do vídeo comenta:

“-Durante a respiração normal o ar passa através do nariz e ganha a traquéia. Emseguida, chega  a via aéreas inferiores e    na sequência aos bronquios menores.Os bronquios se dividem em bronquíolos e finalmente se abrem em uma estrutura em forma de pequenos sáculos, os alvéolos.Os avéolos constitem as estruras fundamentais dos pulmões, o local onde o oxigênio encontra os capilares sanguíneos e são transportados pelas hemáceas até os tecidos,tal qual o gás carbônico, num acontecimento inverso, difunde-se da hemácea para os alvéolos.Este fenômeno é chamado ventilação-perfusão.

Na Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica(DPOC),que constitui um grupo de duas doenças em que o fluxo aéreo tem sua saída dificulltada pela obstrução provocada pela BRONQUITE CRÔNICA, e sua capacidade de troca gasosa comprometida pela destrução dos alvéolos no que se convencionou chamar de ENFISEMA pulmonar.

Conforme o pulmão tem sua pressão interna aumentada, os alvéolos rompem-se formando coalescencias ou bolhas de ar aprisionado, oque caracteriza o ENFISEMA.

A BRONQUITE é a inflamação dos bronquios.A BRONQUITE CRÔNICA resulta das persistentes inflamações que limitam a luz bronquica(diâmetro bronquico), e diminui o fluxo aéreo.

DPOC é causado por :

TABACO;

ASMA

EXPOSIÇÂO A POLUENTES TANTO EM CASA COMO NOS AMBIENTES DE TRABALHO;

FATORES GENÉTICOS;

INFECÇÔES RESPIRATÓRIAS.

Veja também:

Vídeo sobre DPOC:DPO.. o que? – COPD Video: COPD… What?

Categorias:Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

DPOC: Reabilitação Pulmonar

28 de agosto de 2009 Comentários desligados

Em nossos últimos artigos publicados sobre Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), temos abordado tratamentos envolvendo medicações inalatórias. Hoje, trataremos sobre uma das medida essencial e de grande valor terapêutico: a reabilitação pulmonar.

Segundo dados da literatura, a gravidade do DPOC pode ter como um dos principais parâmetros a intolerância as atividades físicas que uma pessoa desenvolve em seu cotidiano. Em determinados casos, doenças classificadas como moderadas pela prova de função pulmonar (=espirometria) podem  refletir grande intolerância aos esforços independentemente da classificação espirométrica.

O DPOC, além das manifestações respiratórias, tem também como uma de suas principais características  a fadiga muscular devido ao metabolismo alterado das células musculares. As mesmas permanecem em um estado inflamatório persistente com limiar de catabolismo aeróbico reduzido isto é, diferentemente de uma pessoa saudável, elas não toleram exercícios repetitivos como caminhar.

Ao invés de realizarem seu metabolismo usando só o  oxigênio(O2) usualmente no metabolismo aeróbio,não conseguem pelo simples fato deste estar pelo acomentimento da patologia escasso, visto que são portadores de doença pulmonar obstrutiva.

Acabam por utilizar outras formas de substrato,via metabolismo anaeróbio, e produzir ácido lático em excesso levando os pacientes a um fadiga muscular precoce, ocasionando uma disfunção muscular.

REABILITAÇÃO PULMONAR X DISFUNÇÃO MUSCULAR

A reabilitação pulmonar serve  justamente para compensar esta disfunção muscular atuando de 2 modos: o primeiro é alterando a bioquímica muscular tornando a musculatura de todo o corpo mais resistente as atividades físicas. Em consequência, há redução da produção de ácido lático o que num segundo plano, conduz a uma redução da necessidade de maior ventilação pulmonar poupando os pulmões já doentes.

Outro grande benefício da reablitação é a mudança comportamental dos pacientes. Muitos acabam por apresentar comportamento depressivo e a sensação de dispnéia é persistente apesar de muitas vezes esta não ocorrer de fato. Aqueles que são submetidos a terapia, devido a ação do exercício, tornam-se mais dispostos e através de uma nova dinâmica respiratória adquirida no treinamento passam a efetivamente “sentir menos falta de ar” consciente ou inconscientemente durante suas atividades.

O critério de seleção para o programa é baseado na classificação do Global Initiative for Chronic Ostructive Lung Disease (G.O.L.D): e varia  de I a IV (I-Leve / II-moderada / III-Severa / IV – muito severa) – sendo normalmente indicado a partir da classe III.Todavia, como dito anteriormente, estágios iniciais também podem ser beneficiados.

As sessões normalmente são realizadas 3 vezes por semana com duração de 3 – 4 horas /dia por 6 a 12 semanas. Não são recomendadas para aqueles pacientes com doenças neurólogicas incapacitantes associadas ao DPOC. A musculatura de todo o corpo é trabalhada e não somente grandes grupos musculares. Suporte com oxigênio durante as atividades muitas vezes são benéficos. A equipe é multidisciplinar sendo o coordenador um médico pneumologista acompanhado por fisioterapeuta, enfermemeiro, psicólogo e nutricionista.

Contra-indicações absolutas não existem, cuidados são tomados em relação a eventos cardiovasculares pois sabe-se que pacientes pneumopatas e tabagistas de longa data são mais sujeitos a eventos agudos como Infarto Agudo do Miocárdio. Outra consideração importante é o fato do benefício não se prolongar em definitivo sendo necessária a manutenção das atividades físicas em casa ou mesmo nos centros de reablitação.

Fontes:

1  – Global Initiative for Chronic Ostructive Lung Disease (G.O.L.D);

2 – NEJM Pulmonary Rehabilitation for Management os COPD 2009;360:1329-35;

3 –  Fishman´s Pulmonary Disease and Disorders.

%d blogueiros gostam disto: