Início > Pare de Fumar / Quit, Principal > Fumar durante a Gravidez = “Fogo Amigo !” -Tobacco Use and Pregnancy:Friendly Fire !

Fumar durante a Gravidez = “Fogo Amigo !” -Tobacco Use and Pregnancy:Friendly Fire !

6 de novembro de 2009

Tobacco Use & Pregnant woman = Friendly Fire!

Fumar durante a Gravidez: Fogo amigo!?

Há uma expressão utilizada geralmente em guerras ou conflitos armados como a segunda guerra mundial ou mesmo conflitos mais recentes como o do Iraque ou o do Paquistão,ou mesmo em Fort Hood no Texas, que significa ser atingindo por arma de fogo não do inimigo,mas proveniente dos seus próprios companheiros de farda que se chama “Fogo Amigo.”

Fazendo uma análise sobre o ato de fumar durante a gestação,lembrei-me desta “triste expressão” que explica exatamente o que acontece com uma criança exposta diretamente pelo fumo durante o período gestacional e mesmo após, caso a mãe continue fumando, através do fumo passivo ou de segunda mão.

O que sabemos sobre o uso do tabaco durante a gravidez?

Fumar durante a gestação:

Conclusivamente as mulheres que param de fumar antes ou no início da gravidez  conseguem reduzir significativamente o risco para vários resultados adversos.Em comparação com mulheres que não fumam vamos realizar comparações para que torne mais fácil a compreensão do risco:
– As mulheres que fumam antes da gravidez  têm duas vezes mais chance de sofrer atrasos na concepção e apresentam chances de aproximadamente 30%  de se tornar inférteis.
– Mulheres o que fumam durante a gravidez têm o risco de aborto duplicado, assim como risco de descolamento prematuro de placenta(DPP).

* Bebês recém nascidos cujas mães fumaram durante a gestação:

-Apresentam chance 30% maior de ter nascido prematuramente.
Possuem mais chances de nascer com baixo peso (menos de 2500 gramas ou £ 5,5), aumentando o risco com relação a doenças ou morte.
– Pesam uma média de 200 gramas, menos do que crianças nascidas de mulheres que não fumam.
Têm de  1,4  a 3 vezes maior probabilidade de morrer de Síndrome da Morte Súbita Infantil (SMSI).

A prevalência de tabagismo durante a gravidez nos Estados Unidos, segundo um relatório intitulado Gravidez de Risco: Avaliação e Monitoramento do Sistema (PRAMS),com dados de 26 estados  norte- americanos em 2004, nos alerta para os seguintes fatos:

* Cerca de 13% das mulheres relataram fumar durante os últimos três meses de gravidez.
*As mais jovens e menos escolarizadas, associadas as mulheres de etnia india americanas são mais susceptíveis ao fumo durante a gravidez, em comparação com os seus pares mais instruídos,portanto que possuem maior escolaridade.
* Das mulheres que fumaram durante os últimos três meses de gravidez, 52% afirmaram fumar 5 cigarros ou menos por dia, 27% relataram tabagismo de  6 a 10 cigarros por dia, e 21% relataram tabagismo com consumo de  11 ou mais cigarros por dia.

O fumo passivo
Exposição ao fumo passivo provoca a morte prematura e doenças em crianças e adultos que não fumam.

* Entre 1988 e 2002, os níveis de cotinina, um indicador biológico de exposição ao fumo do tabaco(metabólito do tabaco,dosado na urina dos fumantes), diminuiu cerca de 70% entre crianças e adultos não-fumantes. Apesar desta evolução positiva, em 2002, quase metade de todas as crianças e adultos não-fumantes ainda tinham níveis detectáveis de cotinina.
* As mulheres grávidas que estão expostas ao fumo passivo têm chances 20 por cento maiores de dar à luz a um bebê de baixo peso em comparação aquelas mulheres que não estão expostas ao fumo passivo durante a gravidez.
* Crianças estão em maior risco de serem expostas ao fumo passivo do que adultos.

Durante o período 1999 – 2002, quase 40 milhões de crianças, com idades entre 3-19 anos, ou cerca de 60% das crianças nessa faixa etária, foram expostas ao fumo passivo.

Bebês  que são expostos ao fumo passivo têm maior probabilidade de morrer de SMSI, em comparação com crianças não expostas.

As crianças estão expostas ao fumo passivo correm maior risco de bronquite, pneumonia, otite, asma mais severa, os sintomas respiratórios, e retardo no crescimento do pulmão.

Portanto, evite o uso da expressão “FOGO AMIGO.”

Pare de fumar! Procure o melhor para Você e para o seu bebê.Procure ajuda de um médico para o tratamento do tabagismo.Você se sentirá muito mais feliz por estar protegendo e resguardando duas vidas: A sua e a de seu filho!

Dr. Marcos Nascimento,Md.

Editor Chefe do site http://www.pulmaosa.com.br



FONTES:

PULMAOSA- Sua atmosfera, sua vida! ®

CDCUSA

ENGLISH

     

   “Tobacco Use and Pregnancy: Friendly Fire ! “

There is an expression commonly used in wars or armed conflicts as World War II or even more recent conflicts such as Iraq ,Pakistan,or at sadly Fort Hood shootings,in Texas, that means to be reaching for a firearm is not the enemy, but from their own comrades in uniform who is called “Friendly Fire.”

Doing an analysis on smoking during pregnancy, I was reminded of this “sad expression” that explains exactly what happens to a child being exposed directly by smoking during pregnancy and even after, if the mother continues smoking, through the smoke passive or second hand

What do we know about tobacco use and pregnancy?

Smoking during pregnancy
Women who quit smoking before or early in pregnancy significantly reduce the risk for several adverse outcomes.

  • Compared with women who do not smoke—
    • Women who smoke prior to pregnancy are about twice as likely to experience a delay in conception and have approximately 30% higher odds of being infertile.
    • Women who smoke during pregnancy are about twice as likely to experience premature rupture of membranes, placental abruption, and placenta previa during pregnancy.
  • Babies born to women who smoke during pregnancy—
    • Have about 30% higher odds of being born prematurely.
    • Are more likely to be born with low birth weight (less than 2500 grams or 5.5 pounds), increasing their risk for illness or death.
    • Weigh an average of 200 grams less than infants born to women who do not smoke.
    • Are 1.4 to 3.0 times more likely to die of Sudden Infant Death Syndrome (SIDS).

Prevalence of smoking during pregnancy
According to 2004 Pregnancy Risk Assessment and Monitoring System (PRAMS) data from 26 states—

  • Approximately 13% of women reported smoking during the last three months of pregnancy.
  • Younger, less educated, non-Hispanic, white women and American Indian women are more likely to smoke during pregnancy compared to their older, more educated, counterparts.
  • Of women who smoked during the last three months of pregnancy, 52% reported smoking 5 or less cigarettes per day, 27% reported smoking 6 to 10 cigarettes per day, and 21% reported smoking 11 or more cigarettes per day.

Secondhand smoke
Exposure to secondhand smoke causes premature death and disease in children and adults who do not smoke.

  • Between 1988 and 2002, cotinine levels, a biological indicator of tobacco smoke exposure, declined by approximately 70% among children and non-smoking adults. Despite this positive trend, in 2002 nearly half of all children and non-smoking adults still had detectable levels of cotinine.
Dr. Marcos Nascimento, Md.Chief Editor of the site http://www.pulmaosa.com.br
SOURCES:
%d blogueiros gostam disto: