Início > Principal > Gripe Suína/H1N1 no Brasil:Últimas Notícias Novembro 2009

Gripe Suína/H1N1 no Brasil:Últimas Notícias Novembro 2009

11 de novembro de 2009

Segundo boletim do ECDC– Centro de Prevenção de Doenças Europeu o Brasil registra até 10/11/2009 : 1.368 casos fatais de influenza H1N1.

Embora as notícias com relação a gripe suína tenham deixado de circular na       mídia nacional e regional, vem ocorrendo casos isolados nos países do hemisfério Sul,mesmo estando em plena primavera.O Ministerio de la Salud Argentina informa em seu último boletim de 6/11/2009, que o número de óbitos até a semana epidemiológica 43 (período entre 25-31 de outubr), atingiu o total de 600,estando a ocorrência de casos de síndrome gripal em decréscimo.

Segundo o ECDC houve 7  novos óbitos desde o último boletim Argentino.Na América do Sul, o Brasil e a Argentina têm o maior número absoluto de óbitos sendo seguidos pelo Peru com 184, e o Chile com 140.

No Brasil, o último informe do Ministério da Saúde é de 16/09/2009, e por este motivo iremos nos deter as fontes das Secretarias de Saúde Estaduais que continuam emitindo boletins de atualização epidemiológica com relação a gripe pandêmica H1N1 ou gripe suína.

A PULMÃO S.A. cumprindo com sua obrigação de manter seus leitores informados  publica o boletim informativo abaixo refletindo a situação epidemioçógica de alguns Estados da Federação:

Paraná

O Paraná até 09/11/2009,  registrou oficialmente 28.921 casos confirmados laboratorialmente de H1N1 pandêmico no Estado.O Numero oficial de óbitos é de 278.

Rio de Janeiro:

A Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil informa em 5/11/2009, que foram confirmados quatro novos óbitos de pacientes infectados pelo vírus da Gripe H1N1 no Estado. Todos os óbitos ocorreram durante o mês de agosto. São eles:

Paciente do sexo feminino, 37 anos, residente em Macaé. Tinha doença metabólica e faleceu em 28/08.
Paciente do sexo masculino, 23 anos, morador em Bom Jesus de Itabapoana. Faleceu em 24/08.
Paciente do sexo feminino, 27 anos, moradora em Conceição de Macabu. Faleceu em 20/08.
Paciente do sexo masculino, 59 anos, morador em Piraí. Faleceu em 24/08.

A Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil (Sesdec) informa que, até este momento, o Estado registrou 124 óbitos por H1N1 confirmados por exames laboratoriais.

Minas Gerais:

Último boletim informativo datado de 13 de outubro registra 691 casos confirmados laboratorialmente com 110 óbitos.

São Paulo:

Segundo o último Boletim de 8 de outubro, houve uma concentração de casos na região metropolitana de SãoPaulo.O número total de casos no Estado de São Paulo foi de  25.082, até 15 de setembro de 2009. Dentre estes, 13.651 (53%) atendiam à definição de Síndrome Respiratória Aguda Grave- SRAG; 7.460 (29%) à síndrome gripal; 961 (4%) estavam envolvidos em surtos institucionais e 3.492 (14%) não atendiam a nenhuma destas definições de caso e, portanto, não deveriam ter sido notificados no sistema.A figura abaixo observa-se a distribuição dos casos confirmados de influenza A/H1N1 segundo município de residência. Estado de São Paulo, até 15/09/2009:

SAO PAULO CASOS

Casos confirmados de H1N1 segundo município de residência

Fatores de Risco em São Paulo:

Os fatores de risco mais prevalentes para influenza A/H1N1 foram, em primeiro lugar, as doenças pulmonares (asma e pneumopatias= 25,8%), seguidos por mulheres gestantes no momento da infecção (17,7%), menores de 2 anos (14%) e tabagistas (10,1%). Para a influenza sazonal as doenças pulmonares também foram o fator de risco mais prevalente (asma e pneumopatias = 18,8%), seguidas do tabagismo (14,9%), gestação (13,1%) e os extremos de faixas etárias (<2 e e”60 anos) com 11,9%, respectivamente conforme gráfico abaixo:

FATOR DE RISCO SP

FATOR DE RISCO SP

Rio Grande do Sul:

Número de casos confirmados de gripe H1N1 pandêmico:1244, com  192 óbitos confirmados laboratorialmente.

Goiás:

Até o dia 28/10/09 foram notificados à Vigilância Epidemiológica Estadual 1.115 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave em decorrência da Influenza A (H1N1). Destes, 339 (30,4%) foram confirmados laboratorialmente sendo que 70 foram óbitos; 546 (48,96%) foram descartados e 230 (20,62%) suspeitos ainda estão em investigação pela VigilânciaEpidemiológica.

O número de municípios goianos com casos suspeitos aumentou de 57 para 58, incluindo os 45 óbitos em investigação (4 gestantes); o de casos confirmados de 57 para 60 e o de óbitos de 29 para 31 municípios.

Fontes:

PULMÃO SA- Sua Atmosfera sua Vida!

ECDC

Secretarias de Saúde do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Goiás;

Ministerio de la Salud Argentina

%d blogueiros gostam disto: