Arquivo

Archive for março \31\UTC 2010

Paraná registra 524 casos da nova gripe A/H1N1 e 7 óbitos- Parana records 524 new cases of influenza A/H1N1, and 7 deaths

31 de março de 2010 Comentários desligados

Paraná-Brasil- Parana State,Brazil

Paraná registra 524 casos da nova gripe A/H1N1 e 7 óbitos


A Secretaria de Saúde do Estado do Paraná informou em seu mais recente boletim epidemiológico, nesta segunda, 29 de março de 2010, a confirmação de 524 casos para gripe pandêmica H1N1,sendo 18 casos(3,24%), em gestantes.O número de óbitos permanece  inalterado (7), desde o último boletim.

A ocorrência no número de casos por regional de saúde se dá praticamente por todas as regionais de saúde, a exceção de União da vitória, Francisco Beltrão,Apucarana e Telêmaco Borba que não tiveram casos confirmados.

A ocorrência dos óbitos se deu na Região Metropolitana(1), Ponta Grossa (2), Pato Branco (1), Maringá (2) e Londrina (1).

A Distribuição dos óbitos por faixa etária até este momento não difere da do ano passado, concentrando-se no grupo de adultos jovens e crianças, reforçando a necessidade de vacinar os escolares, conforme Editorial da PULMÃO S.A

ÓBITOS POR Faixa Etária-PR - Deaths by Age Group-PR

ENGLISH


Parana records 524 new cases of influenza A/H1N1, and 7 deaths

The Health Department of Paraná State said in its latest epidemiological bulletin, on Monday, March 29, 2010, confirmation of 524 cases for pandemic influenza H1N1, with the number of deaths unchanged (7), since the last newsletter.
The occurrence in the number of cases by regional healthcare has by virtually all health regions, except for Union victory, Francisco Beltrão Apucarana Crestline and who had no confirmed cases.
The occurrence of the deaths occurred in the metropolitan area (1), And in the Cities of:

Ponta Grossa (2), Pato Branco (1), Maringá (2) and Londrina (1).
Distribution of deaths by age group so far is no different from last year, focusing on young adults and children, reinforcing the need to vaccinate schoolchildren, as the Editorial of PULMAOSA ( See Figure above)

SOURCES/FONTES:

SESA- Secretaria de Estado de Saúde do Paraná-Health Department of Paraná State;

PULMAOSA- Sua Atmosfera, Sua Vida!®

PULMAOSA- LUNGS, Your Atmosphere,Your Life!®



PULMAOSA ESCLARECE SOBRE VACINA ANTIINFLUENZA H1N1,GESTANTES E ADJUVANTES

27 de março de 2010 Comentários desligados

VACINA ANTIINFLUENZA VACCINE

VACINA ANTIINFLUENZA H1N1,GESTANTES E ADJUVANTES

A propósito do assunto envolvendo adjuvantes e vacina antiinfluenza H1N1,sobretudo após o enfoque dado a gestantes, A PULMÃO S.A. publica o questionário abaixo com perguntas e respostas:

1. O que são Adjuvantes de vacinas?

R:São substâncias que são adicionadas as vacinas para aumentar a resposta do sistema imune(sistema de defesa do organismo).1

2.Que estudos foram feitos em 2009 para as vacinas contra a gripe H1N1? Houve algum feito em mulheres grávidas?

R:Estudos para testar as vacinas contra a gripe H1N1 em crianças e adultos saudáveis e as mulheres grávidas estão em andamento nos Estados unidos.Há alguns resultados  de estudos já disponíveis que foram feitos em adultos não-gestantes e crianças.

Os resultados mostram que o sistema imunológico respondeu bem à vacina contra o H1N1.Em termos de segurança, os resultados foram muito semelhantes aos observados em estudos de vacina contra a gripe sazonal(comum).Estes estudos foram  conduzidos pelo Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (NIAID) e pelos fabricantes das vacinas.Para maiores detalhes veja: Relatórios sobre os estudos(em inglês) e

Estudo em gestante ( em andamento) com vacina antiinfluenza H1N1 sem adjuvante

3. Quais são os adjuvantes de vacinas licenciados nos Estados Unidos?

R:  Sais ou gel de alumínio são os adjuvantes de vacinas licenciados para uso nos Estados Unidos ( o alumínio é um dos metais mais comuns encontrados na natureza e está presente no ar, alimentos e água).

4.Qual a duração da proteção conferida pela vacina antiinfluenza?

R:Um ano. O vírus da gripe é capaz de mudar suas características com muita frequência e a cada ano é necessário o desenvolvimento de nova vacina sob orientação da OMS.

5. Nas vacinas antiinfluenza sazonal e anti H1N1 que foram aplicadas nos Estados Unidos, algum adjuvante fora utilizado?

R: Não, não foram utilizados adjuvantes em nenhuma vacina antiinfluenza sazonal tampouco na anti H1N1 pandêmico de 2009

6.A vacina contra a gripe H1N1 pode ser tomada a qualquer momento(em qualquer trimestre) durante a gravidez?

R:Ambas as vacinas antiinfluenza, tanto a contra a gripe sazonal e a anti H1N1 pandêmico são recomendadas para mulheres grávidas, em qualquer trimestre durante a gravidez.

7.Por que as gestantes devem tomar a vacina antiinfluenza sazonal e a anti H1N1?

R: A mulher gestante tem um risco maior para ter a gripe sazonal e segundo trabalhos publicados em jornais médicos tem um risco 13 vezes maior de ter complicações e de internação por gripe suína(H1N1), principalmente após a 20ª semana de gravidez,constituindo portanto, grave ameaça a mãe e ao seu bebê.A PULMAOSA adverte,com base em recomendação da literatura médica disponível, que as vacinas antiinfluenza são a melhor maneira de proteger a você e a sua família contra a gripe sazonal e também contra a gripe suína.

8. A vacina antiinfluenza protege 100% contra a gripe?

R: Não, as vacinas antiinfluenza começam a estimular o sistema imunológico a partir de 14 dias após sua tomada.Por volta de três meses após a tomada da vacina,há um nível de proteção em torno de 80 a 85%.

Portanto, pode-se ter gripe mesmo tendo tomado a vacina,porém esta gripe será mais leve e causará menos complicações,reduzindo em muito a chance de mortalidade.

9. Há vacinas com e sem adjuvantes? O que seria melhor para gestantes?

R: Sim, há de fato disponível no mercado vacinas com e sem adjuvantes.

Como os estudos realizados com gestantes foram realizados sem adjuvantes,e como não fora realizada aplicação nos Estados unidos de vacinas com adjuvantes,por uma questão de prudência, deve se preferir a vacina sem estes produtos para gestantes.

É preciso esclarecer, contudo que as vacinas com antiinfluenza com adjuvantes foram consideradas seguras para a população não gestante.

10. Em que situações a vacina antiinfluenza sazonal e a anti H1N1 não devem ser tomadas?

R: As vacinas antiinfluenza NÃO deverão ser tomadas:

  • Por pessoas com histórico de alergia severa a ovo,
  • Quando há alergia a vacina da gripe sazonal;
  • Quando há febre;
  • E por crianças com menos de seis meses de idade (A vacina não foi aprovada para este grupo).

REFERÊNCIAS:

(1). Davenport L. Regulatory considerations in vaccine design. In:Vaccine design: The subunit and adjuvant approach. Powell M, Newman M, editors. New York: Plenum Press; 1995.

(2). CDC-USA- Centers for Disease Control and Prevention guidelines;

(3) US. National Institute of Allergy and Infectious Diseases;

(4)USIH- United States Institutes of Health

(5)PULMÃO S.A. –Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

Siga-nos no TWITTER: http://twitter.com/PulmaoSA

Veja também:

Cronograma de Vacinação contra o H1N1

PULMÃO S.A. ALERTA: Gestantes têm 13 X mais chance de gripe suína grave

O que gestantes devem saber sobre gripe suína?

Risco de epidemia maior faz PULMÃO S.A. defender vacina para escolares

De Volta para o Futuro: Seus Avós tomaram Vacina da Gripe em 1958?

Gripe Suína/ H1N1:Guia para Escolas

Perfil Epidemiológico da Gripe H1N1 nos USA

ASMA:Principal Condição Associada a Internações por H1N1 nos USA

Miocardite em Crianças com Gripe H1N1

ENGLISH

FAQs ABOUT H1N1 influenza vaccine, PREGNANT WOMEN AND ADJUVANTS

The purpose of this article is to make clear the matter involving antiinfluenza vaccines’ adjuvant, especially after the emphasis given to pregnant women, The PULMAOSA publishes a FAQs with questions and answers below :

1. What are vaccines‘ adjuvants ?

A: These are substances that are added to vaccines to increase immune response system .1

2. What studies were done in 2009  about  H1N1 -vaccines ? Has there been some study done with pregnant women?

A: Studies to test vaccines against H1N1 influenza in healthy children, adults and pregnant women are currently underway in the United States.

There are some results of studies already available, which were made in adult non-pregnant women and children.
The results show that the immune system responded well to the vaccine H1N1. In terms of safety, the results were very similar to those observed in studies of vaccines against seasonal flu. These studies were conducted by the U.S.National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIAID) and by vaccines ‘industry. For more details see:

a.Reports about the studies (in English);

b.Study in pregnant women (in progress) with H1N1 influenza vaccine without adjuvant.


3. What are the vaccine adjuvants licensed in the United States?

A: Gel or salts of aluminum are vaccine adjuvants licensed for use in the United States (aluminum is one of the most common metals found in nature and is in the air, food and water).


4. How long will protection conferred by influenza vaccination?

A: One year. The flu virus can change its characteristics so often and each year it is necessary to develop new vaccine under the guidance of WHO (World Health Organization).


5. In seasonal vaccines and anti-influenza H1N1 that have been applied in the United States, some adjuvant was used?

A: No, any adjuvants were used  neither seasonal influenza vaccine nor in anti H1N1 pandemic vaccines in U.S.

6. The vaccine against H1N1 may be taken at any time (in any trimester) during pregnancy?

A: Antiinfluenza vaccines, both seasonal flu and also anti H1N1 pandemic vaccine are recommended for pregnant women in any trimester during pregnancy.

7. Why pregnant women should take the seasonal influenza vaccine and anti H1N1?

A: The pregnant women has a greater risk to have the seasonal flu and according studies published in medical journals, they have about 13 times more likely to have complications and hospitalization due to swine influenza/ H1N1, especially after the 20th week of pregnancy, thus constituting a serious threat for the mother and for her baby.

PULMAOSA warns, based on the recommendation of the medical literature available, that anti-influenza vaccines are the best way to protect you and your family from seasonal influenza and also against swine flu.

8. The influenza vaccine protects 100% against the flu?
A: No, the anti-influenza vaccines are beginning to stimulate the immune system from 14 days after shot. About three months after taking the vaccine, there is a level of protection around 80 to 85%.
So you can have flu even after taking the vaccine, but in this case, the flu will be lighter and will cause less complications, reducing the chance of mortality.

9. Vaccines are available with and without adjuvants? What would be better for pregnant women?

A: Yes, there are actually commercially available vaccines with and without adjuvants.
As studies in pregnant women were performed without adjuvants, and as no application had been made in the United States of vaccines with adjuvants, and as a matter of prudence,  you should prefer the vaccine without these products to pregnant women.
It should be clear, however, that the anti-influenza vaccines with adjuvants are considered safe for non-pregnant population.


10. In what situations the seasonal influenza vaccine and anti H1N1 should not be taken?
A: The anti-influenza vaccines should not be taken:
• For people with a history of severe allergy to eggs,
• When there is allergy to seasonal flu vaccine ;
• When there fever is a present signal;
• And for children under six months old (The vaccine was not approved for this group).

SOURCES:

(1). Davenport L. Regulatory considerations in vaccine design. In:Vaccine design: The subunit and adjuvant approach. Powell M, Newman M, editors. New York: Plenum Press; 1995.

(2). CDC-USA- Centers for Disease Control and Prevention guidelines;

(3)US. National Institute of Allergy and Infectious Diseases;

(4)USIH- United States Institutes of Health

(5) PULMAOSA- Lungs,Your Atmosphere,Your Life! ®

Follow us at TWITTER: http://twitter.com/PulmaoSA

Categorias:Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

PULMAOSA DEFENDE VACINA H1N1 EM ESCOLARES-PULMAOSA Advocates Antiinfluenza H1N1 Vaccination to Children and Youth in Brazil

23 de março de 2010 Comentários desligados

Vacina contra H1N1- Vaccine

PULMÃO S.A.  Defende Vacinação contra H1N1 Pandêmico Para Escolares

Em nota ao Ministério da Saúde via Twitter do site PULMÃO S.A. sugerimos ao Ministério da Saúde do Brasil que adote uma flexibilização na estratégia brasileira para a vacinação de grupos de risco no país, e inclua os escolares de 3 a 19 anos.

A medida é justificável pois esta faixa etária tem alto potencial para retroalimentar a epidemia, uma vez que o período de contágio da gripe suína/H1N1 é de 7 dias para os adultos,mas é de até 14 dias para escolares, esclarece o Dr. Marcos Nascimento,consutor e editor médico da PULMÃO S.A.

Portanto, ao vacinar este grupo, evita-se que um maior número de pessoas tenham gripe A/H1N1 e em consequência minora a morbi – mortalidade,complementa o Dr. Nascimento.

ENGLISH

PULMAOSA Advocates Antiinfluenza H1N1 Vaccination to Children and Youth in Brazil

In a note to the Ministry of Health via its Twitter, the PULMAOSA suggests to the Ministry of Health of Brazil to adopt an flexibility in the Brazilian strategy for vaccination of risk groups in the country, and include students from 3 to 19 years old as a group to be vaccinated against influenza pandemic H1N1.
The measure is justified as this age group has high potential to feed the epidemic, since the contagious period of influenza flu is  up to 7 days for adults, but it is up to 14 days for school children, explains Dr. Marcos Nascimento, consulting and  medical editor of   PULMAOSA


Therefore, by vaccinating this group, it prevents a greater number of people have influenza A/H1N1 and consequently  contributes to decrease the morbidity  and mortality, adds Dr. Nascimento.

SOURCES/FONTES:

PULMAOSA -Sua Atmosfera,Sua Vida! ®

PULMAOSA-Lungs,Your Atmosphere,Your Life! ®

CDC-USA

PULMÃO S.A. ALERTA: Gestantes têm 13 vezes mais chances de Gripe Suína Grave- ALERT: Pregnant woman who had H1N1 flu were 13 times more likely to become critically ill

22 de março de 2010 Comentários desligados

Gestante pertence ao grupo de risco da gripe- Pregnant Woman belongs to flu Risk Group

PULMÃO S.A. ALERTA: Gestantes têm 13 vezes mais chances de Gripe Suína Grave

Desde o ano passado por razão da epidemia de influenza pandêmico H1N1, a PULMÃO S.A. tem insistido na potencial gravidade do virus influenza tipo A.

Trata-se de um vírus originado a partir de um mix de material genético a partir de vírus influenza de humanos, aves e porcos.

Este vírus foi denominado pela OMS de influenza pandêmico tipo A ou H1N1 pandêmico, que diferentemente do influenza sazonal possui tropismo pelo nariz, pela garganta e também pelas vias aéreas inferiores:os pulmões.

Nesta próxima segunda-feira, 22 de março de 2010, em que o Brasil iniciará a segunda fase de vacinação contra o H1N1 para gestantes, crianças entre 6 meses e 2 anos incompletos e portadores de doenças crônicas, chamamos atenção para um trabalho publicado pelo Jornal de Medicina da Grã Bretanha(BMJ) em que foram rastreadas todas as mulheres internadas em Unidade de Tratamento Intensivo, com o diagnóstico confirmado de gripe suína, na Australia e na Nova Zelândia no período entre 1º de junho e 31 de agosto de 2009, totalizando 209 mulheres, com idade variando entre a 15 a 44 anos. Destas, 64 eram ou gestantes ou mulheres no período de puerpério.

A conclusão do trabalho foi que:

Gestantes com diagnóstico de gripe suína,particularmente aquelas que estavam na segunda metade da gestação( Com mais de 20 semanas de idade gestacional) foram 13 vezes mais propensas a internação em UTI quando comparadas a mulheres não gestantes.

A PULMÃO S.A. relembra que a melhor maneira de estar protegido contra a gripe suína é tomando a vacina anti-H1N1.E isso vale para todos( a exceção dos alergicos a proteína do ovo), especialmente para os integrantes dos grupos de maior risco como as gestantes.Vacine-se!

DESTAQUES:

Fig 1-DESTAQUES MODIFICADOS DE BMJ

ENGLISH


Pregnant women in Australia and New Zealand who had  H1N1 flu were 13 times more likely to become critically ill and be admitted to hospital

Since last year by reason of the epidemic of H1N1 influenza pandemic, the PULMAOSA has insisted on the potential severity of influenza virus type A.
This is a virus originated from a mix of genetic material from the influenza virus from humans, birds and pigs.
This virus was named by the WHO as pandemic influenza type A/ H1N1, which unlike seasonal influenza has tropism for the nose, throat and also the lower airways: the lungs.

This coming Monday, March 22, 2010, when Brazil will start the second phase of the H1N1 vaccine for pregnant women, children between 6 months and 2 years incomplete and patients with chronic diseases, we call attention to a paper published by British Medical Journal (BMJ) at March,19,2010 that were screened all women admitted to the Intensive Care Units with a confirmed diagnosis of swine influenza in Australia and New Zealand in the period between June 1st and August 31, 2009, totaling 209 women, aged between 15 to 44 years. Of these, 64 were either pregnant women or women in the postpartum period.

The conclusion of this study was that:

Pregnant women diagnosed with swine flu, particularly those who were in the second half of pregnancy (with more than 20 weeks gestational age) were 13 times more likely to stay in the ICU compared to non-pregnant women.

REMEMBER THESE TOPICS:

TOPIC'S DETACHS ADAPTED FROM BMJ

THE PULMAOSA recommends that anyone who is offered vaccination( except for those who are allergic to albumin) should take it, particularly those in high risk groups like pregnant women, asthma COPD and other diseases.

The best manner to protect you and your family  against swine flu is taking the H1N1 Vaccine.Take it!

FONTES:

British Medical Journal: BMJ 2010;340:c1279 (ARTICLE)

PULMAOSA- SUA ATMOSFERA, SUA VIDA!®

PULMAOSA- LUNGS: YOUR ATMOSPHERE,YOUR LIFE!®

Categorias:Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

CDC:NOVA VACINA ANTIPNEUMOCÓCICA – CDC: New pneumococcal vaccine

16 de março de 2010 Comentários desligados

CDC APROVA NOVA VACINA ANTIPNEUMOCÓCICA PARA CRIANÇAS

O comitê de Imunizações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos  (CDC)  recomendou o uso de uma vacina conjugada 13-valente (PCV13-Prevnar-13), que afere maior proteção para as crianças contra doenças pneumocócicas.

O Streptococcus pneumoniae é uma bactéria comumente envolvida em pneumonias,otites, faringites,meningites e pode se associar inclusive a gripe pandêmica H1N1.

O comitê de Imunizações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) recomendou o uso de uma vacina conjugada 13-valente (PCV13-Prevnar-13), que afere maior proteção para as crianças contra doenças pneumocócicas.

O Streptococcus pneumoniae é uma bactéria comumente envolvida em pneumonias,otites, faringites,meningites e pode se associar inclusive a gripe pandêmica H1N1.

A PULMÃO S.A. em diversos artigos alertou a população sobre a possibilidade de associação com o pneumococcus, e aconselhou a cobertura vacinal com a vacina anti pneumocócica para adultos a Pneumo-23(Pneumococo aumenta risco de doenças graves em pacientes com H1N1 )

A Prevenar 13 sucederá Prevnar-7, um PCV 7.  Esta nova versão da vacina ampliou o espectro de proteção contra mais seis sorotipos de S. Pneumoniae em comparação com a versão heptavalente.

A Prevnar 13 inclui o sorotipo 19A, que é o sorotipo mais comum de infecções pneumocócicas invasivas em crianças, segundo um estudo publicado em 22 de fevereiro na revista Pediatrician. Além do sorotipo 19A, a Prevnar -13 também contém antígenos conjugados representando os sorotipos 1, 3, 4, 5, 6A e B, 7F, 9V, 14, 18C, 19F e 23F.

A Vacina PCV- 13 aprovada pelo FDA em 24 de fevereiro, foi  licenciada pelo laboratório Wyeth, adquirido recentemente pela Pfizer, e é recomendada para crianças entre 2 a59 meses.

FONTES:

CDC- Advisory Committee on Immunization Practices (ACIP)

PULMAOSANews- PULMAOSA- Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

ENGLISH

CDC APPROVES NEW PNEUMOCOCCAL VACCINE FOR CHILDREN

The Advisory Committee on Immunization Center Control and Prevention in the United States (CDC) recommended the use of a combination vaccine for 13-valent (PCV13-Prevnar-13), which measures greater protection for children against pneumococcal disease.

Streptococcus pneumoniae is a bacterium commonly involved in pneumonias, otitis, pharyngitis, meningitis and can be associated including with pandemic influenza H1N1.

The PULMAOSA in several articles warned the population about the possibility of H1N1 association with the S. pneumoniaes, and advised for the immunization coverage with pneumococcal vaccine for adults Pneumo-23 and also 7-Prevnar to children with lesser than 2 years-old ( see: Pneumococcal increases risk of serious disease in patients with H1N1)

The New 13- Prevenar will be a successor of Prevnar -7. The new version of the vaccine increased the spectrum of protection against more serotypes of S. pneumoniae compared with the heptavalent version.

Prevnar 13 includes serotype 19A, which is the most common serotypes of invasive pneumococcal infections in children, according to a study published on 22 February in the journal Pediatrician. In serotype 19A, Prevnar -13 also contains antigens conjugated representing serotypes 1, 3, 4, 5, 6A and B, 7F, 9V, 14, 18C, 19F and 23F.

The PCV13 vaccine was aprooved by FDA in last February, 24 th and was  licensed by Wyeth pharma, recently acquired by Pfizer and  is recommended for all children aged 2 through 59 months.

SOURCES:

CDC-Advisory Committee on Immunization Practices (ACIP)

PULMAOSANews-Lungs- Your Atmosphere, Your Life! ®

Presidente Obama e a “lei para Inglês ver” – President Obama and the ” Law to English man sees”

13 de março de 2010 Comentários desligados

Presidente Obama - President Obama

Presidente Obama e a “lei para Inglês ver”

Uma coalizão de grupos antitabagismo promoveu uma pesquisa recentemente 1, entre os eleitores cadastrados nos Estados Unidos, onde fizeram uma pergunta chave:

Para aliviar o déficit orçamentário do governo você concordaria com o aumento de impostos sobre qual dos produtos: gasolina, compras no varejo ou cigarros?

Resultado: 60% dos entrevistados são a favor um aumento de impostos sobre os cigarros, em US $ 1 por maço. Este aumento poderia arrecadar mais de US $ 9 bilhões por ano para os governos estaduais e contribuiria sobremaneira para desencorajar os americanos a continuar fumando.

A coalizão, formada pelas Sociedades americanas de Oncologia, cardiologia e Pneumologia,respectivamente: a American Cancer Society, American Heart Association e American Lung Association, argumenta em seu relatório que o aumento do imposto evitaria que 2,3 milhões de crianças se tornassem  viciados em cigarros. Ela também prevê que a mudança levaria 1,2 milhões de adultos fumantes a parar o tabagismo.

Esta pesquisa na verdade insere uma mensagem de reflexão ao Presidente Obama, mas principalmente a outros Chefes de Estado de países em que o maço do cigarro é ainda muito, muito barato.

Isso inclui particularmente o Brasil,que tem o quinto cigarro mais barato do mundo.

E isso não se deve a mera questão de impostos, que como bem sabemos o Brasil é um dos campeões mundiais. Mas sim a uma estratégia de mercado, segundo o consultor médico da PULMÃO S.A., o Dr. Marcos Nascimento.

Nascimento explica: “- Apesar de a taxação de impostos sobre o cigarro no Brasil figurar entre as mais altas do mundo, por volta de 68,2%, comparando-se as do Chile 77,25%, Inglaterra de 76,49%,Suécia:72,25%;Índia: 69,11%; Argentina:69,1%; e Japão:60%; e longe comparativamente aos Estados Unidos:36,93%, Indonésia:37%,China:35 a 40%, e num extremo de “bondade tarifária” o Paraguai com 19,09%, 2 o Brasil tem ainda assim, um dos cigarros mais baratos do planeta.”

A que se deve isto?

A uma logística de mercado promovida pela indústria tabagista. O custo de produção do tabaco é baixo no mundo todo, e, portanto a Indústria tem margem de lucro alta e estrategicamente distribui o cigarro a preços baixo, ou próximo da linha de custo em países com alta tarifação, mas com preço final baixo, e “coincidentemente” isto ocorre em países em desenvolvimento como O Brasil,a Índia,Argentina, Chile e na exceção à esta regra o Japão, entre os países acima, pois todos estes, a título de comparação, tem o preço um maço de Marlboro a menos de 3,00 dólares americanos(Chile: 2,8; Japão: 2,8; Índia: 1,9; Brasil: 1,5; Argentina: 1,1).Ganha-se portanto, no volume de vendas.

Por outro lado os Estados Unidos apesar de encontrar-se no grupo com faixa de tarifação mediana de impostos, por volta dos 35%, tem o mesmo maço de Marlboro custando algo em torno de U$ 4,7.

Inglaterra, e Suécia têm alta tarifação e preço final alto: 10,7 e 6,7 dólares,respectivamente.

O Paraguai tem um maço por volta de U$ 0,9 devido à baixíssima tarifação, como visto acima.

“Isso não é por acaso, trata-se de estratégia do mercado empresarial a qual as empresas fazem uso, prestando contas aos seus acionistas.

Cabe “aos governos perceberem isso, se contrapor, resguardar a Saúde Pública e prestar conta aos seus cidadãos.”, conclui o Dr. Marcos Nascimento.

Faz-se necessário lembrar que a maioria destes países são signatários da Convenção Quadro, tratado Internacional da Organização Mundial de Saúde, que reza em seu artigo 6, que: “ As partes reconhecem que o preço e a taxação sobre os cigarros são os meios mais efetivos em reduzir o consumo.”

Existe um ditado popular  no Brasil,que fala a respeito daquelas leis que existem só no papel, e acabam não sendo cumpridas: “ Esta lei é apenas para Inglês ver! ( e constatar ‘de longe’ que a lei existe…).”

É preciso que os países signatários cumpram os Tratados Internacionais, como a Convenção Quadro.

Do contrário, corremos o sério risco de termos mais “uma lei para Inglês ver”…Literalmente, e lamentavelmente em prejuízo da Saúde Pública !

FONTES:

1.Pesquisa conduzida pela International Communications Research, todos os direitos reservados.

2.Tobacco Atlas-

3.PULMAOSA- Sua Atmosfera, Sua Vida!

ENGLISH

President Obama and the ” Law to English man sees”

A coalition of anti-smoking groups launched a recent research 1, among registered voters in the United States, where they made a key question:
To relieve the federal budget deficit would you agree with raising taxes on which the products: gasoline, retail shopping or cigarettes?
Result: 60% of the voters are in favor for a tax increase on cigarettes by U$ 1,00 per pack.

This increase could raise more than U$ 9 billion a year to state governments and would contribute greatly to discourage the Americans to continue smoking.
The coalition, formed by the American Societies of Oncology, Cardiology and Pulmonology, respectively, the American Cancer Society, American Heart Association and American Lung Association, argues in these report that the tax increase would prevent 2.3 million children from becoming addicted to cigarettes. It also provides that the change would take 1.2 million adult smokers to quit smoking.
This research actually inserts a message to the United States President Obama debate, but mostly the other countrye’s heads of state in whose the packet of cigarettes is still very, very cheap, this includes Countries as China, Paraguay and particularly Brazil, which has the fifth lowest cigarette in the world.
And it should not be a mere question of taxes, which as we all know Brazil is one of the world champions. But, certainly it is a market strategy, according to the consultant physician of PULMAOSA, Dr. Marcos Nascimento.
Dr.Nascimento explains: “- Although the taxation of tobacco tax in Brazil is among the highest in the world, around 68.2%, compared to those of Chile 77.25%, England:76.49% ; Sweden: 72.25% India: 69.11%, Argentina: 69.1%, and Japan: 60%, and far behind, the United States with 36.93%; Indonesia: 37%, China with 35 to 40% and one end of “good pricing tax” Paraguay with 19.09%,2 Unfortunately, Brazil is still one of the cheapest cigarettes on the planet 2
Why?
The marketing’s logistics has been promoted by years for the tobacco industry. The cost of tobacco production is down worldwide, and therefore the industry has high profit margin and strategically distributes cigarettes at low or near-line cost in countries with high tariffs, but the final price down, and ” A big coincidence: “that it has occurred in developing countries like Brazil, India, Argentina, Chile and the exception to this rule at Japan, among the countries cited above, which has the price a pack of Marlboro unless of $ 3.00 (Chile: 2.8, Japan: 2.8; India: 1.9; Brazil: 1.5; Argentina: 1.1). The industries gain in the sales’ volume.
On the other hand the United States despite their position finding in the group with median tax pricing, around 35%, has the same pack of Marlboro costing something around U.S. $ 4.7.
England and Sweden have high charging and high-end price: $ 6.7 and 10.7, respectively.
Paraguay has a pack around U $ 0.9 due to very low tax pricing, as seen above.
“This is not by chance; it has happened because the corporate strategy that the companies have been used, accountable to its shareholders.”
It is a governments’ function to realize it, to oppose to it, to protect public health in benefit of their citizens.” Concludes Dr. Marcos Nascimento.
It is necessary to remember that most of these countries are signatories to the Framework Convention, the International Treaty of the World Health Organization, which states in Article 6 that: “The Parties recognize that price and tax on cigarettes are the most effective means to reduce consumption. “

There is a saying in Brazil that says about those laws that exist only on paper and are not being fulfilled, which says: “This law is only for English man sees! (And to observe far away that a law exists …).”
It is necessary that signatory member countries comply with international treaties such as the Framework Convention.
Otherwise, we run the serious risk of a more “one law for English man sees” … literally, and unfortunately at the expense of public health!


SOURCES:
1.Data conducted by International Communications Research, all rights reserved.
2. Tobacco Atlas –
3.PULMAOSA-Lungs, Your Atmosphere, Your Life! ®

Categorias:Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comemore: Comissão do Senado Brasileiro aprova projeto de lei que bane fumo em lugares públicos-A Day to Celebrate in Brazil The Smoking Ban Project passed in Senate Commission

11 de março de 2010 Comentários desligados

Um dia para se comemorar no Brasil - A Day to Celebrate in Brazil

Comissão do Senado aprova projeto de lei que proíbe cigarro em recintos coletivos

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal finalmente aprovou hoje, dia 10 de março de 2010, o Projeto de Lei 315/08, de autoria do senador Tião Viana (PT-AC), que proíbe totalmente o uso de cigarros e demais produtos derivados do tabaco nos recintos coletivos, privados ou públicos, de todo o país.

A matéria já constou da pauta de votações do colegiado em dezembro de 2009, mas a polêmica em torno do assunto havia adiado sua votação. A relatora da matéria, senadora Marina Silva (PV-AC), apresentou voto favorável ao projeto, com emenda. O texto segue agora para a Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

A proibição do fumo no Brasil já está prevista na Lei 9.294/96, que admite, atualmente, o uso desses produtos “em área destinada exclusivamente a esse fim, devidamente isolada e com arejamento conveniente”, os chamados fumódromos. O PL 315/08 acaba com essas áreas, já cientificamente atestadas como ineficazes para proteger a saúde de fumantes e não-fumantes.

Com esta medida saudada com efusiva comemoração pela PULMÃO S.A.,  o  Brasil dá um passo fundamental em direção a real ratificação do compromisso assumido na Convenção Quadro,tratado Internacional assinado pelo País que visa implantar medidas adequadas para prevenir e reduzir o consumo de tabaco, a dependência da nicotina e a exposição à fumaça do tabaco.

O projeto vai para exame da Comissão de Assuntos Sociais(CAS), em decisão terminativa, e depois deverá ser enviada à Câmara dos Deputados. Se aprovada pelo Congresso, a norma entrará em vigor 180 dias após a publicação da lei.

A PULMÃO S.A. estimula os cidadãos brasileiros a escrever aos Senadores do seu estado e solicitar Leia também a opnião expressa da PULMÃO S.A em:  Carta Aberta ao Congresso Nacional

A lei federal precisa de ajuste para proteção da Saúde Pública.Tabagismo envolve a responsabilidade social de todos os cidadãos brasileiros,pois a fumaça tanto ativa quanto passiva do cigarro e dos derivados do tabaco são sabidamente mortais.Repasse o link desta notícia aos seus contatos e participe desta iniciativa!

A PULMÃO S.A apóia abertamente este projeto lei!

Por isso incetiva a participação de todos para que o Senado Federal aprove o mesmo.Ligue grátis para o Alô Senado: 0800 61 2212

Ou escreva um e-mail para o seu Senador:    E- mail dos Senadores

Fontes:

PULMÃO S.A.- Sua Atmosfera,Sua Vida!®

INCA-Instituto Nacional de Câncer

ENGLISH

Brazilian Senate committee approves Project of law banning smoking in enclosed collective enviroment

The Committee on Constitution, Justice and Citizenship (CCJ) of the  Brazilian Senate finally adopted, on 10 March 2010, Bill 315/08, authored by Senator Tiao Viana (PT-AC), which does not permit the use cigarettes and other tobacco products in indoor collective, private or public, across the country.

The matter has consisted of the voting agenda of the college in December 2009, but the controversy surrounding the subject had delayed its vote.The text now goes to the Commission for Social Affairs (CAS).

The smoking ban in Brazil is already provided for in Law 9294/96, which admits, for instance, the use of these products “in an area designed exclusively for that purpose, properly insulated and with appropriate ventilation,” the so-called smoke areas. The PL 315/08 ends with these areas, has been scientifically certified as ineffective to protect the health of smokers and nonsmokers.

This measure greeted with effusive celebration by PULMAOSA because Brazil provides a key step toward ratification of real commitment in the Framework Convention, an international treaty signed by the country that seeks to implement measures to prevent and reduce tobacco use, dependence nicotine and exposure to tobacco smoke.

The project will take to the Commission for Social Affairs (CAS), a decision would end, and then be sent to the House of Representatives. If approved by Congress, the rule will come into force 180 days after the publication of the law.

The PULMAOSA stimulates Brazilian citizens to write to their state Senators and to support this project of law.

We also expressed the PULMAOSA official opinion in: Open Letter to Congress

Federal law requires adjustment to protect the Public health. Smoking Cessation involves social responsibility of all Brazilian citizens, because both active and passive smoking are deadly.

Please resend this link to your contacts and participate in this initiative! Get involved and collaborate to ratify the Law.

So, PULMAOSA ask  the participation of everyone to write to the Senators and ask to approve it. In Brazil,call free for “Hello Senate Phone”: 0800 61 2212

Or write an e-mail to your Senator: E-mail of Brazilian Senators

Sources:

PULMAOSA-LUNGS – Your Atmosphere, Your Life! ®

INCA-Brazilian National Cancer Institute

%d blogueiros gostam disto: