Início > Principal > Presidente Obama e a “lei para Inglês ver” – President Obama and the ” Law to English man sees”

Presidente Obama e a “lei para Inglês ver” – President Obama and the ” Law to English man sees”

13 de março de 2010

Presidente Obama - President Obama

Presidente Obama e a “lei para Inglês ver”

Uma coalizão de grupos antitabagismo promoveu uma pesquisa recentemente 1, entre os eleitores cadastrados nos Estados Unidos, onde fizeram uma pergunta chave:

Para aliviar o déficit orçamentário do governo você concordaria com o aumento de impostos sobre qual dos produtos: gasolina, compras no varejo ou cigarros?

Resultado: 60% dos entrevistados são a favor um aumento de impostos sobre os cigarros, em US $ 1 por maço. Este aumento poderia arrecadar mais de US $ 9 bilhões por ano para os governos estaduais e contribuiria sobremaneira para desencorajar os americanos a continuar fumando.

A coalizão, formada pelas Sociedades americanas de Oncologia, cardiologia e Pneumologia,respectivamente: a American Cancer Society, American Heart Association e American Lung Association, argumenta em seu relatório que o aumento do imposto evitaria que 2,3 milhões de crianças se tornassem  viciados em cigarros. Ela também prevê que a mudança levaria 1,2 milhões de adultos fumantes a parar o tabagismo.

Esta pesquisa na verdade insere uma mensagem de reflexão ao Presidente Obama, mas principalmente a outros Chefes de Estado de países em que o maço do cigarro é ainda muito, muito barato.

Isso inclui particularmente o Brasil,que tem o quinto cigarro mais barato do mundo.

E isso não se deve a mera questão de impostos, que como bem sabemos o Brasil é um dos campeões mundiais. Mas sim a uma estratégia de mercado, segundo o consultor médico da PULMÃO S.A., o Dr. Marcos Nascimento.

Nascimento explica: “- Apesar de a taxação de impostos sobre o cigarro no Brasil figurar entre as mais altas do mundo, por volta de 68,2%, comparando-se as do Chile 77,25%, Inglaterra de 76,49%,Suécia:72,25%;Índia: 69,11%; Argentina:69,1%; e Japão:60%; e longe comparativamente aos Estados Unidos:36,93%, Indonésia:37%,China:35 a 40%, e num extremo de “bondade tarifária” o Paraguai com 19,09%, 2 o Brasil tem ainda assim, um dos cigarros mais baratos do planeta.”

A que se deve isto?

A uma logística de mercado promovida pela indústria tabagista. O custo de produção do tabaco é baixo no mundo todo, e, portanto a Indústria tem margem de lucro alta e estrategicamente distribui o cigarro a preços baixo, ou próximo da linha de custo em países com alta tarifação, mas com preço final baixo, e “coincidentemente” isto ocorre em países em desenvolvimento como O Brasil,a Índia,Argentina, Chile e na exceção à esta regra o Japão, entre os países acima, pois todos estes, a título de comparação, tem o preço um maço de Marlboro a menos de 3,00 dólares americanos(Chile: 2,8; Japão: 2,8; Índia: 1,9; Brasil: 1,5; Argentina: 1,1).Ganha-se portanto, no volume de vendas.

Por outro lado os Estados Unidos apesar de encontrar-se no grupo com faixa de tarifação mediana de impostos, por volta dos 35%, tem o mesmo maço de Marlboro custando algo em torno de U$ 4,7.

Inglaterra, e Suécia têm alta tarifação e preço final alto: 10,7 e 6,7 dólares,respectivamente.

O Paraguai tem um maço por volta de U$ 0,9 devido à baixíssima tarifação, como visto acima.

“Isso não é por acaso, trata-se de estratégia do mercado empresarial a qual as empresas fazem uso, prestando contas aos seus acionistas.

Cabe “aos governos perceberem isso, se contrapor, resguardar a Saúde Pública e prestar conta aos seus cidadãos.”, conclui o Dr. Marcos Nascimento.

Faz-se necessário lembrar que a maioria destes países são signatários da Convenção Quadro, tratado Internacional da Organização Mundial de Saúde, que reza em seu artigo 6, que: “ As partes reconhecem que o preço e a taxação sobre os cigarros são os meios mais efetivos em reduzir o consumo.”

Existe um ditado popular  no Brasil,que fala a respeito daquelas leis que existem só no papel, e acabam não sendo cumpridas: “ Esta lei é apenas para Inglês ver! ( e constatar ‘de longe’ que a lei existe…).”

É preciso que os países signatários cumpram os Tratados Internacionais, como a Convenção Quadro.

Do contrário, corremos o sério risco de termos mais “uma lei para Inglês ver”…Literalmente, e lamentavelmente em prejuízo da Saúde Pública !

FONTES:

1.Pesquisa conduzida pela International Communications Research, todos os direitos reservados.

2.Tobacco Atlas-

3.PULMAOSA- Sua Atmosfera, Sua Vida!

ENGLISH

President Obama and the ” Law to English man sees”

A coalition of anti-smoking groups launched a recent research 1, among registered voters in the United States, where they made a key question:
To relieve the federal budget deficit would you agree with raising taxes on which the products: gasoline, retail shopping or cigarettes?
Result: 60% of the voters are in favor for a tax increase on cigarettes by U$ 1,00 per pack.

This increase could raise more than U$ 9 billion a year to state governments and would contribute greatly to discourage the Americans to continue smoking.
The coalition, formed by the American Societies of Oncology, Cardiology and Pulmonology, respectively, the American Cancer Society, American Heart Association and American Lung Association, argues in these report that the tax increase would prevent 2.3 million children from becoming addicted to cigarettes. It also provides that the change would take 1.2 million adult smokers to quit smoking.
This research actually inserts a message to the United States President Obama debate, but mostly the other countrye’s heads of state in whose the packet of cigarettes is still very, very cheap, this includes Countries as China, Paraguay and particularly Brazil, which has the fifth lowest cigarette in the world.
And it should not be a mere question of taxes, which as we all know Brazil is one of the world champions. But, certainly it is a market strategy, according to the consultant physician of PULMAOSA, Dr. Marcos Nascimento.
Dr.Nascimento explains: “- Although the taxation of tobacco tax in Brazil is among the highest in the world, around 68.2%, compared to those of Chile 77.25%, England:76.49% ; Sweden: 72.25% India: 69.11%, Argentina: 69.1%, and Japan: 60%, and far behind, the United States with 36.93%; Indonesia: 37%, China with 35 to 40% and one end of “good pricing tax” Paraguay with 19.09%,2 Unfortunately, Brazil is still one of the cheapest cigarettes on the planet 2
Why?
The marketing’s logistics has been promoted by years for the tobacco industry. The cost of tobacco production is down worldwide, and therefore the industry has high profit margin and strategically distributes cigarettes at low or near-line cost in countries with high tariffs, but the final price down, and ” A big coincidence: “that it has occurred in developing countries like Brazil, India, Argentina, Chile and the exception to this rule at Japan, among the countries cited above, which has the price a pack of Marlboro unless of $ 3.00 (Chile: 2.8, Japan: 2.8; India: 1.9; Brazil: 1.5; Argentina: 1.1). The industries gain in the sales’ volume.
On the other hand the United States despite their position finding in the group with median tax pricing, around 35%, has the same pack of Marlboro costing something around U.S. $ 4.7.
England and Sweden have high charging and high-end price: $ 6.7 and 10.7, respectively.
Paraguay has a pack around U $ 0.9 due to very low tax pricing, as seen above.
“This is not by chance; it has happened because the corporate strategy that the companies have been used, accountable to its shareholders.”
It is a governments’ function to realize it, to oppose to it, to protect public health in benefit of their citizens.” Concludes Dr. Marcos Nascimento.
It is necessary to remember that most of these countries are signatories to the Framework Convention, the International Treaty of the World Health Organization, which states in Article 6 that: “The Parties recognize that price and tax on cigarettes are the most effective means to reduce consumption. “

There is a saying in Brazil that says about those laws that exist only on paper and are not being fulfilled, which says: “This law is only for English man sees! (And to observe far away that a law exists …).”
It is necessary that signatory member countries comply with international treaties such as the Framework Convention.
Otherwise, we run the serious risk of a more “one law for English man sees” … literally, and unfortunately at the expense of public health!


SOURCES:
1.Data conducted by International Communications Research, all rights reserved.
2. Tobacco Atlas –
3.PULMAOSA-Lungs, Your Atmosphere, Your Life! ®

Categorias:Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: