Início > DR./MD., Principal > Logística e Resposta em Enchentes – Logistics in Flood: Preparedness and Response

Logística e Resposta em Enchentes – Logistics in Flood: Preparedness and Response

15 de janeiro de 2011

Logística e Resposta: Enchentes

Inundações e Doenças Transmissíveis & Vacinas: Cuidados a Tomar

(PULMAOSANEWS)– Em momentos de calamidade pública como as chuvas que provocaram inundações em Teresópolis, Friburgo, Petrópolis ( região Serrana do Estado do Rio de Janeiro), é preciso minorar os riscos a doenças transmissíveis  com acesso imediato a informações adequadas, alertando para a observação de medidas básicas de higiene.

Risco maior

Além das vítimas diretas das inundações, há o risco imediato com as cheias, de transmissão de doenças  através do contato pela pele com a lama ou água da enchente ou mesmo ingestão de água e alimentos contaminados provocando como as doenças diarreicas (por Salmonella, Shigella e principalmente a Escherichia coli),  Leptospirose,  as  hepatites A & E, e a Dengue. Deve – se lembrar ainda do Tétano, causado pela bactéria Clostridium tetani, que pode vir a contaminar ferimentos, uma vez que se encontra na terra. [ Neste caso, os cuidados imediatos com o ferimento mais a imunização passiva com o soro constituem  medidas mais eficazes do que uma vacinação em massa da população – porque a imunização passiva tem ação imediata uma vez que se toma anticorpos prontos ( imunoglobulina antitetânica ou o soro antitetânico) contra a bactéria do tétano. A Vacina ( inoculação de antígenos) requer  15 dias para iniciar o seu efeito protetor e  além disto é necessário completar o esquema com três  doses.

HEPATITES

A hepatite A, é causada pela transmissão do vírus A, por contaminação fecal- oral, via ingestão de alimentos e água contaminados. Lembre que há destruição das redes de distribuição de água e esgoto e em muitos locais não há saneamento básico e tampouco a população encontra-se vacinada (pois a Vacina da Hepatite A, embora existente, ainda não faz parte do calendário Nacional de vacinação no Brasil ). Há ainda um risco elevado para a Hepatite E em momentos de cheias.

*LEMBRE: A Hepatite B é transmitida via relações sexuais e através de transfusão sanguínea. A inundação NÃO oferece risco em relação ao vírus da hepatite B. Não se faz necessário portanto a vacinação contra a Hepatite B, em momentos de enchentes.

LEPTOSPIROSE

Com a destruição da rede de saneamento básico e a própria inundação há risco maior de contato com urina de rato de esgoto, que pode conter a bactéria Leptospira interrogans, causadora da LEPTOSPIROSE.  O contato se dá através da ingestão ou do contato da pele, das mucosas com a água ou lama das enchentes.  Como não há vacina disponível contra a Leptospira, e como é tecnicamente inadequada a distribuição de antibióticos profilaticamente, é preciso que as equipes de saúde estejam treinadas para diagnosticar rapidamente os casos suspeitos, e lembrar que o diagnóstico diferencial com a Dengue é praticamente impossível clinicamente.

As manifestações da Leptospirose grave são icterícia ( pele amarelada), febre, dor muscular, indisposição, sangramentos, diminuição do fluxo urinário, falta de ar. Por causa da possibilidade de sangramento, não use medicamentos a base de Ácido salicílico, como AAS, Aspirina® ou Melhoral® por exemplo.

A quimioprofilaxia apenas está tecnicamente indicada apenas para os trabalhadores de resgate, como os bombeiros, policiais, agentes da defesa civil e militares.

É preciso estar atento para não se consumir água contaminada e lembrar que grande parte dos locais afetados a fonte de água são os próprios rios e poços artesianos, cujo lençol freático está contaminado neste momento.

Por isso é importante a doação de água mineral, assim como alimentos enlatados, e  artigos de higiene como desinfetantes, água sanitária, sabão, sabonete, pasta de dente, além de fraldas descartáveis para as áreas de enchentes.

As equipes de resgate e as de jornalismo devem ter também seu estoque de água próprio e outros víveres, além de ser imprescindível o uso de roupas impermeáveis assim com botas ou galochas de borracha, não apenas pelos riscos das doenças transmissíveis pela água mas por causa do risco de picadas de cobras e também escorpiões na lama das enchentes.

DOAÇÕES:

Hemorio. R Frei Caneca, 8- Centro – Rio de Janeiro – RJ Tel: (21) 2332-8611.

Saiba onde fazer doações para as vítimas da Chuva da Região Serrana do Rio de Janeiro

CRUZ VERMELHA RIO DE JANEIRO: Pc Cruz Vermelha, 10 – Centro, Rio de Janeiro –(21) 3970-2847.

Hospital Cruz Vermelha Curitiba-PR : Avenida Vicente Machado, 1.310, no Batel. (41) 3016-6622.

FONTES:

PULMÃO S.A. Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

CIVES – UFRJ;  http://www.cives.ufrj.br

CDC- Centers for Diseases Control and Prevention –  Uptodate in Leptospirosis: http://www.cdc.gov/ncidod/dbmd/diseaseinfo/leptospirosis_g.htm

CDC – Centers for Diseases Control and Prevention- Natural Disasters and Severe Weather – http://emergency.cdc.gov/disasters/

ENGLISH

Logistics in Flood: Preparedness and Response

Flooding, Diseases &Vaccines: Taking Care

In times of public In times of public calamity as rains that caused flooding in Teresopolis, Friburgo, Petrópolis (the mountainous region of Rio de Janeiro, Brazil), it is necessary to reduce the risk to diseases with immediate access to relevant information, warning of the observation of basic hygiene.

Rains that caused flooding in Teresopolis, Friburgo, Petrópolis (the mountainous region of Rio de Janeiro, Brazil)

Higher Risk

In addition to the direct victims of the floods, there is immediate risk to floods, disease transmission through contact with the skin by mud or flood water or ingestion of contaminated food and water as causing diarrheal diseases (Salmonella, Shigella and mainly Escherichia coli), leptospirosis, hepatitis A & E, and Dengue. It should – remember though Tetanus, caused by the bacterium Clostridium tetani, which might contaminate wounds, since it is on earth. [In this case, immediate care with the injury more passive immunization with serum measures are more effective than a mass vaccination of the population – because passive immunization has immediate action once it becomes ready antibodies (immunoglobulin or anti-tetanus serum tetanus) against the tetanus bacteria. The vaccine (antigen inoculation) requires 15 days to start its protective effect and moreover it is necessary to complete the scheme with three doses.

HEPATITIS

Hepatitis A is caused by the virus transmission by fecal-oral route via ingestion of contaminated food and water. Remember that no destruction of water distribution networks and sewage in many areas there are no sanitation nor the population is vaccinated (Vaccine for Hepatitis A, although existing, is not yet part of the Brasilian National immunization schedule). There is still a high risk for Hepatitis E in times of flooding.

* REMEMBER: Hepatitis B is transmitted via sexual intercourse and through blood transfusion. The flood does NOT provide risk against the hepatitis B virus It is not necessary therefore vaccination against hepatitis B, when floods occur.

LEPTOSPIROSIS

With the destruction of the network of sanitation and flood itself there is greater risk of contact with rat urine wastewater, which may contain the bacterium Leptospira interrogans causes leptospirosis. The contact is through ingestion or skin contact, mucous membranes with water or mud from the flooding. With no vaccine available against Leptospira, and how technically inadequate distribution of prophylactic antibiotics, it is necessary for health teams are trained to quickly diagnose suspected cases, and remember that the differential diagnosis of dengue is almost impossible clinically.

Chemoprophylaxis is only technically suitable only for rescue workers, like firefighters, police officers, civil defense and military.

One must be careful not to consume contaminated water and remember that most of the affected sites are the source of water themselves rivers and wells, whose groundwater is contaminated at this time.

So it’s important to donate bottled water, as well as canned food, and toiletries such as disinfectants, bleach, soap, soap, toothpaste, and diapers for the areas of flooding.

Rescuers and journalism should also have its own water supply and food supplies, as well as being indispensable to use impervious clothing like boots or overshoes made of rubber, not only by the risks of waterborne diseases but because of risk of bites from snakes and scorpions as well in the mud of the floods.

SOURCES:

PULMAO S. A.  Lungs: Your atmosphere, Your Life! ®

CIVES – UFRJ; http://www.cives.ufrj.br

CDC-Centers for Disease Control and Prevention – UpToDate in Leptospirosis: http://www.cdc.gov/ncidod/dbmd/diseaseinfo/leptospirosis_g.htm

CDC – Centers for Disease Control and Prevention-Natural Disasters and Severe Weather http://emergency.cdc.gov/disasters/

Categorias:DR./MD., Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: