Archive

Archive for agosto \30\UTC 2011

Meninas experimentam mais cigarro que meninos no Brasil

30 de agosto de 2011 Comentários desligados

Meninas experimentam cigarros precocemente no Brasil

Meninas experimentam mais cigarro que meninos no Brasil

( PULMAOSANEWS)  O  Instituto Nacional do Câncer (Inca) divulgou estudo que mostra que as adolescentes mulheres (13 a 15 anos) em algumas das principais cidades do Brasil são o grupo de maior preocupação para o Ministério da Saúde, uma vez que elas estão fumando mais que os meninos nesses locais.  No Sul duas capitais se destacam com índices maiores que Rio e São Paulo:  Curitiba, apresentando 46,9% das meninas que  já experimentaram cigarro, enquanto que o mesmo foi feito por 35,7% dos meninos. E Porto Alegre, cidade com maior variação, 52,6% das meninas já fumaram pelo menos uma vez nesta faixa etária, contra 38% dos adolescentes.

RIO e São Paulo:

Em São Paulo, 38% das meninas já experimentaram, contra 29,7% dos meninos.

Rio de Janeiro, 36,5% das meninas já fumaram e o percentual de meninos foi de 29,5%.

Cigarro avulso: outro dado preocupante

Apesar da lei que proíbe a venda de cigarros para menores de idade, os adolescentes não têm dificuldade para comprar o produto. A maioria dos menores entrevistados afirmou nunca ter sido impedida de comprar um cigarro. Em Maceió, esse percentual chegou a 96,7%. Em Fortaleza, a 89,9% e em Salvador a 88,9%.

Segundo o Dr. Marcos Nascimento, consultor medico da PULMAOSA, ” o tabagismo entre os adolescentes lamentavelmente não tem diminuído como vem ocorrendo entre os adultos. E tem havido um consumo maior por marcas de cigarros contrabandeados. Isto, além de colocar a saúde em risco acarreta um duplo prejuízo para o Tesouro Nacional: Maior número de doentes e sem a contrapartida da arrecadação.’ O Dr. Nascimento complementa que devemos chamar a atençao dos pais e dos educadores para dois outros fatores:

1. o inicio do cigarro ocorre cada vez mais precocemente, em geral a iniciação se dá até os 19 anos;

2. A principal forma de aquisição do cigarro pelos jovens é por unidade, apesar da proibição por lei desse tipo de venda avulsa.

Marketing nos Pontos de Venda

Um outro dado que corrobora esta escalada de novos fumantes, e a necessidade de ajuste da lei federal antifumo no Brasil,  é a multiplicidade de pontos de venda ao redor de escolas e de universidades,  fazendo necessario, portanto uma vigilância maior contra esta estrategia de Marketing da industria tabagista, para resguardar a Saúde Pública. Mas o papel da vigilância não é só’ da ANVISA, e sim de toda a sociedade: incluindo as Empresas,  as Escolas, os pais e inclusive os comerciantes.

FONTES:

PULMAOSANEWS – PULMÃO S/A: Sua Atmosfera, Sua Vida!

Instituto Nacional do Câncer (Inca) – Brasil

Ar Seco no Brasil e as Doenças Respiratórias

16 de agosto de 2011 Comentários desligados

Baixa humidade do ar e o risco de doenças

Ar seco no Brasil e o risco para as doenças respiratórias

Ar Seco e as Doenças Respiratórias

O ar seco colocou em alerta metade do País e fez a cidade de São Paulo registrar ontem ( 16/08/2011), o dia mais seco do ano. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), às 15 horas, a umidade relativa do ar era de 22% na capital paulista. Na estação meteorológica do Comando da Aeronáutica, no Aeroporto de Congonhas, a mínima chegou a 16%. Brasilia, Goiania e Cuiaba’ tambem registraram recordes de baixa umidade relativa do ar esta semana.

Risco

O ideal para o sistema respiratório seria uma humidade relativa do ar estar constantemente entre 30 e 60%. Entretanto, nos períodos de inverno há regiões do Brasil que sofrem mais com baixa humidade relativa do ar e com a presença do ar seco, como as regiões Centro Oeste, a Sudeste e a região Sul, mais suscetíveis a periodos maiores de estiagem. A chuva é naturalmente  um sistema de purificação do ar. Portanto, com a sua ausência ou com a diminuição das chuvas piora as condições ambientais por causa da inversão térmica. E em concomitância, aumenta o risco para doenças respiratórias.

As pessoas não alérgicas tendem a tolerar um pouco melhor estes fatores, mas ainda assim podem ter o nariz ressecado, a pele mais seca,  e apresentar eventualmente sangramentos nasais que são conhecidos como epistaxe.

O principal grupo de risco, de fato, é formado pelos portadores de doenças respiratórias crônicas e os portadores de atopias (alergias), pois o ar seco irrita a mucosa das vias respiratórias, isto é, nariz, seios da face, garganta e os pulmões, que acaba culminando com infecções do trato respiratório como bronquites, otites, faringites, traqueites e até pneumonias que podem se tornar uma situação de risco, levando a internação e mesmo ao óbito (principalmente se houver confusão ou retardo no diagnóstico).

Entre as principais doenças respiratórias crônicas estão os portadores de enfisema pulmonar e bronquite crônica ( DPOC – Doença Pulmonar Obstrutiva Cronica), os portadores de asma brônquica e os portadores de sinusite e rinite crônica.

PNEUMONIA

Caracteristicamente é uma doença das vias aéreas inferiores ou seja, os pulmões. Ela pode ser contagiosa , mas em geral a pneumonia não é contagiosa ou transmissível. Algumas bactérias, especialmente o Estreptococos pneumoniae,  podem por razão de estresse, ou após e por uma infecção viral, superar as defesas do organismo e ao conseguir se instalar no pulmão, provocar pneumonia. Ha antibióticos disponíveis hoje que são bastante eficazes para o tratamento ambulatorial. Em algumas circunstancias entretanto, dado o aumento de risco para óbito, se faz necessário o tratamento hospitalar.

O Sinal mais característico da pneumonia é a febre alta ( Acima de 38º C), podendo ser associada a tosse, dor torácica, expectoração (escarro). Pode ocorrer pneumonia sem febre, entretanto estes casos são mais associados aos pacientes com algum nível de imunossupressão, como a Diabetes Mellitus , a insuficiência cardíaca, portadores de síndrome de imunodeficiência adquirida ( AIDS), e em pacientes em tratamento de câncer.

Ar seco no Brasil e as doenças respiratórias

Cuidados a serem tomados com o ar seco e a baixa humidade

CUIDADOS A SEREM TOMADOS:

  • Não praticar exercícios físicos nos horários de mais baixa umidade relativa do ar e maior concentração de poluentes que se dá entre as 10 horas da manha e as 4 horas da tarde;
  • Aumentar a ingesta de líquidos (água) é fundamental;
  • Umidificar a mucosa dos olhos e do nariz com soro fisiológico,  especialmente das crianças, dos idosos e dos portadores de doenças respiratórias como asma brônquica e o enfisema pulmonar ( que oficialmente recebe o nome de DPOC);
  • Mesmo com o frio, manter os locais arejados, e se possível humidificados com o uso de vaporizadores, ou mesmo utilizando toalhas úmidas no quarto de dormir ou em ambientes em que irão ficar por muito tempo.
  • Alérgicos ou portadores de doença crônicas respiratórias devem tomar um cuidado extra com  a umidade relativa do ar.
  • Para os alérgicos o essencial é  seguir a orientação do seu medico e fazer o tratamento.  Ainda há uma grande parte dos pacientes que têm asma ou rinite que infelizmente pensam que só  devem tratar quando estão em crise. Entretanto, o Consultor Médicos da PULMAOSA, o Dr. Marcos Nascimento esclarece que estas doenças são crônicas e portanto o uso de medicamentos alem de um acompanhamento continuo com um alergista, um otorrinolaringologista ou um Pneumologista é essencial, pois possibilita minorar ou  evitar as crises, melhorando a qualidade de vida destes pacientes.
  • O Dr. Marcos Nascimento alerta que embora os umidificadores possam ser úteis, eles podem provocar doenças se não forem mantidos limpos adequadamente ou se os níveis de umidade ficarem muito altos. Portanto, caso você faça uso de umidificadores: Monitore os níveis de umidade e mantenha o seu umidificador limpo – Filtros de umidificadores sujos podem produzir mofo (fungos) ou bactérias que podem deixá-lo doente. Se você tem alergia ou asma, converse com seu médico antes de usar um umidificador.
  • Mantenha ambientes limpos e sem poeira, além de cuidado com roupas que estão muito tempo guardadas também é importante. Procure lavar as roupas e expô-las ao sol antes do uso. Isto favorece a eliminação de ácaros e fungos que incomodam e podem ser o gatilho de uma crise de rinite ou mesmo de asma brônquica.
  • Previna-se de infecções como a gripe, e de faringites, sinusites e da  pneumonia ocasionada pelo pneumococos fazendo o uso das vacinas anti influenza ( Vacina da gripe) e a Vacina anti pneumocócica ( Heptavalente, decavalente e 13valente para crianças menores de 2 anos de idade e para as maiores de 2 anos de idade e adultos a Pneumo-23);
  • Consultar o seu Médico em caso de dúvidas.

FONTES:

PulmaoSA – Sua Atmosfera, Sua Vida!

SBPT – Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia;

CDC -USA

Categorias:ASMA / ASTHMA, Crianças/ Children, DPOC / COPD, Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

The Dry Air and Respiratory Diseases

16 de agosto de 2011 Comentários desligados

Low humidity and dry air in Respiratory Diseases

Dry air and Respiratory Diseases

The relative humidity must be between 30 and 60%. In the winter there are regions that suffer the most in Brazil and also in USA, as the Midwest, Southeast and Southern where there is both dry air and low humidity. The rain of course is an air purification natural system. With its absence or the decrease in rainfall a worsening environmental conditions happens because of thermal inversion phenomena. And this fact concomitantly increases the risk for respiratory diseases.
The non-allergic people tend to tolerate these factors a little better, but still have the nose can dry, severely dry skin, nosebleeds and eventually make what are known as epistaxis.
However, the main risk group, in fact, is formed by people with chronic respiratory diseases and patients with atopy (allergies) because the dry air irritates the lining of the airways, ie, nose, sinuses, throat and lungs that culminated with respiratory tract infections such as otitis, pharyngitis, tracheitis and pneumonia that can even become a hazard, leading to hospitalization and even death (especially if confusion or delay in diagnosis.)
Among the major respiratory diseases are chronic carriers of pulmonary emphysema and chronic bronchitis (COPD) patients with asthma and patients with chronic sinusitis and rhinitis.

PNEUMONIA
It is characteristically a disease of the lower airways or the lungs. It can be contagious, but in general, pneumonia is not contagious or transmissible. Some bacteria, especially Streptococcus pneumoniae, may for reasons of stress, or after or by viral infection, to overcome the body’s defenses and settle in the lungs, causing pneumonia. Today there are several antibiotics available that are quite effective for outpatient treatment. In some circumstances however, given the increased risk of death is required hospital treatment.
The most characteristic sign of pneumonia are high fever (above 38 ° C) and can be associated with cough, chest pain, and phlegm (sputum) presence. Pneumonia can occur without fever, although these cases are more associated with patients with some level of immunosuppression, such as diabetes mellitus, heart failure, patients with acquired immunodeficiency syndrome (AIDS) and in patients undergoing cancer treatment.

Care to be taken with Respiratory patients


CARE TO BE TAKEN:
• Refrain from exercise at times of lower relative humidity and higher concentration of pollutants takes place between 10 am and 4 pm;
• Increase fluid intake (water) is essential;
• Moistening the mucosa of the eyes and nose with 0,9% saline solution, especially children, the elderly and people with respiratory diseases such as bronchial asthma and pulmonary emphysema (which officially is called COPD);
• Even with the cold, keep the sites fresh and humidified if possible with the use of humidifiers, or using wet towels in the bedroom or in environments where you will stay for long.
• Allergic patients or with chronic respiratory disease should take extra care with the relative humidity;
• For those with allergies it is essential to follow the guidance of their doctor and take treatment. There is still a large proportion of patients who have asthma or rhinitis who unfortunately think they should only treat when they are in crisis. However, the medical advisor of PULMAOSA, Dr. Marcos Nascimento explains that these diseases are chronic and need  a continous treatment and also a continuous follow up with an allergist, an otolaryngologist or a pulmonologist. This is essential to decrease the problems with these patients, complement Dr. Nascimento.
• Dr. Marcos Nascimento also warning that while humidifiers can be useful, they can actually make you sick if they aren’t maintained properly or if humidity levels stay too high. If you do use humidifiers, play it safe: Monitor humidity levels and keep your humidifier clean — dirty humidifiers can breed mold or bacteria that can make you sick. So, If you have allergies or asthma, talk to your doctor before using a humidifier;

•  Maintain a clean and dust free environment, and to care for clothes that are stored too long is also important. Try to wash their clothes and expose them to sunlight before use. This favors the elimination of mites and fungi that annoy and may trigger a crisis of rhinitis or asthma.
• Prevent infections like flu, pharyngitis, sinusitis and pneumonia caused by pneumococcus causing the use of influenza vaccine (flu vaccine) and pneumococcal vaccine (heptavalent, decavalente 13valente and for children under 2 years old and for over 2 years old and adults Pneumo-23);
• Consult your physician if you have doubts.

SOURCES:

PulmaoSA – its atmosphere, Your Life!
SBPT – Brazilian Thoracic Society;
CDC-USA

O que você deve saber sobre a vacina da gripe 2011/ 2012

14 de agosto de 2011 Comentários desligados

Criança sendo vacinada para gripe

O que você deve saber sobre a vacina da gripe 2011/ 2012

1. Quem deve ser vacinado para gripe?

Todos entre 6 meses de idade em diante deveriam tomar a vacina da gripe. Entretanto crianças maiores que 6 meses, Professores e contatos de crianas com menos de 6 meses de idade, idosos com mais de 60 anos, profissionais de saúde, gestantes, portadores de doença crônica como DPOC, Asma, Diabetes, etc, população indigena constituem o grupo de maior risco, e portanto, prioritário.

 2. Qual a melhor data para receber a Vacina?

Como a vacina demora cerca de 3 meses para atingir seu maior efeito de proteção, o melhor momento para receber a vacina da gripe é  no inicio do outono que no hemisfério norte se dá  em outubro e no hemisfério sul em abril.

 3. Por que estar vacinado contra o influenza?

A gripe é causada pelos vírus influenza e trata-se de uma doença contagiosa, que se transmite através de tosse, coriza ou secreções nasais. O grupo mais afetado é o de crianças que deveriam ser prioritariamente vacinadas. Entretanto, como explicitado acima outros grupos estão sobre risco e deveriam prevenir as complicações de gripe como a pneumonia. Tomando a vacina da gripe você protege- se de complicações, minora o risco de internação e inclusive de óbito pela gripe. Além disso, o vírus da gripe está sempre sofrendo mutações, sendo aconselhado receber  a vacina antiinfluenza anualmente.

A Vacina da gripe da temporada 2011/2012 é Triviral, protegendo contra 3 virus influenza ( um influenza tipo B, um tipo A H2N3 e o influenza tipo A H1N1 da gripe suina)

4. Quais são os riscos associados a vacina da gripe?

A Vacina da gripe que contem vírus mortos  é  tomada por via injetável. Como todo medicamento, pode apresentar reações que em geral são leves:

  • Dor de garganta, tosse, olhos vermelhos e coriza;
  • Febre baixa, dor e inchaço no local da aplicação da injeção.

Quando estes problemas ocorrem, podem iniciar no momento da aplicação e durar entre 24 a 48 horas.

Reações Moderadas:

  • Convulsão pode ocorrer em algumas crianças quando a vacina antiinfluenza for associada a vacina pneumocócica 13 valente ( PCV 13). Portanto, é  prudente saber se a criança possui histórico anterior para convulsão, e perguntar ao seu médico por informações complementares.

Reações Graves:

  • Reações alérgicas graves associadas a vacinas são extremamente raras. O risco para síndrome de Guillain Barré é  de 1 caso para 1 milhao de pessoas vacinadas. Este risco é menor do que o risco para as complicaçoes da gripe.

ATENÇAO: Em alguns paises ha a disponibilidade para Vacinas inalatorias com virus atenuados (vivos e enfraquecidos). Estas vacinas são contraindicadas para gestantes.

5. Onde posso saber mais sobre vacinas?

Pergunte ao seu medico por maiores infomações.

Outras informações podem ser obtidas no site do Ministerio da Saude no Brasil

Vacinas anti H1N1 no Brasil

E nos Estados Unidos no site do CDC

Ou ligando para 1-800-232- 4636 (1-800-CDC-INFO)

FONTES:

PULMAOSA – SUA ATMOSFERA, SUA VIDA! ®

MINISTERIO DA SAUDE BRASIL

CDC – USA

What You Should Know About Flu Vaccine 2011 / 2012

14 de agosto de 2011 Comentários desligados

Boy receiving a flu shot

What You Should Know About Flu Vaccine 2011 / 2012

1. Who should be vaccinated for the flu?
Everyone from 6 months of age onwards should take the flu vaccine. However children older than 6 months, Teachers and contacts with children less than 6 months of age, seniors over 60 years, health professionals, pregnant women, patients with chronic diseases such as COPD, Asthma, Diabetes, etc., are the indigenous population group at highest risk, and therefore a priority.

2. What is the best time to receive the vaccine?
Because the vaccine takes about three months to reach its greatest protective effect, the best time to receive the flu vaccine is the beginning of autumn in the northern hemisphere occurs in October and the southern hemisphere in April.

3. Why be vaccinated against influenza?
The flu is caused by influenza virus and it is a contagious disease that spreads through coughing, runny nose or nasal secretions. The group most affected are children who should be vaccinated as a priority. However, as explained above other groups are about risk and should prevent the complications of flu such as pneumonia. Taking a flu shot to protect you from complications, lessens the risk of hospitalization and even death from the flu.
In addition, the influenza virus is always mutating, being advised to receive influenza vaccine annually.

4. What are the risks associated with influenza vaccination?
The flu vaccine contains killed virus that is taken by injection. Like all medicines, may have reactions that are usually mild:
• Sore throat, cough, red eyes and runny nose;
• Low-grade fever, pain and swelling at the injection site.
When these problems occur, they can start at the time of application and last between 24 to 48 hours.

Mild reactions:
• Seizures may occur in some children when influenza vaccine is associated with 13 valent pneumococcal vaccine (PCV 13). Therefore, it is prudent to know if the child has prior history for seizures, and ask your doctor for additional information.
Severe reactions:
• Severe allergic reactions associated with vaccines are extremely rare. The risk for Guillain-Barré syndrome is 1 case per 1 million people vaccinated. This risk is lower than the risk for complications from the flu.

WARNING: In some countries there is inhaled( Spray) vaccines with attenuated virus (live and weakened). These vaccines are contraindicated for pregnant women.

5. Where can I learn more about vaccines?
Ask your doctor for more infomações.
Additional information can be found at the Ministry of Health in Brazil
And the United States at the CDC website
Or by calling 1-800-232 – 4636 (1-800-CDC-INFO)

6.PULMAOSA Offer The Flu Vaccine Locator in USA

Click the Link above to you find where to get a seasonal flu shot.

SOURCES:
PULMAOSA – its atmosphere, YOUR LIFE! ®
BRAZIL MINISTRY OF HEALTH
CDC – USA

Mobilize-se para garantir aprovação no Congresso do aumento dos Cigarros

7 de agosto de 2011 Comentários desligados

Mobilize-se em favor da Saúde Pública

Mobilize-se em favor da Saúde Pública

A Presidência da Republica enviou ao Congresso Nacional, nesta primeira semana de agosto, a medida provisória (MP) 540, que prevê a mudança no regime de tributação de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre cigarros, que entrara’ em vigor a partir de 1º de dezembro deste ano, e representará  um aumento da carga tributária para o setor, de 60% para 81%, para as empresas que optarem pelo regime geral. Por este regime, a alíquota de IPI será de 45% sobre o preço no varejo a partir de dezembro. A carga inclui ainda 11% de PIS e 25%, em média, de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), e estabelece um preço mínimo para o maço de cigarro vendido no Brasil.

Mas Lembre: Toda MP, editada pela Presidência da República, tem força de lei e vigência imediata, mas perde a eficácia se não for convertida em lei pelo Congresso em até 60 dias, prorrogáveis por mais 60.

Porém, as empresas terão a opção de aderir a um regime especial, que será definido por decreto, que é mais brando em termos de carga tributária. Só será possível saber se haverá aumento da carga tributária para as empresas em regime especial depois que as alíquotas forem definidas entre a Receita Federal e o Ministério da Fazenda. Não se sabe se haverá  aumento de carga tributária. Vai depender do ministro. A Receita só vai definir as alíquotas depois.

O aumento da carga de impostos para cigarro é imprescindível para que se desestimule o consumo e conteha a epidemia do tabagismo estando previsto na Convenção Quadro para o Controle do Tabaco, tratado internacional da Organização Mundial da Saúde (OMS), assinado por 172 países, incluindo o Brasil, que se comprometeram a reduzir o consumo de cigarro e demais derivados do tabaco.

Você pode ajudar a acelerar este processo escrevendo ao seu Deputado Federal e ao Seu Senador da Republica via e-mail ou ligando gratuitamente para o 0800 do Alô Senado:

Alô Senado

Alô Senado

e-mail dos Deputados Federais

e-mail dos Senadores da República

Participe, além da sua saúde e da sua família está em jogo a saúde financeira do Tesouro Nacional, afinal tabagismo é uma doença evitável e que gasta cerca de 10% da verba do SUS. 

ADENDO (23/09/2011):

Está em discussão no governo a proposta de uma emenda à Medida Provisória 540 (que aumenta o IPI do cigarro) que beneficia a indústria do cigarro e impede a completa adoção de três importantes formas de combate à política antitabagista em discussão no País: o fim dos fumódromos, o fim da adição de produtos ao tabaco e alterações nos maços do cigarro.

O texto, negociado com o próprio Ministério da Saúde, foi enviado na semana de 20/09/2011 para análise do Ministério do Desenvolvimento Agrário e do Ministério da Agricultura. “Caso esta Emenda passe no Congresso Nacional, Isso vai significar uma ameaça à saúde pública,” alerta o Editor da PULMAOSA o Dr. Marcos Nascimento.

Procure ajuda do seu médico ou do Pneumologista e Pare de fumar!

Fontes:

PULMAOSA – Sua Atmosfera, Sua Vida!

INCa – Instituto Nacional do Câncer

%d blogueiros gostam disto: