Início > DPOC / COPD, DR./MD., Pare de Fumar / Quit, Principal > A Relevância da DPOC na Atual Crise Econômica Mundial

A Relevância da DPOC na Atual Crise Econômica Mundial

14 de novembro de 2011

Dia Mundial da DPOC

A Relevância da DPOC na Atual Crise Econômica Mundial

A palávra DPOC – é uma sigla para Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica – Populamente conhecida como Enfisema pulmonar e bronquite crônica. O Objetivo deste artigo é analizar o impacto da DPOC sobre a produtividade das empresas e em concomitância avaliar a sua relevância para a crise economica mundial.

RX da DPOC e ECONOMIA

DPOC e Economia

A bronquite crônica e o enfisema pulmonar cobram um pedágio caro da economia mundial. Em 2010, o custo nacional anual da DPOC nos Estados Unidos foi estimado em cerca de 49,9 bilhões dólares pelo National Heart, Lung, and Blood Institute [1].

Nos Estados Unidos a DPOC eleva os custos de saúde empresarial pois provoca incapacidade e perda de produtividade. O ônus econômico das doenças pulmonares crónicas sobre as empresas é de fato pesado, sendo este conhecimento uma relevância vital para a gestão de negócios. De maneira que ao propiciar tratamento do tabagismo aliado a uma gestão adequada dos funcionários com esta doença progressiva pode-se economizar custos significativos para uma empresa, e ao mesmo tempo, melhorar a sua produtividade. [2,3]

Os custos médicos foram 3 vezes maior para os empregados portadores da DPOC. Absenteísmo e e o absenteismo presencial são particularmente prevalentes nesta população de pacientes. Como consequência, a sensibilização para a cessação do tabagismo no local de trabalho e implementação de incentivos bem sucedida a parar de fumar, proporcionar o  diagnóstico da DPOC, e incentivar o tratamento precoce, promove uma melhora significativa da produtividade, e reduz consideravelmente os custos para os empregadores. [4]

Normalmente, a alta administração não se interessa pela incidência de doenças ou em promover  pequenas melhorias com medicação e/ou com a prevenção vacinal de infecções, de tal sorte que estas medidas não fazem parte dos rituais para a decisão de negócios.

Mas se os CEOs soubessem que o custo de um empregado com DPOC em média é U$ 20.000 dólares/ano, ao contrário de U$ 8.000 dólares para um empregado sem DPOC – ou em outras palavrasque estão perdendo 12.000 dólares por empregado por causa da DPOC [2],  isso poderia se tornar um incentivo para fazer algo no intuito de conter as perdas de produtividade, que diga-se de passagem são desnecessárias em qualquer momento, e inclusive nesta atual crise mundial de crédito.

Educação via Fórmula Matemática: Tabagismo = DPOC + PLUS

A interação de negócios e iniciativas de regulamentação em saúde pública podem ajudar a reduzir o peso econômico desta doença, a partir da observação da existência de perdas de produtividade tanto para as empresas, quanto para a sociedade que paga seus impostos, mas certamente estes dados têm um papel crucial na prevenção e no tratamento dos portadores da DPOC.
E isto pode e deve começar com a educação sobre a doença …

Ao alertar para a necessidade de se conhecer os custos da DPOC e do tabagismo por parte dos empregadores, e seu impacto para a saúde pública visa-se  fornecer uma outra perspectiva no combate para a crise econômica nos dias de hoje.

Em outro artigo, sugeriu-se via uma “fórmula matemática” que podería expressar o impacto das doenças tabaco-relacionadas, a partir de um anagrama:
Tabagismo = DPOC + Plus [5]

Se com estes alertas pudermos ao menos contribuir para popularizar o termo DPOC, para a compreensão de que ao propiciar diagnóstico e fornecer tratamento precoce tanto para os portadores da DPOC quanto para os tabagistas é uma maneira de se aumentar a produtividade das empresas, estaremos de uma maneira gentil promovendo a diminuição da carga social e econômica sobre estes pacientes com DPOC, e quiçá também salvando vidas. Mais que Matemática, isto seria impagável!

Referências: 

  1. Lung Association. Trends in COPD (chronic bronchitis and emphysema): morbidity and mortality. February 2010. http://www.lungusa.org/findingcures/our-research/trend-reports/copd-trend-report.pdf.Accessed May 23, 2011.
  2. Bunn W, Pikelny D, Vogenberg FR, et al. Validation of employerfocused actuarial model for measuring the economic burden of chronic obstructive pulmonary disease. J Health Productiv. 2008;3:3-8.
  3. Halbert RJ, Isonaka S, George D, Igbal A. Interpreting COPD prevalence estimates: what is the true burden of disease? Chest. 2003;123: 1684-1692.
  4. Darkow T, Kadlubek PJ, Shah H, et al. A retrospective analysis of disability and its related costs among employees with chronic obstructive pulmonary disease. J Occup Environ Med. 2007;49:22-30.
  5. Nascimento, MHS. A Matemática do tabagismo = DPOC + Plus. Site PulmaoSA

Respeitosamente,
Marcos Nascimento, MD.
Professor da PUCPR Faculdade de Medicina

%d blogueiros gostam disto: