Archive

Posts Tagged ‘Asma’

Rock dos Ácaros – Mites’ Rock

13 de outubro de 2013 Comentários desligados

Rock dos Ácaros – Mites’ Rock & Roll

Um dos maiores alérgenos, para quem tem atopias, ou alergias são os ácaros.
Ácaro é a designação comum a algumas espécies de artrópodes da subclasse Acarina, pertencentes à classe dos aracnídeos, subclasse à qual pertencem mais de 30.000 espécies conhecidas, e que vivem em partículas de poeira, habitando carpetes, travesseiros, colchões e sofás.
Para o ácaro provocar uma reação ou crise alérgica, o indivíduo precisa ser sensível aos mesmos, como acontece com os portadores de alergias ou atopias como asma, dermatites, rinite alérgica, etc.
Para evitar ou minorar a possibilidade de crises alérgicas e crises de asma causada por fatores extrínsecos como os ácaros, é importante se preocupar com a higienização de sofás, de colchōes, travesseiros, carpetes, cobertores e outros utensílios que podem acumular poeira, e concomitantemente muitos ácaros!
Afim de ilustrar tanto para adultos e principalmente para as crianças que a prevenção das crises alérgicas passa pelo cuidado da higienização e pela orientação de um médico pneumologista ou alergista veja abaixo o vídeo ” Rock dos ácaros:”

Rock dos ácaros – Mites’ Rock and Roll

Vírus da Gripe em Ação

16 de abril de 2012 Comentários desligados

Como você pode impedir o vírus influenza (marrom) de invadir os cílios (azul) das vias aéreas do pulmão? Com a vacina da gripe!

20120416-100008 PM.jpg

Doenças Crônicas: Pedágio caro para o Brasil, os USA e o Mundo

16 de março de 2012 Comentários desligados

Doenças Crônicas: Pedágio caro para o Brasil e o Mundo

Caso façamos um exercício ou uma pesquisa sobre os assuntos mais abrangentes relatados pela mídia nacional e internacional em meados de março de 2012, nos deparamos coincidentemente com uma serie de fatos que preocupam de maneira urgente e de modo imediatista a sociedade ( ou a própria mídia): Crise econômica na Europa e Estados Unidos, as viagens dos brasileiros ao exterior, o recorde dos impostos batidos sem cessar pelo governo no Brasil, e violências tanto da vida real e quanto virtual…

Muito raramente tem se observado noticias que irão afetar o nosso cotidiano em 5 ou 10 ou 50 anos.

Há uma busca automática pela mídia de fatos que nos impactaram ou irão impactar nos próximos segundos, minutos, dias, e arriscaria no máximo, nos próximos meses.

A exploração de eventos que irão ocorrer em Intervalos maiores tornam-se cada vez mais raros, a exceção talvez da Copa do Mundo de 2014 e das olimpíadas no Rio de Janeiro em 2016 e da Eleição do próximo presidente dos Estados Unidos entre poucos outros…

Muito embora a Organização Mundial de Saúde (OMS) tenha feitos inúmeros alertas, um fato que tem passado ligeiramente despercebido são os impactos e as consequências provocadas pelas doenças crônicas tanto no presente como nos próximos 20 anos.

Mas o que é Doença Crônica?

Doenças crônicas constituem prolongadas condições que muitas vezes não melhoram e raramente são curadas completamente.

Há aquelas que são transmissíveis como tuberculose, doença de Chagas, Hepatites, AIDS, etc., e aquelas que são denominadas não transmissíveis ( também chamadas de não comunicantes) e entre as quais se incluem a diabetes, demência, câncer, insuficiência cardíaca congestiva, DPOC ( Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) a asma brônquica.

A crescente incidência de doença crônica é um desafio para os serviços de saúde no Brasil e em todo o mundo.

As doenças crônicas são de longe a principal causa de mortalidade no mundo, representando 63% de todas as mortes. Dos 36 milhões de pessoas que morreram de doenças crônicas em 2008, nove milhões tinham menos de 60 anos e noventa por cento dessas mortes prematuras ocorreram em países de baixa e média renda.

 No Brasil 72% de todas as mortes foram atribuídas a doenças não transmissíveis em 2007.

Nos próximos 10 anos a OMS projeta um aumento de 22%  totalizando 10 milhões de mortes causadas por doenças crônicas não comunicantes no Brasil, sendo as doenças cardiovasculares a sua maior causa. Morbidade e mortalidade por doenças não transmissíveis são maiores na população mais pobre. As causas mais frequentes associadas às doenças crônicas no Brasil estão listadas na figura 1.


Fig 1- Mortes projetadas por doenças crônicas no Brasil. Adaptado de OMS, NCD Country Profiles 2011.

  -Por que as doenças crônicas têm um impacto tão grande na saúde?

As Doenças crônicas têm um efeito profundo sobre o desenvolvimento físico, emocional e bem-estar mental dos indivíduos, muitas vezes tornando difícil continuar com as atividades diárias normais e relacionamentos. Isto implica em custos severos pessoais com alto impacto para a saúde  que se associa a custos econômicos, uma vez que estão associados a absenteísmo trabalhista, geram licenças médicas que implicam em afastamento temporário ou mesmo permanente do trabalho gerando aposentadorias precoces e, portanto queda no índice de produtividade do país.

Quais os fatores de risco? Como reduzir os riscos de ocorrência de doenças crônicas?

 Os fatores de risco para as doenças crônicas estão associados tanto a características genéticas quanto a critérios adquiridos como os hábitos alimentares como a quantidade de legumes, e frutas (fibras) consumidos, concentração de sódio (sal), de gorduras, gorduras trans (industrializada), e comportamentais como o uso de derivados do tabaco por exemplo.

É preciso lembrar que todos os processos alimentares industriais que geraram ganhos em escala adotados nos séculos 19 e 20, adotaram praticas que elevaram desde as quantidades de pesticidas e agrotóxicos para a produção de alimentos até os índices de gorduras, de sal, açúcar, e de outros conservantes alimentares, muitos de origem artificial. Adoçantes e flavorizantes artificiais se seguiram mais recentemente a introdução por parte da industria alimentar do uso de gorduras modificadas denominadas gorduras trans que aumentam não apenas a crocrância e a durabilidade dos alimentos, mas estão intimamente associadas ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares – Não sendo por isso, permitido mais seu uso em países escandinavos e no Canadá por exemplo.

No entanto, é preciso esclarecer que em muitos casos, os resultados de saúde podem ser melhorados, dependendo do acesso preventivo e precoce a diagnósticos e à serviços médicos apropriados, garantia de tratamento terapêutico, acesso a informação e possibilidade de escolhas individuais que incluem desde a prática de exercícios diários, a proteção de ambientes públicos livres de tabaco (doenças pulmonares crônicas, cânceres) e uma alimentação mais saudável, com por exemplo baixos índices de sódio, ausência total de gorduras trans em alimentos ( doenças cardiovasculares) e a criação de instituições idóneas que meçam os índices da quantidade de agrotóxicos ( associados a cânceres), em partes por bilhão(ppb.) e mesmo por trilhão (ppt.) compatíveis com as exigências da FAO (órgão da ONU responsável pelo controle  da produção de alimentos) e de outros órgãos reguladores europeus e  americanos como o USDA e o FDA.

O Pedágio cobrado pelo Tabaco no Brasil e no Mundo

Entre as doenças crônicas não transmissíveis, vale ressaltar que entre as três maiores causas evitáveis, duas são ocupadas pelo uso de derivados de tabaco. O tabagismo ativo em primeiríssimo lugar seguido na segunda colocação pelos acidentes automobilísticos e na terceira posição pelo tabagismo passivo ou secundário.

É preciso lembrar que o  tabagismo por si só é considerado uma patologia que possui um CID (Código Internacional de Doença) próprio para designá –la, o F17.2. O tabagismo responsabiliza-se pela geração de 52 outras doenças, de maneira que pode-se ilustrar o seu poder de dano ao constatar, ser o principal causador das doenças não comunicantes, provocar 30% de todas as mortes por câncer, inclusive o câncer de pulmão, líder de óbitos desta patologia tanto entre homens quanto em mulheres nos Estados Unidos e no Brasil; E responsabilizar-se por 80% dos óbitos da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), popularmente conhecida como enfisema pulmonar e bronquite crônica.

Pedágio Caro Cobrado em Vidas:

  •  Uso de tabaco matou 100 milhões de pessoas no século 20. Se as tendências atuais continuarem, o tabaco matará um bilhão de pessoas no século 21.
  • O tabaco mata no mundo mais de 5 milhões de pessoas por ano e responde por um em cada 10 mortes entre os adultos.
  • O tabaco matará mais de 8 milhões de pessoas no mundo anualmente até o ano de 2030, com 80 por cento dessas mortes em países de baixa e média renda.
  • O fumo passivo mata mais de 600.000 pessoas em todo o mundo a cada ano, incluindo 165.000 crianças.
  •  A produção de tabaco provoca danos ao meio ambiente por usar agrotóxicos em demasia, poluir e inutilizar os lençóis freáticos, além de desviar terrenos agrícolas que poderiam ser usados para produzir alimentos.

Pedágio no Brasil:

Os custos com o tabaco no Brasil, segundo estudo do Banco Mundial realizado levando em consideração as internações hospitalares associadas ao tabagismo ocorridas no SUS entre 1996 a 2005, giram em torno de Us$ 500 milhões de dólares.

Aproximadamente R$ 340 milhões (Reais) é gasto apenas com internações para os casos de câncer, doenças cardiovasculares e respiratórias atribuíveis ao tabagismo. Soma que equivale a quase 30% dos custos hospitalares totais do SUS para o tratamento dessas enfermidades.

Lembre: Isto decorre do fato do tabagismo estar relacionado a tipos de patologias diferentes, gerando outros 52 códigos internacionais de doenças. Por isto, o fumo leva a um número de óbitos de cerca de 200.000 pessoas por ano no Brasil, matando mais que a Malária, a Varíola e a AIDS juntas, segundo dados do  INCa e do Ministério da Saúde.

Recentemente o IBGE revelou que o número de fumantes no Brasil é de 24,6 milhões, e destes 81,3% (20 milhões), estão acima de 18 anos. E segundo o Datafolha há em relação ao cigarro uma opinião favorável ao aumento de impostos, com 63% da população acenando favoravelmente, e 88% concordam que impostos pagos pela indústria deveriam ir para o setor de saúde, podendo constituir uma solução para o não retorno da impopular CPMF, e ao mesmo tempo equilibrar o orçamento governamental.

Em 2011 o governo brasileiro adotou finalmente uma medida histórica para proteger a saúde pública de mais de 190 milhões de brasileiros ao promulgar uma lei de controle abrangente do tabaco. Assinado pela presidente da república, a nova lei tornou o Brasil o maior país do mundo completamente livre do fumo ativo e passivo.

Entrementes, vale ressaltar que outros ajustes ainda são necessários como a proposição para se proibir venda de cigarros em perímetro escolares, popularizar a espirometria – teste para avaliar a função pulmonar e que permite diagnósticos mais precocemente da DPOC ( o popular “teste do sopro”) assim como uma maior vigilância para coibir a venda avulsa do produto, o que poderia em muito melhorar a proteção junto a crianças e adolescentes. Afinal, a nicotina comprovadamente é a droga que provoca mais mortes no mundo e é diretamente responsável por mais de 90% dos casos de câncer de pulmão, doença com prognóstico ruim e extremamente letal.

Com relação as doenças crônicas algumas soluções podem ser apontadas como sugestões e serem adotadas não apenas pelo poder publico, mas que devido ao grande ganho que podem proporcionar tanto em saúde como em termos de produtividade econômica,  deveriam ser obrigatoriamente do conhecimento e perseguidas pelos administradores de planos de saúde privados e pelos empresas e industriais brasileiros como a OGX, Gerdau, Embraer, Azul Linhas Aéreas, FiESP, os Sinduscon  etc.:

  1.  Que pelo menos 80% das doenças cardiovasculares, derrames cerebrais e diabetes mellitus tipo 2; e 40% dos casos de cânceres poderiam ser previniveis ao se incentivar uma dieta saudável, a prática de exercícios regulares, e evitando-se o uso de todos derivados do tabaco como por exemplo cigarros ou Narguilé;
  2. Que a OMS estima que se houvesse uma redução adicional de 2% no numero de mortes por doenças crônicas no Brasil, nos próximos 10 anos, isto permitiria ao país um ganho econômico de 4 bilhões de dólares – dinheiro este que poderia ser aplicado em Saúde e educação.  Oque possibilitaria eliminar assim o pior peso que uma terra pode suportar que é a ignorância.

FONTES:

OMS – Organização Mundial da Saúde;

PulmaoSA – Sua Atmosfera, Sua Vida! http://pulmaosa.com.br

Siga a PulmaoSA no Twitter: http://twitter.com/PulmaoSA

Be a friend : Facebook PulmaoSA: http://www.facebook.com/PulmaoSA

#Tabagismo é o vilão das Doenças Não Transmissíveis

16 de setembro de 2011 Comentários desligados

Tabagismo lidera as DNTs e causa 15.000 mortes por dia

Educação é a chave para Doenças Não Transmissíveis

Na próxima semana, em Nova York junto a Assembléia das Nações Unidas em 19-20 de setembro, haverá  uma reunião com os seus 193 Estados membros para discutir a respeito das Doenças Não Transmissíveis.

O encontro terá seu foco nas 4 maiores DNTs : Doenças respiratórias crônicas (DPOC, Asma,etc); Câncer,  Diabetes e doenças cárdio –vasculares – Uma vez que a OMS preconiza que estas serão as causas lideres em mortalidade em 2030.

Tabagismo e DNTs:

O tabagismo provoca ao menos 52 doenças e  encontra-se no Top da gênese de pelo menos 3 destas maiores DNTs, sendo portanto o seu grande vilão. Portanto, as estratégias para o controle do tabagismo precisam ultrapassar a mera questão do tratamento. Em termos didáticos podemos explicitar a importância do tabagismo através da seguinte formula matemática:

Tabagismo = DPOC + plus

Em outras palavras, tabagismo é um gerador de Doença Pulmonar, Oncologica e Cardíaca + Pediatrica.

Assim sendo,  segundo o Dr. Marcos Nascimento, Editor Médico da PULMAOSA, “a estratégia de enfrentamento do tabagismo precisa sem dúvida alguma passar pela educação de todos os envolvidos nesta questão: Os médicos e profissionais de saúde, o publico em geral e também os politicos e os gestores de saúde publica e privada.”

Uma forma por exemplo seria falar a linguagem das crianças através do uso de games e Apps, como sugerido com a historia infantil “Zoo Logico?” que poderia ser facilmente adaptada para um Aplicativo de uso em celulares e servir como ferramenta para a educação de crianças e seus pais através de Escolas em todo o mundo.

Veja o Video Oficial da OMS em espanhol da sobre as DNTs:

 Participe você também no controle do tabagismo:

 Encaminhe  um “Bat Sinal”  fazendo uma solicitação ao seu  representante na ONU  para que o seu país cumpra com as normas de controle do tabaco sugeridas pela Convenção Quadro para o Controle do Tabaco, tratado internacional que visa salvaguardar a sua vida. E garanta um 2030 melhor para todos nós!

 

Representante do Brasil na ONU:
Maria Luiza Ribeiro Viotti  Email: delbrasonu@delbrasonu.org

Representante de Portugal na ONU

José Filipe Moraes Cabral Email:portugal@un.int

Representantes de outros países na ONU

FONTE:

PULMAOSANEWS – Pulmão S.A. – Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

Termoplastia Bronquica na Asma Grave e Refratária

19 de julho de 2011 Comentários desligados

Espirometria para Diagnosticar Asma

Novo tratamento para a asma refratária

 

Asma Bronquica

A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas caracterizada por sintomas episódicos de falta de ar, tosse e chiado, que pode aumentar e diminuir ao longo do tempo. Aproximadamente 8,2% da população em geral é afetada.

Asma grave refratária

Para a definição da asma como grave e refratária é necessário atender pelo menos um dos seguintes critérios principais:

  •   Fazer uso de corticóides orais de forma contínua ou quase contínua (> 50% do ano)
  •   Uso de doses elevadas de corticosteróides inalados.

Além disso, o paciente deve apresentar pelo menos dois dos seguintes critérios menores:

  1.      Fazer uso de medicação de controle, como um beta-agonista de longa ação, de um derivado de teofilina, ou um de antagonista de leucotrienos todos os dias;
  2. Usar um agonista beta de curta duração todos os dias ou quase todos os dias;
  3. Ter obstrução das vias aéreas persistente, ou seja, um volume expiratório forçado no 1º segundo (FEV1) inferior a 80% do previsto, ou um pico de fluxo expiratório que tem uma variabilidade diurna superior a 20%;
  4. Uma ou mais consultas no serviço de Emergência por ano devido a exacerbação da asma;
  5. Três ou mais episódios de uso de corticosteróide oral por ano;
  6. Apresentar  deterioração rápida quando a dose de corticóide oral ou inalado for reduzida em 25% ou menos
  7. Ter apresentado um episódio de asma quase fatal no passado.

Termoplastia brônquica

A termoplastia é um método que envolve o fornecimento de energia térmica via emissão por radiofrequência para a parede das vias aéreas, e provoca a remoção das camadas de músculo liso, o que resulta na diminuição da broncoconstrição e portanto na melhora dos sintomas da asma.

 Protocolo de Termoplastia Brônquica

Os pacientes são avaliados previamente e no dia do procedimento para se certificar de sua doença está estável (isto é, se o seu VEF1 pós-broncodilatador é de pelo menos 15% dos valor basal, e eles não apresentam evidência de exacerbação da asma ou infecção ativa), similar ao protocolo utilizado no julgamento AIR2, antes de prosseguir com o tratamento.

Pacientes recebem 50 mg de prednisona 3 dias antes e, novamente, no dia do procedimento. Nebulização com B2 de curta Fenoterol/ albuterol (2,5-5,0 mg) é realizada antes dos pacientes serem submetidos a uma espirometria de rastreio e novamente antes do procedimento. Se o VEF1 pré-procedimento for inferior a 15% abaixo do valor basal, adia-se o procedimento para outro dia.

O procedimento é realizado com o paciente sob sedação consciente moderada, geralmente usando fentanil , midazolam, e lidocaína tópica em um ambiente monitorado. O broncoscópio é inserido, quer através da boca ou nariz, e oxigênio suplementar é fornecida (veja Vídeo acima em inglês)

A termoplastia é realizada com o sistema Alair (Asthmatx, Inc., Sunnyvale, CA), que oferece uma quantidade específica de energia por radiofreqüência (térmica) através de um cateter.

O cateter é implantado através de um canal de 2,0 mm de um broncoscópio flexível, a partir de vias aéreas distais tão pequenas como 3 mm de diâmetro e trabalhando proximalmente. Os sítios tratados são meticulosamente gravados em um mapa das vias aéreas brônquicas para assegurar que os locais de tratamento não são ignorados ou sobrepostas (vídeo acima)

Uma matriz de quatro eletrodos é manualmente expandida para fazer contato com as paredes das vias aéreas; cada eletrodo tem 5 mm de fio exposto.

Conforme a energia é entregue, a unidade de controle mede a resistência elétrica convertida em energia térmica e desliga a corrente quando uma dose adequada é atingida. Esta energia térmica é o que é responsável por alterar o músculo liso das vias respiratórias.

Um ciclo completo de tratamento exige três sessões de broncoscopia separados, cada um, separados por 2-3 semanas.

O Lobo inferior esquerdo e lobo inferior direito são tratados em processos separados, e então ambos os lobos superiores são tratados em um terceiro procedimento para minimizar os sintomas respiratórios. Cada procedimento geralmente requer 50-75 ativações do aparelho e leva até 60 minutos.

Após cada procedimento, o paciente deve ser observado por 3 a 4 horas, e  uma espirometria deve ser repetida. Uma dose de 50 mg de prednisona adicional é prescrito para o dia seguinte ao procedimento.

O FDA ( Agencia reguladora Americana para procedimentos, medicamentos e alimentos) aprovou o método em 2010.

Uma questão que precisa ser estudada é se a termoplastia vai ajudar outras formas de doença pulmonar, como a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Referências:

 PULMAOSANEWS – Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

Thomson NC, Rubin AS, Niven RM, et al, Trial Study Group AIR segurança a longo prazo (5 anos) da termoplastia brônquica:. Asthma Intervention Research julgamento (AIR). BMC Pulm Med 2011; 11:08

PRATIQUE A SUA CIDADANIA NA SEMANA DA SAÚDE NO SENADO

6 de maio de 2011 Comentários desligados

Semana da Saúde no Senado

Por decisão da presidência do Senado e das lideranças partidárias, o Senado vai fazer esforço concentrado, nos próximos dias, para votar 47 projetos da área em tramitação, dentro da “Semana da Saúde”.

Entre os projetos em tramitação na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado está o projeto de lei do então Senador e hoje Governador do Acre Tião Vianna a respeito da necessidade de ajuste da Lei Nacional Anti fumo,  visando proteção a saúde pública o proteger todos os cidadãos contra o fumo passivo em locais públicos e banindo o uso do fumódromo. É um passo necessário a mais para que se evite 200 mil mortes por ano de brasileiros pelas 52 doenças associadas ao tabaco, como DPOC e câncer de pulmão.

O Projeto de Lei n.º 315/2008 do Senador Tião Vianna está alinhado com a proposta de alteração da Lei Federal 9.294/1996, e segue normativas da Convenção Quadro, tratado internacional ratificado pelo Brasil, que visa implementar medidas legislativas, executivas, administrativas e/ou outras medidas adequadas para prevenir e reduzir o consumo de tabaco.

Leia também a opnião expressa da PULMÃO S.A em:  Carta Aberta ao Congresso Nacional

A lei federal precisa de ajuste para proteção da Saúde Pública. O tópico Tabagismo envolve a responsabilidade social de todos os cidadãos brasileiros,pois a fumaça tanto ativa quanto passiva do cigarro e dos derivados do tabaco são sabidamente mortais. É fundamental que nos posicionemos, com coragem, firmeza e transparência!

Repasse o link desta notícia aos seus contatos e participe desta iniciativa!

A PULMÃO S.A apóia abertamente este projeto lei. Por isso incetiva a participação de todos para que o Senado Federal aprove o mesmo. Ligue grátis para o Alô Senado: 0800 61 2212

Ou escreva um e-mail para os Senadores do seu Estado solicitando a aprovação do Projeto de Lei nº 315/2008 do Senador Tião Vianna:   E- mail dos Senadores

Fontes:

PULMÃO S.A.- Sua Atmosfera,Sua Vida!®

INCA-Instituto Nacional de Câncer;

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia – SBPT

Novo Vírus Causa Exacerbação de Asma em Crianças New Virus Cause Several Asthma in Children

19 de agosto de 2010 Comentários desligados

Asma- Asthma

Novo Virus Causa Exacerbação de Asma em Crianças

(PULMAOSANEWS) – Um novo grupo de Rinovirus, responsáveis por ocasionar infecções repiratórias, classificado como pertencente ao grupo C está ocasionando resfriados e provocando exacerbações severas de asma especialmente em crianças, segundo um estudo Australiano, divulgado na última quarta-feira, 19 de agosto de 2010, pela Sociedade Européia de Doenças Respiratórias.

Das 128 crianças ( 2 a 16 anos) avaliadas em serviço de emergência da Universidade de Western Australia em Perth, 85,2% , possuíam histórico de asma persistente moderada e grave, dos quais  98,9% foram internadas. O que segundo o Consultor da PULMÃO S.A. Dr. Marcos Nascimento pode ser um indício de que os novos Rinovirus C podem ter uma predileção por estes pacientes e por aqueles que tem asma classificada como parcialmente controlada e  os não controlados. “De tal sorte que este trabalho constitui um alerta para os pediatras, para os alergistas, e para os pneumologistas,” complementa o Dr. Nascimento.

Como a Asma tem seu principal mecanismo patogênico associado a inflamação brônquica, é de fundamental importância que se estabeleça uma barreira de proteção para estes pacientes mais suscetíveis.

Como criar uma barreira que proteja e minore o risco de mortalidade destes pacientes se não há vacinas para vírus de resfriados como o Rinovírus?  A criação da barreira de proteção significa manter o paciente asmático controlado, de maneira a diminuir os sintomas e evitar as exacerbações.

Neste contexto, há a necessidade de ter um acompanhamento regular médico, realizar espirometrias anuais e ter o seu tratamento de manutenção monitorado por profissional médico.

Envolvimento da família é crucial na educação sobre a doença, afim de que o paciente possa eliminar e controlar os fatores desencadeantes e até mesmo abortar uma crise de asma, sendo necessário o estabelecimento de um plano de ação escrito para todos os pacientes asmáticos, mas principalmente para os com asma persistente moderada e grave, alvos deste novo Rinovirus C.

Ter cobertura vacinal tanto para influenza pandêmica H1N1 quanto para a sazonal e também estar protegido com as vacinas anti pneumocócicas, heptavalente, treze valente e a Pneumo-23.

Por fim, deve-se lembrar sempre aos pais e aos pacientes com asma a necessidade obrigatória de não fumar! Afinal  as formas de  tabagismo  tanto ativo quanto passivo, e o tabagismo terciário agravam severamente a asma, e  constitui fator para  exacerbações múltiplas, colocando o paciente em risco maior de infecções respiratórias em geral como a do novo Rinovírus C.

FONTES:

PULMAOSANEWS-  Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

Bizzintino J. et al. Eur Respir J. 2010 Aug 6. [Epub ahead of print]

ENGLISH

New Virus Cause Several Asthma in Children

VIRUS

A new group of viruses responsible for causing colds, family Rhinovirus, and classified as belonging to group C ( HRVC)  is causing colds and causing severe exacerbations of asthma especially in children, according to an Australian study, released on this Wednesday, August 19 2010 by the European Respiratory Society.
Of the 128 children (2-16 years) evaluated in the emergency department at the University of Western Australia in Perth, 85.2% had a history of moderate to severe persistent asthma, of whom 98.9% were hospitalized.

According to the Consultant of  PULMAOSA Dr. Marcos Nascimento, it can be an indication that the new HRVC  may have a predilection for these patients and those who have asthma classified as partially controlled and uncontrolled asthma. “So that this work is an alert for pediatrician, allergists, and pulmonologists,” adds Dr. Nascimento.

Because asthma has its main pathogenic mechanism associated with bronchial inflammation, is of fundamental importance to establish a protective barrier for these patients more susceptible.
How to create a barrier that protects and lessen the risk of mortality in these patients if there is no vaccines for viruses like colds Rhinovirus?

The creation of a protection shield means maintaining the asthmatic patient controlled, so as to lessen symptoms and prevent the exacerbations.

In this context, the need for regular monitoring physician, perform at least an  spirometry each year, and have maintenance treatment monitored by medical professionals is a si ne qua non condition.
Family involvement is crucial to education about the disease, so that the patient can control and eliminate the triggers and even abort an asthma attack, which required the establishment of a written plan of action for all asthma patients, but mainly for those with moderate to severe persistent asthma, new targets for this Rhinovirus C.

Have coverage for both influenza pandemic H1N1 as for seasonal and also be protected with the pneumococcal vaccine, heptavalent, thirteen brave and Pneumo-23.

Finally, one should always remember to parents and patients with asthma the mandatory no smoking! After all forms of active smoking, passive smoking and third Hand Smoking severely aggravate asthma, and constitutes a factor for multiple exacerbations, putting the patient at greater risk of respiratory infections in general as the new Rhinovirus C.

SOURCES:

PULMAOSANEWS-Your atmosphere, Your Life! ®
Bizzintino J. et al. Eur Respir J. 2010 Aug 6. [Epub ahead of print]

%d blogueiros gostam disto: