Arquivo

Posts Tagged ‘curitiba e Gripe Suína’

Coloque na Agenda: Vacina da Gripe √

27 de abril de 2011 Comentários desligados

Campanha Nacional de Vacinação da gripe 2011

Coloque na Agenda: Vacina da gripe √

A partir de segunda-feira, 25 de abril inicia-se no Brasil a campanha nacional de vacinação contra a influenza (gripe). A meta do governo brasileiro é vacinar de 24 milhões a 30 milhões de pessoas até o dia 13 de maio de 2011.

Os alvos da campanha de 2011 são: os idosos com mais de 60 anos, indígenas, gestantes e crianças entre seis meses e menos de dois anos de idade devem ser imunizados contra a gripe, dentro da campanha nacional de vacinação.

A PULMÃO S.A. alerta para a necessidade de 2 doses de vacina para as crianças.

A vacina é triviral, portanto oferece cobertura contra os três virus influenza , definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) : 1. H1N1 tipo A,  pandêmico  2009 ( Vírus da gripe suína); 2. H3N2 tipo A e 3. Um virus influenza tipo B.

Vale a pena lembrar que dentre as contra indicações para vacina estão a alergia a albumina (proteína do ovo) e encontrar-se em estado febril no dia da vacinação.

A vacina antiinfluenza é protocolarmente indicada também aos portadores de doenças crônicas, como DPOC, Asma brônquica, Insuficiência Cardíaca, Diabetes Mellitus, etc  pois ao adquirirem gripe têm maior risco de complicações como a pneumonia bacteriana, o que pode tornar necessário a internação hospitalar. Uma vez que a vacina antiinfluenza reduz o risco de gripe, e em concomitância minora o risco de complicações bacterianas, deveria ser também oferecida aos portadores de doenças crônicas, segundo o editor médico da PULMÃO S.A. , o Dr. Marcos Nascimento.

Lembre:

1. Os sintomas da gripe iniciam entre 1 e 7 dias após a infecção ( e têm um período de incubação médio de 2 dias). O início é súbito com febre em geral alta ( > 37,8ºC), mialgia (dor no corpo), dor de cabeça e tosse seca e coriza. Caso seu filho apresente estes sintomas não o leve a escola, e procure um médico.

2. Utilize lenços de papel ao espirrar e use sabão comum e álcool gel a 70% para a higienização das mãos;

3. Antitérmicos e analgésicos podem ser utilizados para controlar os sintomas da gripe, principalmente a febre e a dor, porém não agem contra o vírus da gripe, e devem ser orientados por um médico.

4. A utilização de medicamentos que contenham em sua formula o ácido acetilsalicílico (AAS®, Aspirina®, Doril®, Melhoral® etc.) é terminantemente proibida em crianças com gripe, pela possibilidade de desenvolver a Síndrome de Reye.  Esta síndrome, é rara, mas possui alta letalidade, e como supracitado, está associada ao uso do ácido acetilsalicílico durante infecções virais em crianças, sendo caracterizada por comprometimento do Sistema nervoso Central e hepático. Por isto, sempre consulte um médico antes de tomar qualquer medicamento.

FONTES:

1.PULMÂO S.A. – Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

2.Cives- UFRJ

3. OMS Arquivos.

Gripe Suína Paraná- Brasil Junho de 2010 – Swine Flu in Parana, Brazil uptodate June 2010

24 de junho de 2010 Comentários desligados

Gripe Suína Paraná Junho de 2010

Paraná em destaque -Brazil map and Parana State in Blue

Curitiba- PULMAOSANEWS-  A Secretaria de Saúde do Estado do Paraná informa em seu último boletim   de junho de 2010 que o Paraná confirmou 1.419 casos de gripe pandêmica H1N1 no Estado no ano de 2010, sendo que 15 pessoas evoluíram com complicações e foram a óbito. Outros 2.377 casos de síndrome gripal foram negativos para o vírus H1N1 pandêmico.

Óbitos por H1N1 segundo genero - H1N1 Deaths by sex

Segundo dados epidemiológicos da Secretaria de Estado do Paraná houve uma maior concentração de óbitos na faixa de 20 a 49 anos, perfazendo 33,3% do total, justamente a faixa com maior registro de atrasos na meta de vacinação nacional contra a influenza H1N1.

Nota-se também um predomínio de registro de óbitos para o sexo feminino(73%), contra 27% para o sexo masculino.  Conforme expresso no gráfico e tabela 1.

Tabela1: Distribuição de óbitos confirmados por faixa Etária:

Faixa etária N° de casos %
0- 4 anos 2 13,3%
5- 19 anos 3 20,0%
20- 49 anos 5 33,3%
50- 59 anos 2 13,3%
60 e mais 3 20,0%
TOTAL 15 100%

A PULMÃO S.A. reforça a necessidade de continuar observando as medidas de proteção como a etiqueta da tosse, e a utilização de métodos de barreira como lenços de papel ao tossir ou espirrar. Lavar as mãos com água e sabão e utilizar álcool gel a70% continuam sendo necessários tal qual procurar evitar locais com grande aglomeração de pessoas.

Estas medidas de prevenção valem para todos, mas em especial para os portadores de doenças crônicas como Asma brônquica e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica ( DPOC), insuficiência renal, etc. E também para aqueles que não receberam a vacina antiinfluenza H1N1.

Lembre: A vacina anti H1N1 é a melhor maneira de se proteger contra a gripe suína/ gripe A.

Fontes:

PULMAOSANEWS – PULMAOSA – Sua Atmosfera, Sua Vida!®

SESA- Secretaria de Saúde do Estado do Paraná- Brasil

Vacinação contra H1N1 supera a meta no Brasil – Vaccination against H1N1 surpasses goal in Brazil

17 de junho de 2010 Comentários desligados

Vacinação contra a influenza H1N1 supera a meta no Brasil

2010 vacinação H1N1 Brasil - H1N1 Brazil Vaccination

Até o dia 16 de junho de 2010, o Brasil conseguiu vacinar 81milhões de habitantes contra a gripe pandêmica H1N1, conforme dados informados pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde. O País ultrapassou a meta de vacinar pelo menos 80% do público-alvo para a estratégia de imunização contra a gripe A.

Nos grupos populacionais específicos, a meta de vacinar pelo menos 80% do público-alvo foi atingida entre doentes crônicos, crianças menores de 2 anos, adultos de 20 a 29 anos, trabalhadores de saúde e indígenas. Ainda não atingiram a meta o grupo de adultos de 30 a 39 anos (70% de cobertura), gestantes (73%) e crianças de 2 anos a menores de 5 (40% de cobertura).

Entre os Estados com maior cobertura o Paraná recebe destaque,tendo atingido 106% da meta, seguido de São Paulo e Santa Catarina, ambos com 97% da meta. Aspiores coberturas ficaram com Bahia (73%), Amazonas (70%) e Roraima (69% da meta). Veja figura 2:

Fig.2 Cobertura Vacinal H1N1 por Estados- H1N1 Vaccination in Brazil

Casos com Evolução desfavorável
Em 2010, de Janeiro a junho houve 609 internações por gripe suína, com 74 óbitos. Dessas,61% tinham fatores de risco(54) e 27% dos óbitos eram gestantes (20). A maior parte dos óbitos (57%) ocorreu na região Norte, perfazendo o total de 42.

Em 2009, foram registrados 2.051 óbitos pela nova gripe no país. Desse total, 1.539 (75%) ocorreram em pessoas com doenças crônicas e 189 (9%) entre gestantes.

A PULMÃO S.A. chama a atenção para estes fatos alertando para o maior risco entre os portadores de doenças crônicas como asma brônquica, que foi a maior causa de internação por pneumonia associada a gripe H1N1, tanto em crianças quanto em adultos nos Estados unidos em 2009.

A PULMÃO S.A. relembra a necessidade de se dar continuidade para os métodos de proteção de barreira, como a etiqueta da tosse: tossir em lenços de papel e depois descartá-los em lixo comum, lavar as mãos com água e sabão e na sua impossibilidade usar álcool gel, além de evitar aglomerações.

Caso não tenha se vacinado, lembre: A vacina constitui o principal meio de proteção para você e sua família.Vacine-se!

FONTES:

PULMAOSANEWS- PULMÃO S.A.- Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

Ministério da Saúde do Brasil.

ENGLISH

Vaccination against influenza H1N1 surpasses goal in Brazil

Until the day June 16, 2010 Brazil managed 81 million people vaccinate against H1N1 pandemic influenza, according to data reported by State and County Health Offices.

The country surpassed the goal of vaccinating at least 80% of the target audience for the strategy immunization against new influenza A.

In specific population groups, the goal of vaccinating at least 80% of the target audience was reached among the chronically ill, children under 2 years, adults 20-29 years, health workers and indigenous people. Not yet reached the target group of adults 30-39 years (70% coverage), women (73%) and children from 2 years to under 5 (40% coverage).

Among the states with the largest coverage Paraná receives prominence, reaching 106% of target, followed by São Paulo and Santa Catarina, both with 97% of target. The worst index of vaccination was left by Bahia (73%), Amazonas (70%) and Roraima (69% of target). See Figure 2, above.

Cases with unfavorable evolution

In 2010, January to June there were 609 hospitalizations for flu, with 74 deaths. Of these, 61% had risk factors (54) and 27% of deaths were women (20). Most deaths (57%) occurred in the north, totaling 42.
In 2009, Brazil recorded 2051 deaths from the new flu. Of this total, 1,539 (75%) occurred in people with chronic illnesses and 189 (9%) among pregnant women.

The PULMAOSA draws attention to these facts to warn the increased risk among patients with chronic diseases such as bronchial asthma, which was a major cause of hospitalization for pneumonia associated with influenza H1N1 in the United States in 2009, associated with COPD, and pregnant women.

The PULMAOSA recalls the need to give continuity to the methods of barrier protection such as the cough care: coughing into tissues and then discard them in trash, wash hands with soap and water and when it is impossible use alcohol gel. Finally, avoid crowds.
If you have not been vaccinated, remember: Vaccination is the main protection for you and your family. Vaccine up!

SOURCES:

PULMAOSANEWS-LUNGS: Your atmosphere, Your Life! ®
Ministry of Health of Brazil

Paraná e Rio de Janeiro prorrogam Vacina H1N1 até 11 de Junho – Parana and Rio will extend H1N1 Vaccination until June 11

2 de junho de 2010 Comentários desligados

Vacina H1N1 Vaccine

As Secretarias Municipal de Saúde  do Rio de Janeiro e Estadual do Paraná prorrogaram até o dia 11 de junho a vacinação contra a Influenza H1N1.

A prorrogação da campanha de vacinação será prioritária para dois grupos no Estado do Paraná: Gestantes e crianças de 2 a 5 anos incompletos poderão tomar a vacina.

Na cidade do Rio de Janeiro, Jovens de 20 a 39 anos e pessoas com mais de 60 anos portadoras de doenças crônicas vão poder se vacinar.Os idosos poderão tomar de uma vez as vacinas contra a gripe H1N1 e contra a gripe comum, que também teve seu período de imunização estendido até a mesma data.

O Paraná este ano já registrou 1.223 casos confirmados da doença e outros 1.937  foram PCR negativo para gripe pandemica H1N1. Onze pacientes evoluíram com complicação do quadro clínico e foram a óbito.

A PULMÃO S.A. relembra a necessidade de se complementar a segunda dose da vacina para crianças, quer seja na rede pública ou privada, para atingir eficácia máxima na imunização contra o vírus H1N1.

Fontes:

PULMAOSANEWS

Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro;

Secretaria Estadual de Saúde do Paraná.

ENGLISH

The Health Secretariats of the city of Rio de Janeiro and Parana State extended until June 11 the period to vaccine against H1N1.

The extension of the vaccination campaign will be the priority for two groups in the State of Paraná: Pregnant women and children 2-5 years incomplete may take the vaccine.

In Rio de Janeiro, young people of  20-39 years old and over 60 years old with chronic diseases will be able to receive a vaccine shot. The elderly may take the vaccines against H1N1 influenza and the seasonal flu, which also had its immunization period extended until the same date.

Parana has already registered this year 1223 confirmed swine flu cases and 1937 others were PCR negative. Eleven patients developed clinical complications and died.

Sources:

PULMAOSANEWS
Health Secretariat of Rio de Janeiro City;
Department of Health of Paraná State

Destino: PULMÃO!

13 de maio de 2010 Comentários desligados

Destino: PULMÃO!

2010:Ano Internacional do Pulmão:

Para marcar a data, a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia ( SBPT ) convida toda a população a uma viagem Insólita pelo interior de um pulmão Gigante e inflável dividido  em sete compartimentos  dotados de cartazes e monitores, onde os visitantes assistirão a vídeos e receberão informações sobre as doenças mais prevalentes como tuberculose, asma, DPOC, câncer, tabagismo e pneumonia.

A exposição passará por diversas capitais até 20 de novembro, como parte das comemorações do Ano do Pulmão.

A exposição já passou por São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e fará sua próxima escala em Curitiba entre 10 e 13 de Novembro de 2010, evento realizado pela SBPT ( Sociedade  Brasileira de Pneumologia e Tisiologia), que sediará na Praça Rui Barbosa -Centro de Curitiba, o evento Pulmão Gigante.


Veja abaixo os locais e datas e horários de exposição no Brasil:

Abril
– De 30/04 a 02/05
Local
Parque das Bicicletas – São Paulo/SP
Horário

Maio
– De 27 a 30/05

Planetário da Gávea – Rio de Janeiro/RJ Dias 27 e 28 – 10h até 17h
Dias 29 e 30 -15h até 19h
Junho
– De 10/06 a 13/06
– De 17/06 a 20/06
Praça do Papa – Belo Horizonte/MG
Shopping Pátio Brasil – Brasília/DF

Julho
– De 08 a 11/07
– De 29 a 01/08
SESC Piatã – Salvador/BA
Parque Jaqueira – Recife/PE
Agosto
– De 26 a 29/08
AMRGS – Porto Alegre/RS
Novembro
De 10 a 13/11
Praça Rui Barbosa – Curitiba/PR


GOOGLE MAPS

Mortes pediátricas por H1N1 nos USA foi 4 vezes maior que gripe comum -H1N1 Pediatric deaths in the USA were 4 times larger than seasonal influenza

7 de maio de 2010 Comentários desligados

Influenza Virus

Mortes pediátricas por H1N1 nos Estados Unidos é 4 vezes maior que gripe comum

PULMAOSANEWS– Orlando, FL- Em comunicado realizado durante reunião da Academia  Americana de Pediatria  fora constatado por técnicos do CDC que a pandemia de gripe H1N1 matou 317 crianças em suas duas primeiras ondas nos Estados Unidos! Este número é quase quatro vezes o número médio de mortes pediátricas – observado nas últimas cinco estações de gripe, que foram 82.

A maioria dos óbitos aconteceram em crianças pertencentes a grupos de risco e numa faixa etária média de 9,4 anos, portanto mais velhas em comparação com o grupo comumente afetado pela gripe comum ou sazonal, cuja média foi de 6,2 anos. uma diferença que era significativo em P <0,01.

Este dado corrobora e reforça o pedido realizado pela PULMAOSA para que o Ministério da Saúde  estenda a cobertura dos escolares no Brasil.

O CDC informa ainda que dos óbitos associados à gripe pandêmica, 205 (ou 65%) tinha uma condição de alto risco médica subjacente.

Essas condições incluem doença pulmonar obstrutiva crônica, distúrbios neurológicos, Asma e doença cardíaca.   Mas, em contrapartida, entre os 155 que morreram nas últimas duas temporadas da gripe, apenas 67 (ou 43%) eram portadores destas comorbidades.

Não houve diferenças significativas na raça, gênero ou etnia, segundo o CDC.

Acesse a PULMAOSA no TWITTER

FONTES:

PULMAOSANEWS

CDC- USA

ENGLISH

H1N1 Pediatric deaths in the USA was 4 times larger than seasonal influenza


PULMAOSANEWS– Orlando, FL-In a statement during a meeting of the American Academy of Pediatrics, the CDC’s experts told that pandemic influenza H1N1 has killed 317 children in their first two waves in the USA! This number is almost four times the average number of pediatric deaths – observed in the past five flu seasons, which were 82.

Most deaths occurred in children belonging to risk groups and a mean age of 9.4 years, so older compared with the group commonly affected by common cold or seasonal, which averaged 6.2 years, a difference that was significant at    P <0.01.

This finding corroborates and reinforces the claim made by PULMAOSA for the Ministry of Health to extend the coverage of schoolchildren in Brazil.
The CDC also said that the deaths related to pandemic influenza, 205 (or 65%) had a high risk condition underlying medical.

These conditions include chronic obstructive pulmonary disease, neurological disorders, Asthma and heart disease. But in contrast, among the 155 who died in the last two flu seasons, only 67 (or 43%) were carriers of these comorbidities.
No significant differences in race, gender or ethnicity was observed, according to the CDC.

Follow us at TWITTER

SOURCES:

PULMAOSANEWS
CDC-USA

Categorias:H1N1, Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Cobertura vacinal contra o H1N1 no Brasil preocupa- Vaccination coverage against H1N1 in Brazil worries

21 de abril de 2010 Comentários desligados

Cobertura vacinal contra o H1N1 no Brasil preocupa

Decorrido mais de um mês após o início da campanha vacinal antiinfluenza A/H1N1 no Brasil, a cobertura vacinal encontra-se abaixo da meta estipulada de atingir 80% da população.

Entre as faixas de grupos de risco, apenas a dos profissionais de saúde e a de crianças entre seis meses e dois anos atingindo 100% e 86% das metas estipuladas.

A cobertura de gestantes, doentes crônicos e dos jovens entre 20 e 29 anos está em 54%, 56,2%, e 41% respectivamente.

Analisando os dados da cobertura vacinal, o Brasil encontra-se com 51,5%.

Na análise da cobertura por regiões do Brasil, observa-se a região Sul com a melhor cobertura com 61,6%, seguida do Sudeste (53,8%), Centro- Oeste (48,9%), Nordeste (46,4%) e a região Norte com 44,2%.

Entre os Estados da Federação, Mato Grosso registra até o momento a menor cobertura vacinal, atingido apenas 32,7% da meta. No Sudeste o Estado do Rio de Janeiro registra a menor cobertura antiinfluenza A, entre os 4 estados da região.( Veja Figura 1).

Faz-se necessário que as secretarias de Saúde das unidades da federação com baixa cobertura vacinal montem uma logística especial para que as populações de risco recebam a vacina. Adotar prática de vacinar os jovens nas escolas, ou mesmo os demais grupos de risco nos Aeroportos, nas estações de trem, metrô, rodoviária e  das Barcas,no caso do Rio de janeiro por exemplo, além de indicado seria desejável!

Vacinação H1N1 Brasil- H1N1 Vaccination

A Vacina é o melhor instrumento para a proteção contra a gripe suína, e, portanto constitui uma das chaves para o controle da pandemia do vírus influenza H1N1, além da obediência ao período de quarentena de 7 dias para adultos e de 14 dias para crianças e adolescentes explica o editor chefe do PULMÃO S.A., o Dr. Marcos Nascimento.

“No ano passado contávamos apenas com as medidas profiláticas como cuidado em lavar as mãos com água e sabão, o uso de álcool gel na impossibilidade de lavar as mãos, e as medidas de proteção por métodos de barreira como o uso de lenços de papel, a etiqueta da tosse, e a obediência da quarentena.

Estimativas dão conta de que aproximadamente entre 5 e 10% da população de grandes centros urbanos tiveram gripe Suína em 2009, e, portanto a população suscetível (sob risco), ainda é muito alta,” complementa o  Dr. Marcos Nascimento.

A Vacina é imprescindível para que haja diminuição no impacto no número de casos e nos eventos indesejáveis como internações em UTI ou mesmo óbitos. A proteção deve ser realizada prioritariamente nos grupos de risco, com destaque para as gestantes e os portadores de asma brônquica (principal comorbidade associada à internação tanto em crianças como em adultos, por gripe A nos Estados Unidos).

Nos Estados Unidos os estados com cobertura vacinal abaixo da meta, como a Geórgia e o Alabama registraram surtos de gripe H1N1 em Março de 2010, fora do período de pico de gripe e aumento no número de internações por complicações. Este acontecimento serve de alerta pois a repetição deste fato no Brasil realmente preocupa.

FONTES:

PULMÃO S.A.- Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

CDC- Centro de Controle e Prevenção de Doenças USA;

Ministério da Saúde- Brasil

ENGLISH

Vaccination coverage against H1N1 in Brazil worries

More than a month after the start of the campaign anti-influenza A/H1N1 vaccine in Brazil, the vaccine coverage is below the established goal of achieving 80% of the population.

Among the risk groups, only health professionals and children between six months and two years reaching 100% and 86%, respectively of fixed targets.

The coverage of pregnant women, chronically ill and young people between 20 and 29 years is 54%, 56.2% and 41% respectively.

Analyzing the data of vaccination coverage, Brazil meets 51.5%.

In the analysis of the coverage areas of Brazil, observed the States of South Region with the best coverage with 61.6% ,followed by the Southeast (53.8%), Midwest (48.9%), Northeast (46.4 %) and Northern region with only 44.2%.

Among the Federation States, Mato Grosso records so far the lowest immunization coverage was achieved only 32.7% of target. In the Southeastern Region of the Country, the State of Rio de Janeiro registers the lowest coverage anti-influenza A, among the 4 states of the Region. (See Figure 1, above).

It is necessary that Secretariats of Health of  the States with low immunization coverage assemble a special logistics for at-risk populations receive the vaccine. Adopt practice of vaccinating young people in schools, or other risk groups in airports, train stations, subway, bus and boat station in case of Rio de Janeiro for example, is not only indicated, but it would be desirable, said Dr. Marcos Nascimento, chief editor of  PULMAOSA.

The vaccine is the best instrument for protection against swine flu, and therefore constitutes a key to controlling the pandemic of H1N1 influenza virus, besides obeying the quarantine period of 7 days for adults and 14 days for children and adolescents explains Dr. Marcos Nascimento.

“Last year we had only prophylactic measures such as careful hand washing with soap and water, using alcohol gel unable to wash their hands, and protection measures for barrier methods like the use of tissues, the label of cough, and obedience of the quarantine.

Estimates report that approximately 5 to 10% of the population in large urban centers had Swine Flu in 2009, and therefore the susceptible population (at risk), it is still very high, “adds Dr. Nascimento.

The vaccine is essential for there to be a decrease in the impact on the number of cases and undesirable events such as ICU admissions or deaths. The protection should be performed primarily in risk groups, especially pregnant women and patients with  asthma (main comorbidity associated with hospitalization in both children and adults, from the Swine Flu in the U.S.A.).

In the U.S. the states with coverage below the target, such as Georgia and Alabama have reported outbreaks of H1N1 in March 2010, outside the peak period of influenza and registred an increased number of hospitalizations due to complications.

This event serves as a warning because the repetition of this fact in Brazil really worries.

SOURCES:

PULMAOSA, Lungs: Your atmosphere, Your Life! ®

CDC Center for Disease Control and Prevention, USA;

Ministry of Health, Brazil


Categorias:H1N1, Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: