Archive

Posts Tagged ‘DPOC e logística’

De Mãe para mãe: Dicas de como parar de fumar no dia das mães

14 de maio de 2012 Comentários desligados

De Mãe para Mãe : Dicas de como parar de fumar no dia dos mães

A @PulmaoSA tem a honra de apresentar um video do CDC, editado e legendado pelo Centro de apoio ao tabagista do Rio de Janeiro ( CAT), com dicas preciosas de uma mãe ex- fumante para parar de fumar:

Fontes:

CDC – Center for Diseases Control – USA;

CAT – Centro de Apoio ao Tabagista – Rio de Janeiro

Consumo de cigarros no Brasil cai para menos de 15%

10 de abril de 2012 Comentários desligados

Consumo de cigarros no Brasil cai para menos de 15%

(Rio de janeiro e Brasília) O Ministério da Saúde do Brasil divulgou nesta terça-feira (10) a pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), onde registra pela primeira vez desde que os dados passaram a ser colhidos em 2006 que o número de fumantes no país caiu de 15,1% em 2010 para 14,8% em 2011. Quando a pesquisa começou a ser feita, em 2006, a proporção de fumantes no país era de 16,2%.

A pesquisa Vigitel foi realizada com 54.144 pessoas, nas 26 capitais dos estados brasileiros e mais Brasília (distrito federal)

DADOS

  • 11,8% dos brasileiros são fumantes passivos – pessoas que não fumam, mas moram com pelo menos um fumante. Além disso, 12,2% das pessoas que não fumam convivem com algum colega fumante no trabalho
  • O número de fumantes pesados – que fumam mais de 20 cigarros por dia – também caiu e está em 4,3%.
  • A frequência de fumantes permanece maior entre homens (18,1%), em comparaçnao com as mulheres (12%). No entanto, a população masculina lidera a redução do hábito de fumar – 25% dos homens declararam ter parado de fumar.
  • 200.000 brasileiros morrem por ano por causas associadas ao tabagismo, como doenças cardiovasculares, câncer de pulmão e doença pulmonar obstrutiva crônica ( bronquite crônica e enfisema pulmonar).
  • Gasto público no Brasil com o tabagismo: R$ 19 milhões por ano com diagnóstico e tratamento de doenças causadas por tabagismo passivo.

Capitais
As capitais do Sul do país registraram o maior percentual de fumantes no país: Porto Alegre com 22,6%, seguida por Curitiba com20,2%. São Paulo na região sudeste é a terceira cidade do ranking com 19,3%. As capitais com menos fumantes são: Maceió (7,8%), Salvador (8,6%), Aracaju (9,4%) e João Pessoa (9,4%). No Distrito Federal o percentual é de 13,5% e no Rio de Janeiro é de 14,1%.

Segundo o Dr. Marcos Nascimento, consultor médico da @PulmaoSA, “aliado a uma prevenção maior destinada as mulheres, os jovens e as crianças, estes dados apontam para a necessidade de se implantar também políticas regionalizadas visando obter uma maior redução no consumo dos derivados de tabaco e intensificar a tendência de queda do tabagismo no Brasil.”

 Alvos Estratégicos:

  • “ Os dados apontam também para necessidade de mais incentivo para a prevenção do tabagismo via educação escolar, uma vez que quanto maior a escolaridade, menor a chance de a pessoa começar a fumar.’
  • Um outro alvo regional para o ministério da Saúde, mas também para os Ministérios da Justiça e da fazenda  e que estende seus tentáculos para o resto do país, é o cigarro contrabandeado proveniente do Paraguai, que registra um forte consumo no sul do Brasil, e onera o erário duplamente por não arrecadar impostos e provocar mais de 50 doenças tabaco relacionadas.
  • Isto poderia ser aliado a uma política de substituição da cultura do tabaco por outras comoditties como trigo/ Milho/ soja já existentes na região sul, e poderia se somar ao de frutas com alto valor agregado como amoras e mirtilo,  associando-se a criação de um diferencial com frutas e legumes por exemplo, com baixos índices de agrotóxicos que poderiam ser destinados não apenas ao mercado interno em expansão mas com o propósito também de ganhar o mercado internacional que exige altos índices de segurança alimentar, complementa o Dr. Nascimento.”

 

FONTES:

Ministério da Saúde do Brasil – 2011, Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico);

Australia: o país que se tornou um sinônimo de Saúde Pública

1 de abril de 2012 Comentários desligados

Australia: o país  que se tornou um sinônimo de Saúde Pública

Mesmo enfrentando processos movidos pela indústria tabagista em cortes internacionais, a Austrália decidiu definitivamente entrar na vanguarda em termos de saúde Pública e deve se tornar, no final de 2012, o primeiro país a retirar as logomarcas dos maços de cigarros.

Como já abordado em artigo recente pela PULMAOSA, intitulado ” O Bat sinal da Austrália,” o país vai adotar uma embalagem padronizada para os maços de cigarros, eliminando assim as cores e chamarizes para os jovens e as crianças.

Este é o papel de quem zela pela saúde pública do seu povo, afirma o editor médico da PULMAOSA, o Dr. Marcos Nascimento. “Todavia, para o sucesso desta medida, merecedora de aplausos, a Organização Mundial da Saúde e os 170 países que ratificaram a convenção Quadro para o Controle do Tabaco, como o Brasil e o Uruguai deveriam apoiar a Austrália, e não devem ficar esperando pelo resultado dos julgamentos dos processos movidos pela indústria do fumo. Não restam dúvidas, dada a grandeza e o exemplo da medida australiana,  que a OMS deveria aconselhar aos demais países a seguirem o exemplo da Australia,” complementa o Dr. Nascimento.

FONTES:

PULMAOSA NEWS

Convenção Quadro para o Controle do Tabaco, OMS: Organização Mundial de Saúde.

Pulmões Sempre Trabalhando!

5 de dezembro de 2011 Comentários desligados

Melhore a Saúde do seu Pulmão: Sorria!

Pulmões Sempre Trabalhando!

Seus pulmões realizam um trabalho surpreendente todos os dias. Funcionam como uma grande hidrelétrica, fornecedora de  energia (leia-se oxigênio), para um país ( para todo o corpo).

Pulmões saudáveis  fornecem grandes quantidades de oxigênio para o sangue, e é isto que lhe permite trabalhar, andar, correr, brincar e viver bem. Eles também removem o dióxido de carbono (CO2), e outros gases residuais que seu corpo não precisa. Há muitas coisas que você pode fazer para manter seus pulmões saudáveis e livre de doença. Veja as dicas e o vídeo abaixo:

  1. Você fuma? Então, procure ajuda para parar de fumar;
  2. Evite o fumo passivo: proteja tanto você, quanto os entes queridos e mesmo os seus animais de estimação;
  3. Seja criativo para proteger os pulmões das crianças;
  4. Mantenha as suas mãos e a das crianças lavadas com água e sabão;
  5. Vacine-se contra a gripe e proteja-se com as vacinas antipneumocócicas;
  6. Proteja-se da poluição ambiental, e no trabalho procure usar Equipamentos de proteção Individual (EPI);
  7. Siga a @PulmaoSA no Twitter e Torne-se um amigo da @PulmaoSA no Facebook!
  8. Lembre-se dos remédios que não estão em frascos: Sorria mais para ter uma saúde pulmonar melhor!

 

 

FONTES:

PULMÃO S.A. – Sua Atmosfera, Sua Vida!®

YouTube Free Videos

A Relevância da DPOC na Atual Crise Econômica Mundial

14 de novembro de 2011 Comentários desligados

Dia Mundial da DPOC

A Relevância da DPOC na Atual Crise Econômica Mundial

A palávra DPOC – é uma sigla para Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica – Populamente conhecida como Enfisema pulmonar e bronquite crônica. O Objetivo deste artigo é analizar o impacto da DPOC sobre a produtividade das empresas e em concomitância avaliar a sua relevância para a crise economica mundial.

RX da DPOC e ECONOMIA

DPOC e Economia

A bronquite crônica e o enfisema pulmonar cobram um pedágio caro da economia mundial. Em 2010, o custo nacional anual da DPOC nos Estados Unidos foi estimado em cerca de 49,9 bilhões dólares pelo National Heart, Lung, and Blood Institute [1].

Nos Estados Unidos a DPOC eleva os custos de saúde empresarial pois provoca incapacidade e perda de produtividade. O ônus econômico das doenças pulmonares crónicas sobre as empresas é de fato pesado, sendo este conhecimento uma relevância vital para a gestão de negócios. De maneira que ao propiciar tratamento do tabagismo aliado a uma gestão adequada dos funcionários com esta doença progressiva pode-se economizar custos significativos para uma empresa, e ao mesmo tempo, melhorar a sua produtividade. [2,3]

Os custos médicos foram 3 vezes maior para os empregados portadores da DPOC. Absenteísmo e e o absenteismo presencial são particularmente prevalentes nesta população de pacientes. Como consequência, a sensibilização para a cessação do tabagismo no local de trabalho e implementação de incentivos bem sucedida a parar de fumar, proporcionar o  diagnóstico da DPOC, e incentivar o tratamento precoce, promove uma melhora significativa da produtividade, e reduz consideravelmente os custos para os empregadores. [4]

Normalmente, a alta administração não se interessa pela incidência de doenças ou em promover  pequenas melhorias com medicação e/ou com a prevenção vacinal de infecções, de tal sorte que estas medidas não fazem parte dos rituais para a decisão de negócios.

Mas se os CEOs soubessem que o custo de um empregado com DPOC em média é U$ 20.000 dólares/ano, ao contrário de U$ 8.000 dólares para um empregado sem DPOC – ou em outras palavrasque estão perdendo 12.000 dólares por empregado por causa da DPOC [2],  isso poderia se tornar um incentivo para fazer algo no intuito de conter as perdas de produtividade, que diga-se de passagem são desnecessárias em qualquer momento, e inclusive nesta atual crise mundial de crédito.

Educação via Fórmula Matemática: Tabagismo = DPOC + PLUS

A interação de negócios e iniciativas de regulamentação em saúde pública podem ajudar a reduzir o peso econômico desta doença, a partir da observação da existência de perdas de produtividade tanto para as empresas, quanto para a sociedade que paga seus impostos, mas certamente estes dados têm um papel crucial na prevenção e no tratamento dos portadores da DPOC.
E isto pode e deve começar com a educação sobre a doença …

Ao alertar para a necessidade de se conhecer os custos da DPOC e do tabagismo por parte dos empregadores, e seu impacto para a saúde pública visa-se  fornecer uma outra perspectiva no combate para a crise econômica nos dias de hoje.

Em outro artigo, sugeriu-se via uma “fórmula matemática” que podería expressar o impacto das doenças tabaco-relacionadas, a partir de um anagrama:
Tabagismo = DPOC + Plus [5]

Se com estes alertas pudermos ao menos contribuir para popularizar o termo DPOC, para a compreensão de que ao propiciar diagnóstico e fornecer tratamento precoce tanto para os portadores da DPOC quanto para os tabagistas é uma maneira de se aumentar a produtividade das empresas, estaremos de uma maneira gentil promovendo a diminuição da carga social e econômica sobre estes pacientes com DPOC, e quiçá também salvando vidas. Mais que Matemática, isto seria impagável!

Referências: 

  1. Lung Association. Trends in COPD (chronic bronchitis and emphysema): morbidity and mortality. February 2010. http://www.lungusa.org/findingcures/our-research/trend-reports/copd-trend-report.pdf.Accessed May 23, 2011.
  2. Bunn W, Pikelny D, Vogenberg FR, et al. Validation of employerfocused actuarial model for measuring the economic burden of chronic obstructive pulmonary disease. J Health Productiv. 2008;3:3-8.
  3. Halbert RJ, Isonaka S, George D, Igbal A. Interpreting COPD prevalence estimates: what is the true burden of disease? Chest. 2003;123: 1684-1692.
  4. Darkow T, Kadlubek PJ, Shah H, et al. A retrospective analysis of disability and its related costs among employees with chronic obstructive pulmonary disease. J Occup Environ Med. 2007;49:22-30.
  5. Nascimento, MHS. A Matemática do tabagismo = DPOC + Plus. Site PulmaoSA

Respeitosamente,
Marcos Nascimento, MD.
Professor da PUCPR Faculdade de Medicina

A interferência da indústria tabagista

8 de novembro de 2011 Comentários desligados

A interferência da indústria tabagista

A interferência da indústria tabagista

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) escolheu “a interferência da indústria do tabaco” como tema para o dia Mundial Sem Cigarro 2012, que você sabe será comemorado em 31 de maio.

A campanha se concentrará na necessidade de expor e contador de tentativas por parte da indústria do tabaco cada vez mais descarada e agressiva para bloquear a Convenção Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT).  A medida que mais países implementam a Convenção-Quadro, a indústria do tabaco tem exercido esforços para combater a filosofia e a prática do tratatado.

Você pode obter mais informações no site da OMS no seguinte endereço: http://www.who.int/tobacco/wntd/201/announcement/en/

Veja também:

“ZOO Logico?”

O Bat sinal da Saúde Pública da Austrália

FONTES

PULMAOSANEWS

Política anti-tabaco: Halloween no Congresso Nacional do Brasil?

25 de outubro de 2011 Comentários desligados

Halloween no Congresso Nacional?

Halloween no Congresso Nacional?

 

Está em vias de ser aprovada pelo “Colégio de líderes partidários na Câmara Federal” a Medida Provisória 540/11 cujo objetivo primário é de criar um novo modelo tributário para a política  de preços dos cigarros no Brasil, para os próximos anos.

Entretanto, manobras legislativas para “colocar enxertos” no texto original da MP 540 – numa manobra para derrubar,  o PLS 315/08 (que trata dos ambientes livres de tabaco) e as consultas públicas recentes da ANVISA (CP 112/2010 e 117/2010), que tratam respectivamente da proibição da adição de aromatizantes no tabaco e da restrição da propaganda nos pontos de venda, além do aumento da área de advertências nos maços (medidas estas que estão em consonância com a última conferência das partes da Convenção-Quadro realizada no Uruguai, em 2010).

  Das inúmeras matérias veiculadas na mídia nas últimas semanas, selecionamos esta feita com o conceituado Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC):

“MP do Cigarro passa por cima da ANVISA”

 http://www.orm.com.br/projetos/oliberal/interna/default.asp?modulo=250&codigo=557408

Entre os “acréscimos” no texto da Medida Provisória – que deveria tratar unicamente da política de taxações e preços dos cigarros – está a de propor “autorização para a criação de estabelecimentos exclusivos para os fumantes”, (?!)

Trata-se de mais uma clara interferência da indústria do tabaco, infelizmente com apoio explícito e implícito de agentes do próprio governo ( Líderes e outros representantes).

O fato é que o Dep. Renato Molling (PP/RS), relator da MP 540/11 está para apresentar nos próximos dias, o relatório dele sobre o projeto, e ao que tudo indica  haverá proposição de artigos na MP (que venham “a reduzir o impacto” para a indústria do tabaco).

Veja:

Táticas de Marketing da Indústria tabagista

Marketing Halloween da Indústria tabagista

Assim, é extremamente importante que todas as nossas representações, tanto nacionais, quanto locais, se mobilizem junto aos partidos e seus líderes na Câmara Federal, inicialmente, para barrar esta manobra que é uma afronta à saúde pública e ao tratamento de matérias de interesse da população, dentro da tramitação e dos organismos onde já caminham, como o PLS 315/08 no Senado Federal (lei que regulamente os ambientes livres de tabaco sem fumódromos ou estabelecimentos para fumantes) e na ANVISA, agência reguladora nacional que baliza as recomendações da Conferência das Partes da OMS, no que diz respeito à proibição dos aromatizantes/flavorizantes no cigarro e na regulação das embalagens dos cigarros e sua publicidade nos pontos de venda.

Haloween na Política anti tabagismo?

Halloween na política anti tabagismo?

Derrubar o PLS 315/08 é uma brincadeira de mal gosto comparando-se a uma espécie de “travessura?!” Na semana do Halloween por parte de quem deveria respeitar e salvaguardar a Saúde Pública no Brasil.

Fontes:

IDEC_ Instituto de Defesa do Consumidor

CT SBPT – Comissão de Tabagismo da Sociedade Brasileira de Pneumologia

ACTbr- Aliança de Controle do Tabagismo:

Segue a relação dos nomes, telefones, fax e e-mails dos deputados líderes de partidos, de blocos parlamentares e, da maioria (governo) e da minoria (oposição) para o envio de nossas manifestações (é recomendável enviar no corpo do e-mail, anexos em geral não são lidos).

E.mails.telefones.lideres.partidos.blocos.CamaraFederal

Colegio.Lideres.Partidarios.Camara.Senado.Federal

%d blogueiros gostam disto: