Archive

Posts Tagged ‘Mulher e cigarro’

A Importância da Nutrição na Cessação do tabagismo em Mulheres

26 de março de 2013 Comentários desligados

Nutrição no tratamento do Tabagismo

Uma Esperança a mais: Nutrição no tratamento do Tabagismo

A Importância da Nutrição na Cessação do tabagismo em Mulheres

                                                                   

                                                                               Márcia M. M. T. LOBO 1

                                                                                                       MARCOS H. S. NASCIMENTO 2                        

1. Nutricionista, Mestranda do Programa de Segurança Alimentar da UFPR – Paraná – Brasil

2. Editor Médico do site Pulmao S.A

 

A estratégia no estímulo do abandono do tabagismo em mulheres deve ser priorizada, frente à crescente exposição ao tabaco associado às campanhas de promoção da indústria tabagista para este grupo populacional.

O tabagismo é a principal causa de morte prevenível no mundo, e é considerada uma patologia com CID (Código Internacional de Doenças) próprio para designá-la, o F17.2. O tabagismo por si, é capaz de gerar outras 50 doenças, sendo o principal responsável por doenças não comunicantes, e provocar 30% de todas as mortes por câncer, entre estes o câncer de pulmão que apresenta relação inequívoca com o tabagismo e é o atual líder de óbitos decorrentes desta patologia tanto em homens quanto em mulheres nos Estados Unido e no Brasil (1) .

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS),atribuem cerca de 5,4 milhões de óbitos por ano ao tabagismo, sendo o Brasil responsável por 200 mil destes óbitos (2,3).

Embora a prevalência do tabagismo no Brasil venha declinando nos últimos anos (17,5% do total de adultos (acima de 15 anos),sendo 22% do sexo masculino e 13% do sexo feminino) , as capitais das regiões Sul do país têm apresentado alta prevalência de tabagismo entre mulheres sendo 17,5% em Porto Alegre (RS),15,5% em Curitiba (PR) e Florianópolis(SC) 15,3%.Tal fato pode indicar uma necessidade de priorizar a promoção da saúde e do controle do tabagismo focado prioritariamente na mulher (4,5).

O controle e a redução da prevalência do tabagismo são de fundamental importância uma vez que pode proporcionar ganhos tanto em saúde, quanto em recursos financeiros (6). Sobre este contexto, as diretrizes para a cessação do tabagismo, da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) preconizam que a presença de um nutricionista na equipe multidisciplinar é de grande importância (7).

No que se refere especificamente à mulheres e a sua relação a sua imagem corporal, esta , representa uma questão relevante na vida deste grupo, onde o medo do  ganho de peso corporal representa um dos grandes desestímulos para o abandono do tratamento para a cessação do tabagismo, mesmo que os benefícios para a saúde sejam conhecidos, associado à outros fatores como alívio do estresse e da ansiedade (8).

É crucial, que seja avaliado o hábito alimentar frequente ou adquirido após o referido tratamento, assim como o monitorar o peso corporal, para que sejam estabelecidas condutas que contribuam para o sucesso da cessação do tabagismo, afinal o ganho de peso é citado como a principal razão para a não adesão ao tratamento para parar de fumar, visto que a grande variação no ganho ponderal e seu mecanismo, constitui-se uma das principais causas para o aumento da ingestão calórica e a diminuição da taxa metabólica de repouso (9).

Há evidências que a nicotina promove um aumento no gasto energético. Isto é explicado pelo fato do consumo de um único cigarro induzir a um aumento no gasto energético do organismo da ordem de 3%, em um período de 30 minutos. E, em concomitância promove a diminuição do apetite, ocasionada pela rápida chegada da fumaça da nicotina ao cérebro (cerca de 6 a 10 segundos), permitindo aumento na concentração de alguns neurotransmissores, como a dopamina  e a serotonina,  que são substâncias inibidoras  da ingestão  de  alimentos.  Isto explicaria o fato dos fumantes tenderem a apresentar menor peso corporal quando comparados à não fumantes, instituindo uma crença de que fumar é uma forma eficiente de controlar o peso corporal (10,11) .

 

Portanto para a obtenção de melhores resultados nas políticas de controle do tabagismo, direcionadas à mulheres, dever-se-ia  considerar a influência do controle do peso corporal adequado obrigatoriamente através de uma intervenção nutricional assertiva. Os objetivos desta estratégia é atingir taxas de êxito maiores na cessação do tabagismo, justificando que o controle da ingestão alimentar mais que um adendo ao tratamento, apresenta-se como uma condição “si ne qua non” no processo de tratamento de cessação do tabagismo em mulher.

 
REFERÊNCIAS

 

  1. NASCIMENTO, M.H.S. Doenças Crônicas: Pedágio caro para o Brasil, os USA e o Mundo. Available from: https://pulmaosarss.wordpress.com/2012/03/16/doencas-cronicas pedágio-caro-para-o-brasil-os-usa-e-o-mundo/.Acesso em 12/03/2012.

 

  1. World Health Organization (WHO). The World Health Report 2002: Reducing risks, promoting healthy lifestyles. Geneva: WHO, 2002.

 

  1. Instituto Nacional do Câncer (INCA). Tabagismo no Brasil: Dados e Numéricos. Brasilia: Ministério da Saúde, INCA. Available from: http://www.inca.gov.br/tabagismo/index.as  Acesso em 20/03/2012.

 

  1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Global Adult Tobacco Survey(GATS):Brasil,2008.IBGE;2009.

 

  1. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde; Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes e Recomendações para o Cuidado Integral de Doenças Crônicas Não-Transmissíveis: Promoção da Saúde, Vigilância, Prevenção e Assistência. Brasília,2008.

 

  1. PISINGER, C.; GODTFREDSEN,N.S. Is there a health benefit of reduced tobacco consumption? A systematic review. Nicotine To Res.9(6):631-46, 2007.

 

  1. REICHERT,J.et al ,Diretrizes para cessação do tabagismo, Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT). J Bras Pneumol. 34(10):845-880, 2008.

 

  1. SCARINCI,I.C.et al.Sociocultural factors associated with cigarette smoking among women in Brazilian worksites:a qualitative study.Health Promotion international,v.22,n.2,p.146-154,2007.

 

  1. FILOZOF,C.;FERNANDEZ,P.M.C.;FERNANDEZ,C.A. Smoking cessation and weight gain. Obes Rev,5:95-103, 2004.

 

  1.  CHIOLERO,A., FAETH.D., PACAUD, F., CORNUZ, J. Consequences of smoking for body weight, body fat distribution, and insulin resistance. Am J Clin Nutr ;87:801–9,2008.

As Táticas de Marketing da Indústria Tabagista * Marketing tactics of tobacco industry

1 de outubro de 2010 Comentários desligados

Táticas de Marketing da Indústria tabagista

Desde os primórdios da descoberta do tabaco há menções associadas aos seus riscos a saúde como o decreto sobre o fumo do Rei da Inglaterra George em 1604, onde abordava que o tabaco provocava dor de cabeça e problemas de pulmão…

Com o consumo do tabaco sob a forma industrializada dos cigarros surgem ditos  populares como “Tosse de Fumante”  “Dedos de fumante” e nos Estados Unidos, no início do século XX, cigarros eram chamados de “pregos de caixão.”

Como então continuar no “negócio” e inclusive aumentar as vendas de um produto que literalmente mata os seus consumidores?

A fim de afastar “qualquer Risco” para o negócio, a Indústria tabagista, muito antes de existir as profissões de administrador de empresas e de profissionais de marketing, começa a fazer anúncios e a praticar o que hoje conhecemos como práticas de Marketing.

A indústria de cigarros inicia a resposta a pergunta acima, com a estratégia da contra propaganda ao associar seu produto acredite a… Saúde!

Para isso contrata radialistas (que em 1920 tinham projeção similar as estrelas de cinema, de séries de TV ou jogadores de futebol hoje), Esportistas, Atores de Hollywood,como John Wayne e Ginger Rogers.Nas décadas  de 1940 a 1960 incorpora profissionais com alto crédito na sociedade americana e mundial como enfermeiras, médicos, dentistas, cientistas e até astronautas para passar idoneidade as marcas de cigarros.

A Winston associa-se a estúdios de desenhos animados como podemos ver no vídeo abaixo dos Flinstones:

A tática de associar-se aos esportes é prática corrente também hoje em dia, vide os anúncios em corridas de Fórmula Indy e de Fórmula 1- sempre aliando imagens de juventude, frescor, desejos, superação e vitórias. Há pesquisas de mercado que indicam que produtos anunciados durante uma corrida da Nascar são os preferidos por 70% dos espectadores em detrimento de outros produtos com qualidade similar. As corridas de carros atraem uma gama enorme de audiência jovem, alvo preferencial das companhias de cigarros.

A mulher é outro foco preferencial como se pode observar nas refinadas propagandas dirigidas a este público – abordando liberdade, sucesso, independência financeira, beleza, poder de decisão. Há um direcionamento às mulheres do mundo inteiro fazendo analogias inclusive a marcas famosas de perfumes, como a propaganda do nº9. Até mesmo a reengenharia das embalagens que se tornam mais finas, com o objetivo de caber em qualquer bolsa feminina. Isto é confirmado pelos documentos da própria indústria que vieram a público durante os julgamentos do governo dos Estados Unidos versus as companhias de cigarros.

“Ao público feminino também é reservado às estratégias dos cigarros com alcatrão e nicotina reduzidos” e os cigarros com sabores os mais variados como cravo (Kreteks), canela, menta, baunilha, e chocolate. Cabe aqui um alerta, pois se trata mais uma vez de uma propaganda altamente enganosa, visto que nicotina provoca dependência química em qualquer concentração.

Nos países em que há leis de proteção a saúde pública com a proibição do fumo em áreas públicas, as companhias de cigarros se especializaram em práticas de marketing de guerrilha. Sendo assim, agem:

  • Em ambientes universitários convidando atores e personagens de mídia para palestras nos chamados “Diálogos Universitários.”
  • Patrocinando eventos desde concertos de rock na indonésia a encontros de DJ no Brasil;
  • Patrocinando e montando pontos de venda localizado nos caixas dos estabelecimentos, apresentando layouts cada vez mais coloridos com letras e palavras em inglês, e com designer e luminosidade altamente sofisticados. Isso tudo em meio a balas, doces e revistas destinadas ao público infanto-juvenil.

A exposição acima mostra que a indústria de cigarros se especializou sim em Marketing na administração e divulgação de seus produtos: O Marketing da propaganda enganosa. E para constatar isso não é preciso nem ler este texto. Como o ditado popular chinês apregoa: As imagens  falam!

FONTES:

PULMÃO S.A. – Sua Atmosfera, Sua vida!

Legacy Tobacco Documents Library – California University

PUCPR

INCA- Instituto Nacional do Câncer- Brasil

 

ENGLISH

 

Marketing tactics of tobacco industry

Since the early days of the discovery of tobacco there are entries associated with their health risks like smoking decree of King George of England in 1604, where he addressed that tobacco caused headaches and lung problems …

With tobacco consumption in the form of cigarettes come industrialized popular sayings as “smoker’s cough” smoker’s fingers “and the United States in the early twentieth century, cigarettes were called” coffin nails. ”

How then continue their “business” and even increase sales of a product that literally kills its consumers?

In order to remove “any risk” to their business, the tobacco industry, before there are professions of business administrator and marketing professionals begin to make announcements and to practice what we know today as Marketing practices.

The cigarette industry begins to answer the question above with the strategy of counter propaganda to associate their product to  …..Heath!

The Tobacco companies contract broadcasters in 1920 (who in 1920 had forecast similar to the Movie Stars from TV series or football players today).

Sportsmen, Hollywood actors, like John Wayne and Ginger Rogers.Nas decades from 1940 to 1960 incorporates a high professional credit in American society and world as nurses, doctors, dentists, scientists and even astronauts to pass fitness brands of cigarettes.

The Winston is associated with animation studios as we see in the video below the Flintstones as seen on the video.
The tactic of associating with sports is also common practice nowadays as seen in the Indy and Formula 1 ads – always combining images of youth, freshness, desires, victories and resilience. There is market research indicating that products advertised during a NASCAR race are preferred by 70% of viewers at the expense of other products with similar quality. Car racing attracts a huge young audience, prime target of cigarette companies.

The woman is another focus preferred as can be seen in exquisite advertisements targeted to that audience – addressing freedom, success, financial independence, beauty and discretion. There is a direction to women around the world making analogies including the famous brands of perfumes, as the propaganda of Camel 9. Even the reengineering of packaging that becomes thinner in order to fit into any handbag. This is confirmed by the industry’s own documents that became public during the trial the U.S. government versus the tobacco companies.

“When the female is also reserved to the strategies of cigarettes with low tar and nicotine” cigarettes with flavors and the most varied as carnation (kreteks), cinnamon, mint, vanilla and chocolate. It should be a warning, because it is once again a highly misleading propaganda, since nicotine is addictive chemical in any concentration.

In countries where there are laws to protect public health with the ban on smoking in public areas, the cigarette companies specialize in guerilla marketing practices. So act:

  • In university environments inviting actors and characters speaking to youth in so-called “Dialogues at University.”
  • Sponsoring events from Rock concerts in Indonesia to an DJ Meeting in Brazil;
  • Sponsoring and building Points of Sale located in boxes of establishments, with more colorful layouts with big letters and words in English also in countries whose English is not their mother language; and with designer and lighting highly sophisticated. This is all in the midst of candies, sweets and magazines targeted at children and youth.The exhibition Conference and the Flintstones’ video above show that the tobacco industry has specialized itself in marketing management and dissemination of their products: But, they have specialized in marketing hype. And to see this is not necessary even reading this text, because as the Chinese proverb proclaims: The images speak by themselves!
  • SOURCES:

    PULMAOSA –Lungs: Your atmosphere, your life! ® Legacy Tobacco Documents Library – California University
  • PUCPR Archives.
  • INCA- Brazilian National Cancer Institute.
Categorias:DR./MD., Pare de Fumar / Quit, Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
%d blogueiros gostam disto: