Arquivo

Posts Tagged ‘pandemia’

Possibilidade de uma Vacina Universal da Gripe é Real

31 de julho de 2011 Comentários desligados

1957 flu vaccin shot line

Vacina da Gripe Universal

Possibilidade de uma Vacina Universal da Gripe é Real

 (PULMAOSANEWS)-   Um grupo de pesquisadores britânicos e suíços encontraram um “super anticorpo” da gripe em um paciente que teria a capacidade de  neutralizar os principais grupos de vírus influenza A.

Esta descoberta deste novo anticorpo, chamado FI6, poderia combater todos os tipos de vírus influenza A que causam gripes tanto em humanos e animais.

Esta descoberta pode ser o ponto de partida no desenvolvimento de novos tratamentos da gripe, inclusive para uma vacina universal para combater a gripe, com resposta imune que duraria decadas ou mesmo por toda a vida.

O consultor Médico da PULMAOSA, Dr. Marcos Nascimento explicou que quando alguém está infectado com o vírus da gripe, o  corpo produz  anticorpos contra a fração de proteína hemaglutinina do vírus. Mas, como existem 16 diferentes tipos de hemaglutininas, que se subdividem em dois grupos, o desenvolvimento de novas vacinas são necessárias a cada ano para combater essas cepas que se modificam. “Assim, se os laboratórios puderem desenvolver  um único anticorpo que tenha como alvo todos os subtipos conhecidos do vírus influenza A, como o FI6 mencionado acima,  isto representará um passo importante em direção a uma vacina da gripe universal,  possibilitando uma queda na morbi- mortalidade  da gripe e a economia de milhares de dólares para a economia mundial,  acrescenta o Dr. Nascimento.

Siga @PULMAOSA no Twitter

Fontes:

  PULMAOSANEWS – Pulmões: Proteja a Sua Real Atmosfera!

Clique para acessar o Abstract : A Neutralizing Antibody Selected from Plasma Cells That Binds to Group 1 and Group 2 Influenza A Hemagglutinins

Anúncios

Coloque na Agenda: Vacina da Gripe √

27 de abril de 2011 Comentários desligados

Campanha Nacional de Vacinação da gripe 2011

Coloque na Agenda: Vacina da gripe √

A partir de segunda-feira, 25 de abril inicia-se no Brasil a campanha nacional de vacinação contra a influenza (gripe). A meta do governo brasileiro é vacinar de 24 milhões a 30 milhões de pessoas até o dia 13 de maio de 2011.

Os alvos da campanha de 2011 são: os idosos com mais de 60 anos, indígenas, gestantes e crianças entre seis meses e menos de dois anos de idade devem ser imunizados contra a gripe, dentro da campanha nacional de vacinação.

A PULMÃO S.A. alerta para a necessidade de 2 doses de vacina para as crianças.

A vacina é triviral, portanto oferece cobertura contra os três virus influenza , definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) : 1. H1N1 tipo A,  pandêmico  2009 ( Vírus da gripe suína); 2. H3N2 tipo A e 3. Um virus influenza tipo B.

Vale a pena lembrar que dentre as contra indicações para vacina estão a alergia a albumina (proteína do ovo) e encontrar-se em estado febril no dia da vacinação.

A vacina antiinfluenza é protocolarmente indicada também aos portadores de doenças crônicas, como DPOC, Asma brônquica, Insuficiência Cardíaca, Diabetes Mellitus, etc  pois ao adquirirem gripe têm maior risco de complicações como a pneumonia bacteriana, o que pode tornar necessário a internação hospitalar. Uma vez que a vacina antiinfluenza reduz o risco de gripe, e em concomitância minora o risco de complicações bacterianas, deveria ser também oferecida aos portadores de doenças crônicas, segundo o editor médico da PULMÃO S.A. , o Dr. Marcos Nascimento.

Lembre:

1. Os sintomas da gripe iniciam entre 1 e 7 dias após a infecção ( e têm um período de incubação médio de 2 dias). O início é súbito com febre em geral alta ( > 37,8ºC), mialgia (dor no corpo), dor de cabeça e tosse seca e coriza. Caso seu filho apresente estes sintomas não o leve a escola, e procure um médico.

2. Utilize lenços de papel ao espirrar e use sabão comum e álcool gel a 70% para a higienização das mãos;

3. Antitérmicos e analgésicos podem ser utilizados para controlar os sintomas da gripe, principalmente a febre e a dor, porém não agem contra o vírus da gripe, e devem ser orientados por um médico.

4. A utilização de medicamentos que contenham em sua formula o ácido acetilsalicílico (AAS®, Aspirina®, Doril®, Melhoral® etc.) é terminantemente proibida em crianças com gripe, pela possibilidade de desenvolver a Síndrome de Reye.  Esta síndrome, é rara, mas possui alta letalidade, e como supracitado, está associada ao uso do ácido acetilsalicílico durante infecções virais em crianças, sendo caracterizada por comprometimento do Sistema nervoso Central e hepático. Por isto, sempre consulte um médico antes de tomar qualquer medicamento.

FONTES:

1.PULMÂO S.A. – Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

2.Cives- UFRJ

3. OMS Arquivos.

Dialogando com os pais:Nova vacina Pneumocócica -Talking with parents:New Pneumococcal vaccine

22 de maio de 2010 Comentários desligados

Vacina -PCV13- Vaccine

Dialogando com os pais: Nova Vacina Pneumocócica

Dado aprovação de uma nova vacina anti-pneumocócica pelo Centro de Prevenção e Doenças (CDC) e o órgão americano responsável pela vigilância sanitária (FDA), e que em breve estará disponível também no Brasil,  a PULMAOSA publicou recentemente a informação de que o comitê de Imunizações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC)  havia recomendado o uso de uma vacina conjugada 13-valente (PCV13), que afere maior proteção para as crianças contra doenças pneumocócicas.

Como a vacina anti- pneumocócica heptavalente ou Prevnar® ainda permanece em circulação, publicamos um questionário a respeito a fim de dirimir possíveis dúvidas dos pais:

1. Esta nova vacina protege contra vírus ou bactéria?

R: Protege contra cepas do Streptococcus pneumoniae , ou pneumococo, que  é uma bactéria comumente envolvida em pneumonias adquiridas na comunidade,otites, faringites,meningites ( também conhecida como doença pneumocócica invasiva), e que pode também se associar  a gripe pandêmica H1N1.

2. Por que a vacina heptavalente recebe este nome?

R: Porque ela protege contra sete sorotipos entre os noventa existentes do pneumococo.

  1. 3. Se a vacina heptavalente contribuiu para a redução das doenças pneumocócicas, qual o porquê dela estar sendo substituída pela hepta-13?

R:  Apesar da vacinação rotineira das crianças com a heptavalente- PCV7  ter reduzido as taxas de doença pneumocócica invasiva em 80% desde 2000, aproximadamente cerca  de 160 mil crianças ainda desenvolvem pneumonia pneumocócica nos Estados Unidos e há cerca de 800.000 procuras/ano por um serviço médico devido a otite média causada pelo pneumococo!
Estes  números ainda são ainda muito altos porque  a heptavalente abrange  como já dito sete sorotipos. A vacina Pneumo-13 por ser mais abrangente promoverá uma cobertura maior e, portanto contribuirá para diminuir as taxas de doença pneumocócica.

Outro motivo é que está havendo registro de aumentos na doença pneumocócica ocasionados por alguns sorotipos não cobertos pela heptavalente. A hepta-13 protegerá contra um destes sorotipos, o sorotipo 19A,  que é o principal causador de doença pneumocócica invasiva nos Estados unidos hoje em dia.

A  Prevnar -13 também contém antígenos conjugados representando os sorotipos 1, 3, 4, 5, 6A e B, 7F, 9V, 14, 18C, 19F e 23F

  1. 4. Com a entrada da Hepta-13, os sorotipos da heptavalente deixarão de ser cobertos?

R: Não. A vacina Hepta-13 ou PCV13 contem os sete sorotipos da PCV-7 e mais outros seis sorotipos, incluído o supracitado 19A.

  1. 5.Ao procurar uma clínica e deparar com a existência da Prev7 e da Prev13, qual deve ser oferecida ao meu filho?

R: Caso haja a coexistência das duas vacinas, a recomendação do CDC é que seja ofertada a PCV13.Caso haja apenas a PCV7 disponível, ela deve ser feita para que a criança não fique descoberta.

  1. 6.Para quem esta nova vacina PCV13 é destinada?

R: A PCV13 tem a mesma indicação da PCV7, Ou seja:  É destinada para todas as crianças de 2, 4, e 6 meses de idade, seguido por uma dose de reforço aos 12 e 15 meses de idade.

OBSERVAÇÕES: a) Os bebês que iniciaram o programa de vacinação com a PCV7 devem completar o cronograma com a PCV13;

b) E para aquelas crianças saudáveis de 14 a 59 meses de idade já estejam vacinadas com PCV7, o CDC recomenda que elas recebam uma dose complementar de PCV13.

FONTES:

PULMAOSANEWS

ACIP -Comitê Consultivo em Práticas de Imunização – CDC USA

ENGLISH

Talking with parents: New Pneumococcal Vaccine

Since approval of a new pneumococcal vaccine by the Center for Disease and Prevention (CDC) and the American body responsible for health surveillance (FDA), which will soon be available also in Brazil, PULMAOSA recently published information that the CDC’s Advisory Committee on Immunization Practices had recommended the use of a 13-valent conjugate vaccine ( PCV13), which offer greater protection for children against pneumococcal disease.
As the heptavalent pneumococcal vaccine or remains in circulation, PULMAOSA publishes a  Faq in order to remove possible doubts of the parents:

1.This new vaccine protects against bacteria or virus?
A: It protects against strains of Streptococcus pneumoniae, or pneumococcus, a bacteria commonly involved in community-acquired pneumonia, otitis, pharyngitis, meningitis (also known as invasive pneumococcal disease), and may also provoke pneumonia related to pandemic influenza H1N1.

2. Why the name heptavalent vaccine?

A: Because it protects against seven serotypes among the ninety existing pneumococcus.
3. The heptavalent vaccine contributed to the reduction of pneumococcal disease. So, why  is it being replaced by the hepta-13?
A: Despite the routine vaccination of children with PCV7-heptavalent have reduced rates of invasive pneumococcal disease by 80% since 2000, roughly around 160 000 children still develop pneumococcal pneumonia in the United States and there are about 800,000 searches a year for a medical service due to otitis media caused by pneumococcus!
These numbers are still very high because the heptavalent covers as said seven serotypes. Pneumo-13 vaccine will promote better coverage and therefore it will help to reduce the rates of pneumococcal disease.

Another reason for PCV7 – PCV13  shift can be justified because there are record increases in pneumococcal disease caused by some serotypes not covered by heptavalent.

The hepta-13 will protect against one of these serotypes responsible for disease not covered by PCV7, the serotype 19A, which nowadays is the major cause of invasive pneumococcal disease in the United States.
PCV13 also contains conjugated antigens representing serotypes 1, 3, 4, 5, 6A and B, 7F, 9V, 14, 18C, 19F and 23F.
4. With the Hepta-13’s launch, will the serotypes of heptavalent not be covered?
A: No. The vaccine Hepta-13 or PCV13 contains the seven serotypes of PCV-7 plus six other serotypes, including 19A mentioned above.

5. Looking for a clinical Vaccine Service, is there a possibility to face the coexistence of Prev7 and Prev13. Which should be offered to my child?
A: If there is a coexistence of the two vaccines, the CDC’s Vaccine  recommendation is to offer  PCV13.
If there is only PCV7 available, it should be done so that the child does not get discovered.

6.The new vaccine PCV13 will be appointed to that age group?
A: PCV13 is aimed at all children aged 2, 4 and 6 months of age, followed by a booster dose at 12 and 15 months of age.
Babies who have started the vaccination program with PCV7 should complete the schedule with PCV13.
And for those healthy children 14-59 months old are already vaccinated with PCV7, the CDC recommends that they receive an additional dose of PCV13.

SOURCES:
PULMAOSANEWS- Lungs: Your Atmosphere, Your Life! ®
ACIP-Advisory Committee on Immunization Practices – CDC USA

Mortes pediátricas por H1N1 nos USA foi 4 vezes maior que gripe comum -H1N1 Pediatric deaths in the USA were 4 times larger than seasonal influenza

7 de maio de 2010 Comentários desligados

Influenza Virus

Mortes pediátricas por H1N1 nos Estados Unidos é 4 vezes maior que gripe comum

PULMAOSANEWS– Orlando, FL- Em comunicado realizado durante reunião da Academia  Americana de Pediatria  fora constatado por técnicos do CDC que a pandemia de gripe H1N1 matou 317 crianças em suas duas primeiras ondas nos Estados Unidos! Este número é quase quatro vezes o número médio de mortes pediátricas – observado nas últimas cinco estações de gripe, que foram 82.

A maioria dos óbitos aconteceram em crianças pertencentes a grupos de risco e numa faixa etária média de 9,4 anos, portanto mais velhas em comparação com o grupo comumente afetado pela gripe comum ou sazonal, cuja média foi de 6,2 anos. uma diferença que era significativo em P <0,01.

Este dado corrobora e reforça o pedido realizado pela PULMAOSA para que o Ministério da Saúde  estenda a cobertura dos escolares no Brasil.

O CDC informa ainda que dos óbitos associados à gripe pandêmica, 205 (ou 65%) tinha uma condição de alto risco médica subjacente.

Essas condições incluem doença pulmonar obstrutiva crônica, distúrbios neurológicos, Asma e doença cardíaca.   Mas, em contrapartida, entre os 155 que morreram nas últimas duas temporadas da gripe, apenas 67 (ou 43%) eram portadores destas comorbidades.

Não houve diferenças significativas na raça, gênero ou etnia, segundo o CDC.

Acesse a PULMAOSA no TWITTER

FONTES:

PULMAOSANEWS

CDC- USA

ENGLISH

H1N1 Pediatric deaths in the USA was 4 times larger than seasonal influenza


PULMAOSANEWS– Orlando, FL-In a statement during a meeting of the American Academy of Pediatrics, the CDC’s experts told that pandemic influenza H1N1 has killed 317 children in their first two waves in the USA! This number is almost four times the average number of pediatric deaths – observed in the past five flu seasons, which were 82.

Most deaths occurred in children belonging to risk groups and a mean age of 9.4 years, so older compared with the group commonly affected by common cold or seasonal, which averaged 6.2 years, a difference that was significant at    P <0.01.

This finding corroborates and reinforces the claim made by PULMAOSA for the Ministry of Health to extend the coverage of schoolchildren in Brazil.
The CDC also said that the deaths related to pandemic influenza, 205 (or 65%) had a high risk condition underlying medical.

These conditions include chronic obstructive pulmonary disease, neurological disorders, Asthma and heart disease. But in contrast, among the 155 who died in the last two flu seasons, only 67 (or 43%) were carriers of these comorbidities.
No significant differences in race, gender or ethnicity was observed, according to the CDC.

Follow us at TWITTER

SOURCES:

PULMAOSANEWS
CDC-USA

Categorias:H1N1, Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

TIPOS DE VACINA ANTI H1N1 NO BRASIL

11 de abril de 2010 Comentários desligados

Vacinas anti H1N1 de 3 Laboratórios

Serão utilizadas pela rede pública no Brasil vacinas de 3 laboratórios diferentes:Instituto Butantan,GlaxoSmithKline (GSK) e Novartis.Na rede privada será utilizada uma vacina conjugada ( Vírus influenza sazonal + Influenza pandêmico H1N1).

A PULMÃO S.A. objetivando esclarecimento,publica este informe sobre os tipos de vacinas utilizadas na campanha Nacional de Vacinação contra o H1N1.

1.Vacina do Instituto Butantan (sem adjuvante):

Composição: vírus influenza fragmentado, propagado em ovos, inativado

contendo antígeno equivalente a:

– cepa análoga A/California/7/2009(H1N1)(NYMCX-179A ): 15μ de hemaglutinina por dose de 0,5 ml

– outros componentes: timerosal*, cloreto de sódio, cloreto de potássio, fosfato de sódio dibásico, fosfato de potássio monobásico e água para injetáveis.

A vacina já vem diluída em frascos de 10 doses. Antes da sua abertura, realizar uma homogeneização, com movimentos rotatórios suaves.

Após a abertura do frasco, desde que mantidos em temperatura adequada (entre +2oC e +8oC) e adotados os cuidados que evitem a sua contaminação,poderão ser utilizadas pelo período de 7 dias

Esquema de aplicação e dose:

Idade                       Dose (ml)             Número de doses

6 a 35 meses             0,25 ml            2 doses (intervalo de 4 semanas, mínimo de 21 dias)

3 a 8 anos                   0,5 ml            2 doses (intervalo de 4 semanas, mínimo de 21 dias)

≥ 9 anos                      0,5 ml                        dose única

2.Vacina da GSK (com adjuvante)*:

* ATENÇÃO: Vacinas com adjuvantes: não são recomendada para uso em Gestantes! As vacinas recomendadas para grávidas são portanto as sem adjuvantes do Institito Butantã e a da Novartis.

Composição:

(H1N1)A/Califórnia/7/2009: 3,75μ de hemaglutinina por dose de 0,5ml.

– adjuvante: AS03 composto de esqualeno; DL-α tocoferol e polissorbato 80

– excipientes: a) suspensão (com antígeno): tiomersal, cloreto de sódio,fosfato de sódio dibásico, fosfato de potássio monobásico, cloreto de potássio, água para injeção; b) emulsão (com adjuvante): cloreto de sódio,fosfato de sódio dibásico; fosfato de potássio monobásico, cloreto de potássio, água para injeção

vacina apresenta 10 doses que não vem diluída. Vem apresentada em dois frascos (emulsão e suspensão) que antes da sua abertura, deverão ser homogeneizados suavemente. ATENÇÃO: Antes da abertura de cada frasco, realizar uma homogeneização, com movimentos rotatórios suaves. Misturar a emulsão na suspensão e após a mistura, realizar nova homogeneização.Após a mistura, desde que mantidos em temperatura adequada (entre +2º C e +8ºC)  e adotados os cuidados que evitem a sua contaminação, poderão ser utilizadas  pelo período de 24 horas.

Esquema de aplicação e dose:

Composição antígeno propagado em ovos vírus like

Idade                          Dose (ml)                       Número de doses

6 mesesa 8 anos          0,25 ml        2 doses (intervalo de 4 semanas, mínimo de 21 dias

≥ 9 anos                       0,5 ml                               Dose única

3.Vacina da Novartis (sem adjuvante)

Composição: antígeno propagado em ovos “vírus like” H1N1/A/California/7/2009: 15μ de hemaglutinina por dose de 0,5 ml.

*outros componentes: tiomersal, traços de proteína do ovo, polimixina, neomicina, betapropiolactone.

– Vacina de 10 doses que já vem diluída. Antes da sua abertura, realizar uma homogeneização, com movimentos rotatórios suaves.

– Após a abertura do frasco, desde que mantidos em temperatura adequada (entre +2ºC e +8ºC) e adotados os cuidados que evitem a sua contaminação, poderão ser utilizadas pelo período de 24 horas.

Esquema vacinal:

IDADE                                                                  DOSES

– crianças dos 4 anos a < 9 anos de idade       2 doses de 0,5 ml com intervalo de 30 dias

≥ 9 anos de idade:                                                          Dose única de 0,5 ml.

Esquema de aplicação e dose:

Idade                     Dose (ml)                        Número de doses

4 anosa 8 anos       0,5 ml                           2 doses (intervalo de 4 semanas, mínimo de 21 dias)

≥ 9 anos                 0,5 ml                                   Dose única

Via de aplicação:

IM- Intra Muscular

*para as crianças menores de 2 anos de idade, usar o vasto lateral da coxa.

ADENDOS:

1: Timerosal é um preservativo que tem o papel de evitar a contaminação do frasco e assim manter a sua esterilidade. É utilizado em vacinas do calendário básico como a vacina dupla tipo adulto (dT) e contra hepatite B.A quantidade presente de mercúrio nesses produtos é extremamente pequena, e não é nociva à saúde.

2: Esqualeno é um produto encontrado em plantas, animais e humanos (é um componente da membrana celular). Também pode ser encontrado no óleo de fígado de peixes e vegetais (como o óleo de oliva). Esse adjuvante é utilizado para incrementar a resposta imune da vacina. E já é utlizado desde 1997 em vacinas contra influenza sazonal (Fluad®, Novartis) onde já foram distribuídas mais de 40 milhões de doses.

FONTES:

PULMÃO S.A.- Sua Atmosfera, Sua Vida!®

Secretaria de Saúde de São Paulo

Siga-nos no TWITTER: http://twitter.com/PulmaoSA

Veja também:

Cronograma de Vacinação contra o H1N1

PULMÃO S.A. ALERTA: Gestantes têm 13 X mais chance de gripe suína grave

O que gestantes devem saber sobre gripe suína?

Risco de epidemia maior faz PULMÃO S.A. defender vacina para escolares

De Volta para o Futuro: Seus Avós tomaram Vacina da Gripe em 1958?

Gripe Suína/ H1N1:Guia para Escolas

Perfil Epidemiológico da Gripe H1N1 nos USA

ASMA:Principal Condição Associada a Internações por H1N1 nos USA

Miocardite em Crianças com Gripe H1N1


Categorias:H1N1, Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

PULMAOSA ESCLARECE SOBRE VACINA ANTIINFLUENZA H1N1,GESTANTES E ADJUVANTES

27 de março de 2010 Comentários desligados

VACINA ANTIINFLUENZA VACCINE

VACINA ANTIINFLUENZA H1N1,GESTANTES E ADJUVANTES

A propósito do assunto envolvendo adjuvantes e vacina antiinfluenza H1N1,sobretudo após o enfoque dado a gestantes, A PULMÃO S.A. publica o questionário abaixo com perguntas e respostas:

1. O que são Adjuvantes de vacinas?

R:São substâncias que são adicionadas as vacinas para aumentar a resposta do sistema imune(sistema de defesa do organismo).1

2.Que estudos foram feitos em 2009 para as vacinas contra a gripe H1N1? Houve algum feito em mulheres grávidas?

R:Estudos para testar as vacinas contra a gripe H1N1 em crianças e adultos saudáveis e as mulheres grávidas estão em andamento nos Estados unidos.Há alguns resultados  de estudos já disponíveis que foram feitos em adultos não-gestantes e crianças.

Os resultados mostram que o sistema imunológico respondeu bem à vacina contra o H1N1.Em termos de segurança, os resultados foram muito semelhantes aos observados em estudos de vacina contra a gripe sazonal(comum).Estes estudos foram  conduzidos pelo Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (NIAID) e pelos fabricantes das vacinas.Para maiores detalhes veja: Relatórios sobre os estudos(em inglês) e

Estudo em gestante ( em andamento) com vacina antiinfluenza H1N1 sem adjuvante

3. Quais são os adjuvantes de vacinas licenciados nos Estados Unidos?

R:  Sais ou gel de alumínio são os adjuvantes de vacinas licenciados para uso nos Estados Unidos ( o alumínio é um dos metais mais comuns encontrados na natureza e está presente no ar, alimentos e água).

4.Qual a duração da proteção conferida pela vacina antiinfluenza?

R:Um ano. O vírus da gripe é capaz de mudar suas características com muita frequência e a cada ano é necessário o desenvolvimento de nova vacina sob orientação da OMS.

5. Nas vacinas antiinfluenza sazonal e anti H1N1 que foram aplicadas nos Estados Unidos, algum adjuvante fora utilizado?

R: Não, não foram utilizados adjuvantes em nenhuma vacina antiinfluenza sazonal tampouco na anti H1N1 pandêmico de 2009

6.A vacina contra a gripe H1N1 pode ser tomada a qualquer momento(em qualquer trimestre) durante a gravidez?

R:Ambas as vacinas antiinfluenza, tanto a contra a gripe sazonal e a anti H1N1 pandêmico são recomendadas para mulheres grávidas, em qualquer trimestre durante a gravidez.

7.Por que as gestantes devem tomar a vacina antiinfluenza sazonal e a anti H1N1?

R: A mulher gestante tem um risco maior para ter a gripe sazonal e segundo trabalhos publicados em jornais médicos tem um risco 13 vezes maior de ter complicações e de internação por gripe suína(H1N1), principalmente após a 20ª semana de gravidez,constituindo portanto, grave ameaça a mãe e ao seu bebê.A PULMAOSA adverte,com base em recomendação da literatura médica disponível, que as vacinas antiinfluenza são a melhor maneira de proteger a você e a sua família contra a gripe sazonal e também contra a gripe suína.

8. A vacina antiinfluenza protege 100% contra a gripe?

R: Não, as vacinas antiinfluenza começam a estimular o sistema imunológico a partir de 14 dias após sua tomada.Por volta de três meses após a tomada da vacina,há um nível de proteção em torno de 80 a 85%.

Portanto, pode-se ter gripe mesmo tendo tomado a vacina,porém esta gripe será mais leve e causará menos complicações,reduzindo em muito a chance de mortalidade.

9. Há vacinas com e sem adjuvantes? O que seria melhor para gestantes?

R: Sim, há de fato disponível no mercado vacinas com e sem adjuvantes.

Como os estudos realizados com gestantes foram realizados sem adjuvantes,e como não fora realizada aplicação nos Estados unidos de vacinas com adjuvantes,por uma questão de prudência, deve se preferir a vacina sem estes produtos para gestantes.

É preciso esclarecer, contudo que as vacinas com antiinfluenza com adjuvantes foram consideradas seguras para a população não gestante.

10. Em que situações a vacina antiinfluenza sazonal e a anti H1N1 não devem ser tomadas?

R: As vacinas antiinfluenza NÃO deverão ser tomadas:

  • Por pessoas com histórico de alergia severa a ovo,
  • Quando há alergia a vacina da gripe sazonal;
  • Quando há febre;
  • E por crianças com menos de seis meses de idade (A vacina não foi aprovada para este grupo).

REFERÊNCIAS:

(1). Davenport L. Regulatory considerations in vaccine design. In:Vaccine design: The subunit and adjuvant approach. Powell M, Newman M, editors. New York: Plenum Press; 1995.

(2). CDC-USA- Centers for Disease Control and Prevention guidelines;

(3) US. National Institute of Allergy and Infectious Diseases;

(4)USIH- United States Institutes of Health

(5)PULMÃO S.A. –Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

Siga-nos no TWITTER: http://twitter.com/PulmaoSA

Veja também:

Cronograma de Vacinação contra o H1N1

PULMÃO S.A. ALERTA: Gestantes têm 13 X mais chance de gripe suína grave

O que gestantes devem saber sobre gripe suína?

Risco de epidemia maior faz PULMÃO S.A. defender vacina para escolares

De Volta para o Futuro: Seus Avós tomaram Vacina da Gripe em 1958?

Gripe Suína/ H1N1:Guia para Escolas

Perfil Epidemiológico da Gripe H1N1 nos USA

ASMA:Principal Condição Associada a Internações por H1N1 nos USA

Miocardite em Crianças com Gripe H1N1

ENGLISH

FAQs ABOUT H1N1 influenza vaccine, PREGNANT WOMEN AND ADJUVANTS

The purpose of this article is to make clear the matter involving antiinfluenza vaccines’ adjuvant, especially after the emphasis given to pregnant women, The PULMAOSA publishes a FAQs with questions and answers below :

1. What are vaccines‘ adjuvants ?

A: These are substances that are added to vaccines to increase immune response system .1

2. What studies were done in 2009  about  H1N1 -vaccines ? Has there been some study done with pregnant women?

A: Studies to test vaccines against H1N1 influenza in healthy children, adults and pregnant women are currently underway in the United States.

There are some results of studies already available, which were made in adult non-pregnant women and children.
The results show that the immune system responded well to the vaccine H1N1. In terms of safety, the results were very similar to those observed in studies of vaccines against seasonal flu. These studies were conducted by the U.S.National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIAID) and by vaccines ‘industry. For more details see:

a.Reports about the studies (in English);

b.Study in pregnant women (in progress) with H1N1 influenza vaccine without adjuvant.


3. What are the vaccine adjuvants licensed in the United States?

A: Gel or salts of aluminum are vaccine adjuvants licensed for use in the United States (aluminum is one of the most common metals found in nature and is in the air, food and water).


4. How long will protection conferred by influenza vaccination?

A: One year. The flu virus can change its characteristics so often and each year it is necessary to develop new vaccine under the guidance of WHO (World Health Organization).


5. In seasonal vaccines and anti-influenza H1N1 that have been applied in the United States, some adjuvant was used?

A: No, any adjuvants were used  neither seasonal influenza vaccine nor in anti H1N1 pandemic vaccines in U.S.

6. The vaccine against H1N1 may be taken at any time (in any trimester) during pregnancy?

A: Antiinfluenza vaccines, both seasonal flu and also anti H1N1 pandemic vaccine are recommended for pregnant women in any trimester during pregnancy.

7. Why pregnant women should take the seasonal influenza vaccine and anti H1N1?

A: The pregnant women has a greater risk to have the seasonal flu and according studies published in medical journals, they have about 13 times more likely to have complications and hospitalization due to swine influenza/ H1N1, especially after the 20th week of pregnancy, thus constituting a serious threat for the mother and for her baby.

PULMAOSA warns, based on the recommendation of the medical literature available, that anti-influenza vaccines are the best way to protect you and your family from seasonal influenza and also against swine flu.

8. The influenza vaccine protects 100% against the flu?
A: No, the anti-influenza vaccines are beginning to stimulate the immune system from 14 days after shot. About three months after taking the vaccine, there is a level of protection around 80 to 85%.
So you can have flu even after taking the vaccine, but in this case, the flu will be lighter and will cause less complications, reducing the chance of mortality.

9. Vaccines are available with and without adjuvants? What would be better for pregnant women?

A: Yes, there are actually commercially available vaccines with and without adjuvants.
As studies in pregnant women were performed without adjuvants, and as no application had been made in the United States of vaccines with adjuvants, and as a matter of prudence,  you should prefer the vaccine without these products to pregnant women.
It should be clear, however, that the anti-influenza vaccines with adjuvants are considered safe for non-pregnant population.


10. In what situations the seasonal influenza vaccine and anti H1N1 should not be taken?
A: The anti-influenza vaccines should not be taken:
• For people with a history of severe allergy to eggs,
• When there is allergy to seasonal flu vaccine ;
• When there fever is a present signal;
• And for children under six months old (The vaccine was not approved for this group).

SOURCES:

(1). Davenport L. Regulatory considerations in vaccine design. In:Vaccine design: The subunit and adjuvant approach. Powell M, Newman M, editors. New York: Plenum Press; 1995.

(2). CDC-USA- Centers for Disease Control and Prevention guidelines;

(3)US. National Institute of Allergy and Infectious Diseases;

(4)USIH- United States Institutes of Health

(5) PULMAOSA- Lungs,Your Atmosphere,Your Life! ®

Follow us at TWITTER: http://twitter.com/PulmaoSA

Categorias:Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

CDC:NOVA VACINA ANTIPNEUMOCÓCICA – CDC: New pneumococcal vaccine

16 de março de 2010 Comentários desligados

CDC APROVA NOVA VACINA ANTIPNEUMOCÓCICA PARA CRIANÇAS

O comitê de Imunizações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos  (CDC)  recomendou o uso de uma vacina conjugada 13-valente (PCV13-Prevnar-13), que afere maior proteção para as crianças contra doenças pneumocócicas.

O Streptococcus pneumoniae é uma bactéria comumente envolvida em pneumonias,otites, faringites,meningites e pode se associar inclusive a gripe pandêmica H1N1.

O comitê de Imunizações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) recomendou o uso de uma vacina conjugada 13-valente (PCV13-Prevnar-13), que afere maior proteção para as crianças contra doenças pneumocócicas.

O Streptococcus pneumoniae é uma bactéria comumente envolvida em pneumonias,otites, faringites,meningites e pode se associar inclusive a gripe pandêmica H1N1.

A PULMÃO S.A. em diversos artigos alertou a população sobre a possibilidade de associação com o pneumococcus, e aconselhou a cobertura vacinal com a vacina anti pneumocócica para adultos a Pneumo-23(Pneumococo aumenta risco de doenças graves em pacientes com H1N1 )

A Prevenar 13 sucederá Prevnar-7, um PCV 7.  Esta nova versão da vacina ampliou o espectro de proteção contra mais seis sorotipos de S. Pneumoniae em comparação com a versão heptavalente.

A Prevnar 13 inclui o sorotipo 19A, que é o sorotipo mais comum de infecções pneumocócicas invasivas em crianças, segundo um estudo publicado em 22 de fevereiro na revista Pediatrician. Além do sorotipo 19A, a Prevnar -13 também contém antígenos conjugados representando os sorotipos 1, 3, 4, 5, 6A e B, 7F, 9V, 14, 18C, 19F e 23F.

A Vacina PCV- 13 aprovada pelo FDA em 24 de fevereiro, foi  licenciada pelo laboratório Wyeth, adquirido recentemente pela Pfizer, e é recomendada para crianças entre 2 a59 meses.

FONTES:

CDC- Advisory Committee on Immunization Practices (ACIP)

PULMAOSANews- PULMAOSA- Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

ENGLISH

CDC APPROVES NEW PNEUMOCOCCAL VACCINE FOR CHILDREN

The Advisory Committee on Immunization Center Control and Prevention in the United States (CDC) recommended the use of a combination vaccine for 13-valent (PCV13-Prevnar-13), which measures greater protection for children against pneumococcal disease.

Streptococcus pneumoniae is a bacterium commonly involved in pneumonias, otitis, pharyngitis, meningitis and can be associated including with pandemic influenza H1N1.

The PULMAOSA in several articles warned the population about the possibility of H1N1 association with the S. pneumoniaes, and advised for the immunization coverage with pneumococcal vaccine for adults Pneumo-23 and also 7-Prevnar to children with lesser than 2 years-old ( see: Pneumococcal increases risk of serious disease in patients with H1N1)

The New 13- Prevenar will be a successor of Prevnar -7. The new version of the vaccine increased the spectrum of protection against more serotypes of S. pneumoniae compared with the heptavalent version.

Prevnar 13 includes serotype 19A, which is the most common serotypes of invasive pneumococcal infections in children, according to a study published on 22 February in the journal Pediatrician. In serotype 19A, Prevnar -13 also contains antigens conjugated representing serotypes 1, 3, 4, 5, 6A and B, 7F, 9V, 14, 18C, 19F and 23F.

The PCV13 vaccine was aprooved by FDA in last February, 24 th and was  licensed by Wyeth pharma, recently acquired by Pfizer and  is recommended for all children aged 2 through 59 months.

SOURCES:

CDC-Advisory Committee on Immunization Practices (ACIP)

PULMAOSANews-Lungs- Your Atmosphere, Your Life! ®

%d blogueiros gostam disto: