Arquivo

Posts Tagged ‘Tabagismo’

A Importância da Nutrição na Cessação do tabagismo em Mulheres

26 de março de 2013 Comentários desligados

Nutrição no tratamento do Tabagismo

Uma Esperança a mais: Nutrição no tratamento do Tabagismo

A Importância da Nutrição na Cessação do tabagismo em Mulheres

                                                                   

                                                                               Márcia M. M. T. LOBO 1

                                                                                                       MARCOS H. S. NASCIMENTO 2                        

1. Nutricionista, Mestranda do Programa de Segurança Alimentar da UFPR – Paraná – Brasil

2. Editor Médico do site Pulmao S.A

 

A estratégia no estímulo do abandono do tabagismo em mulheres deve ser priorizada, frente à crescente exposição ao tabaco associado às campanhas de promoção da indústria tabagista para este grupo populacional.

O tabagismo é a principal causa de morte prevenível no mundo, e é considerada uma patologia com CID (Código Internacional de Doenças) próprio para designá-la, o F17.2. O tabagismo por si, é capaz de gerar outras 50 doenças, sendo o principal responsável por doenças não comunicantes, e provocar 30% de todas as mortes por câncer, entre estes o câncer de pulmão que apresenta relação inequívoca com o tabagismo e é o atual líder de óbitos decorrentes desta patologia tanto em homens quanto em mulheres nos Estados Unido e no Brasil (1) .

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS),atribuem cerca de 5,4 milhões de óbitos por ano ao tabagismo, sendo o Brasil responsável por 200 mil destes óbitos (2,3).

Embora a prevalência do tabagismo no Brasil venha declinando nos últimos anos (17,5% do total de adultos (acima de 15 anos),sendo 22% do sexo masculino e 13% do sexo feminino) , as capitais das regiões Sul do país têm apresentado alta prevalência de tabagismo entre mulheres sendo 17,5% em Porto Alegre (RS),15,5% em Curitiba (PR) e Florianópolis(SC) 15,3%.Tal fato pode indicar uma necessidade de priorizar a promoção da saúde e do controle do tabagismo focado prioritariamente na mulher (4,5).

O controle e a redução da prevalência do tabagismo são de fundamental importância uma vez que pode proporcionar ganhos tanto em saúde, quanto em recursos financeiros (6). Sobre este contexto, as diretrizes para a cessação do tabagismo, da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) preconizam que a presença de um nutricionista na equipe multidisciplinar é de grande importância (7).

No que se refere especificamente à mulheres e a sua relação a sua imagem corporal, esta , representa uma questão relevante na vida deste grupo, onde o medo do  ganho de peso corporal representa um dos grandes desestímulos para o abandono do tratamento para a cessação do tabagismo, mesmo que os benefícios para a saúde sejam conhecidos, associado à outros fatores como alívio do estresse e da ansiedade (8).

É crucial, que seja avaliado o hábito alimentar frequente ou adquirido após o referido tratamento, assim como o monitorar o peso corporal, para que sejam estabelecidas condutas que contribuam para o sucesso da cessação do tabagismo, afinal o ganho de peso é citado como a principal razão para a não adesão ao tratamento para parar de fumar, visto que a grande variação no ganho ponderal e seu mecanismo, constitui-se uma das principais causas para o aumento da ingestão calórica e a diminuição da taxa metabólica de repouso (9).

Há evidências que a nicotina promove um aumento no gasto energético. Isto é explicado pelo fato do consumo de um único cigarro induzir a um aumento no gasto energético do organismo da ordem de 3%, em um período de 30 minutos. E, em concomitância promove a diminuição do apetite, ocasionada pela rápida chegada da fumaça da nicotina ao cérebro (cerca de 6 a 10 segundos), permitindo aumento na concentração de alguns neurotransmissores, como a dopamina  e a serotonina,  que são substâncias inibidoras  da ingestão  de  alimentos.  Isto explicaria o fato dos fumantes tenderem a apresentar menor peso corporal quando comparados à não fumantes, instituindo uma crença de que fumar é uma forma eficiente de controlar o peso corporal (10,11) .

 

Portanto para a obtenção de melhores resultados nas políticas de controle do tabagismo, direcionadas à mulheres, dever-se-ia  considerar a influência do controle do peso corporal adequado obrigatoriamente através de uma intervenção nutricional assertiva. Os objetivos desta estratégia é atingir taxas de êxito maiores na cessação do tabagismo, justificando que o controle da ingestão alimentar mais que um adendo ao tratamento, apresenta-se como uma condição “si ne qua non” no processo de tratamento de cessação do tabagismo em mulher.

 
REFERÊNCIAS

 

  1. NASCIMENTO, M.H.S. Doenças Crônicas: Pedágio caro para o Brasil, os USA e o Mundo. Available from: https://pulmaosarss.wordpress.com/2012/03/16/doencas-cronicas pedágio-caro-para-o-brasil-os-usa-e-o-mundo/.Acesso em 12/03/2012.

 

  1. World Health Organization (WHO). The World Health Report 2002: Reducing risks, promoting healthy lifestyles. Geneva: WHO, 2002.

 

  1. Instituto Nacional do Câncer (INCA). Tabagismo no Brasil: Dados e Numéricos. Brasilia: Ministério da Saúde, INCA. Available from: http://www.inca.gov.br/tabagismo/index.as  Acesso em 20/03/2012.

 

  1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Global Adult Tobacco Survey(GATS):Brasil,2008.IBGE;2009.

 

  1. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde; Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes e Recomendações para o Cuidado Integral de Doenças Crônicas Não-Transmissíveis: Promoção da Saúde, Vigilância, Prevenção e Assistência. Brasília,2008.

 

  1. PISINGER, C.; GODTFREDSEN,N.S. Is there a health benefit of reduced tobacco consumption? A systematic review. Nicotine To Res.9(6):631-46, 2007.

 

  1. REICHERT,J.et al ,Diretrizes para cessação do tabagismo, Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT). J Bras Pneumol. 34(10):845-880, 2008.

 

  1. SCARINCI,I.C.et al.Sociocultural factors associated with cigarette smoking among women in Brazilian worksites:a qualitative study.Health Promotion international,v.22,n.2,p.146-154,2007.

 

  1. FILOZOF,C.;FERNANDEZ,P.M.C.;FERNANDEZ,C.A. Smoking cessation and weight gain. Obes Rev,5:95-103, 2004.

 

  1.  CHIOLERO,A., FAETH.D., PACAUD, F., CORNUZ, J. Consequences of smoking for body weight, body fat distribution, and insulin resistance. Am J Clin Nutr ;87:801–9,2008.

Cristo Redentor será iluminado de vermelho para marcar o dia mundial sem tabaco no Brasil

31 de maio de 2012 Comentários desligados

Cristo Redentor será iluminado de vermelho para marcar o dia mundial sem tabaco no Brasil

20120531-054057 PM.jpg

Fonte:
PulmaoSANews

De Mãe para mãe: Dicas de como parar de fumar no dia das mães

14 de maio de 2012 Comentários desligados

De Mãe para Mãe : Dicas de como parar de fumar no dia dos mães

A @PulmaoSA tem a honra de apresentar um video do CDC, editado e legendado pelo Centro de apoio ao tabagista do Rio de Janeiro ( CAT), com dicas preciosas de uma mãe ex- fumante para parar de fumar:

Fontes:

CDC – Center for Diseases Control – USA;

CAT – Centro de Apoio ao Tabagista – Rio de Janeiro

In terms of public health and tobacco prevention: Enough is just enough!

19 de março de 2012 Comentários desligados

Enough is enough

Marcos Nascimento, MD.

In addressing the tobacco control policies that promote smoking cessation, we can separate them into two groups:

a) Public Health Approaches: are increasing attempts to stop smoking:

  • Increased taxation;
  • Regulations to restrict smoking in public places and workplaces;
  • The Campaign of mass media.

b) Approach in Healthcare: increased rates of smoking cessation:

  • Help / Treatment Smokers.

Evidently tobacco addiction is a multidimensional phenomenon. Thus a proper treatment should include dimensions beyond pharmacological while also addressing the issues of psychological and behavioral addiction. Tell that to treat smokers just put drugs in the pharmacy is a popular reductionism overwhelming.

From the perspective of public health strategies we have to be more cost-effective. If a country have little money, it naturally must to select priorities within the priorities and see which option expense is the best. Of all the strategies listed the most cost-effective policies are smoke free environments.

The countries who are enrolling in a upward trend in the prevalence of tobacco related diseases like lung cancer, cardio vascular diseases and COPD, etc, can not afford to lose the way in terms of tobacco control. Some countries like Australia, Canada, Uruguay and Brazil are giving good examples about tobacco control and Pulbic Health issues.

In order to draw the attention of managers of public and private health for the cause, I have recently published in this website an article titled “The Smoking math formula: ” Smoking = COPD + P
ie., smoking is a generator of Cardiac, Oncologic, Pulmonary Diseases + Pediatric and calls attention to COPD, a disease underdiagnosed with high personal and economic impacts which are now the 3rd death cause in US.

Thus didactical formula Indicates the need for an early & all-embracing approach to smoking because it generates 52 other diseses and produces a huge financial resources scrap, including reducing the productivity of businesses – And just like the tobacco disease, the finance costs are also preventable. Thus the necessity to  early involve children and young people in prevention education with the creation of aplications (Apps), games and cartoons, as proposed in the “children’s story Zoo Logic?”

We can justify, rationalize, and pontificate about individual freedom all we want, but in the tobacco prevention there is “the role of nicotine,” that imposes a high and uncontrolled addiction, and if we go for this process, we will stick our heads in the sand.

The reality is cruel because millions of people are suffering and dying unnecessarily every day. We have the collective means to do something about it with minimal personal sacrifice. Thus, we can keep walking and trying to solve the problem accepting the necessity of public smoke free environments.

In fact, we achieved some important gains in preventing smoking-related diseases in the latest years.  But in terms of public health: Enough can be just enough!

Mainly, because the Life is in the game!

So, Enough is enough. It’s time to step up!

With All Respect,
Marcos Nascimento,MD
Medicine Professor
http://twitter.com/PulmaoSA

Ética Deve ser Global, e não local

11 de março de 2012 Comentários desligados

Ética Deve ser Global, não local

                                    Dr. Marcos Nascimento, MD.

Nesta semana ocorrerá reunião da diretoria da agencia reguladora do Brasil –ANVISA- em se que abordará a questão da proibição/restrição da adição de açucares, aromatizantes ou flavorizantes que dêem sabores ao tabaco e aos seus subprodutos como os cigarros.

Resumidamente há três focos a serem discutidos nesta reunião:

1.    O Tabagismo e suas consequências para a Saúde Pública:

O Tabagismo por estar associado a mais de 50 doenças, é tido como a maior preocupação da Organização Mundial da Saúde, ocasionando ruína pessoal e mortes em escala global na ordem de 200.000/ ano no Brasil e Seis Milhões de pessoas no mundo 1

A adição de quaisquer tipos de açúcares e ou aditivos à base de menta e outros aromatizantes, reconhecidamente aumentam tanto o poder da adição da nicotina ( vício), como a liberação de várias toxinas como o alcetaldeído 2, estimulando desta forma a iniciação dos jovens e adolescentes a produtos derivados de tabaco, principalmente os cigarros, mas também  no fumo usado para charutos, cachimbos e narguilé por exemplo.

2.    A versão da Indústria Tabagista:

 A indústria tabagista internacional  age conforme o esperado para uma empresa que possui ações na bolsa de valores justificando o lucro do seu negócio perante os seus acionistas. Para isso, nega as evidências científicas de que o açúcar aumenta o poder viciante da nicotina.

Outrossim, a Indústria do fumo tenta transformar a discussão focando apenas a questão econômica a respeito de uma commoditie internacional e as decorrentes consequências nos mercados local e internacional de tabaco, regateando sobre o quanto a proibição dos flavorizantes e do açúcar poderá  afetar as exportações brasileiras, e em concomitância…  o seu  lucro!

 3.    O Papel da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária –ANVISA:

Por definição, a agência reguladora foi criada para defender o interesse da população, isto é o interesse de todos os cidadãos brasileiros que pagam os seus impostos e confiam que sempre a postura ética será tomada em favor dos interesses da Saúde Pública, conforme descrito na página virtual na internet da própria ANVISA ( veja a figura abaixo).

Missão da Anvisa

 

Ao envolver os danos provocados pelo tabagismo, a discussão do dia 13 de março abordará uma causa de preocupação mundial em relação a vida humana, e será sobretudo sobre Ética.  Mas o que é a Ética? A Ética dos negócios pode ser aplicada ou adaptada de acordo com regras locais ou deve ser a mesma globalmente?

Avaliando os argumentos da indústria tabagista, não se consegue descobrir como líderes de organizações empresariais podem atuar com um conjunto de princípios em sua terra natal e outra no exterior. Em se tratando de princípios, a Ética DEVE ser GLOBAL e NÃO local!

Portanto, o que estamos discutindo aqui, e o que se discutirá em Brasília na próxima terça-feira (13 de março), é se a Ética funciona ou não no mundo real.

Ética numa definição simples de Paulo Coelho: “ É a preocupação com o seu vizinho, é pensar duas vezes antes de agir em benefício próprio ( vídeo em Inglês)

E sobretudo, se quando somos instados a defender a Ética e reconstruir as ruínas do sistema,  possamos recolocar a Saúde Humana próxima dos valores do coração e não ao lado do dinheiro.

Em suma, espera-se que a Ética compareça `a reunião da diretoria da Agência Reguladora brasileira, e não se  resuma apenas a uma definição virtual em sua página da internet, e  que esteja sim, de fato, alinhada com o mundo real.

FONTES:

  1. 1.    OMS – Organização Mundial de Saúde
  2. 2.    Talhout et al, 2007:  sugars in tobacco
  3. 3.    ANVISA – Web Page
  4. 4.    Paulo Coelho, YouTube free Video

 

 

 

Alguém já explicou porque você tem DPOC?

22 de fevereiro de 2012 Comentários desligados

Alguém já explicou porque você tem DPOC?

Apresentações classicas da DPOC: Enfisema pulmonar & bronquite crônica

Faça a seguinte experiência: Inspire o máximo que você puder, encha os pulmões de ar e prenda a respiração. Agora, Expire apenas um pouco, e logo depois prenda a respiração. A partir deste ponto ( ainda com os pulmões cheios de ar), volte a respirar, mas tendo como base este intervalo.

É exatamente deste jeito que um portador de DPOC respira com os pulmões cheios de ar, mas com uma capacidade de Expirar ( colocar o ar para fora) limitada.

Isso acontece porque a DPOC, sigla que significa Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica ( mais conhecida popularmente como enfisema pulmonar ou bronquite crônica), provoca uma inflamação nos brônquios do pulmão que obstruem a passagem do ar. Como o ar para sair do pulmão precisa ser “empurrado” por uma pressão positiva gerada pelos músculos, ele encontra dificuldade e fica aprisionado, leva a uma hiperinsuflação pulmonar, sendo um dos motivos para a falta de ar (oxigênio).

DPOC

A DPOC ainda é uma doença muito desconhecida pela maior parte da população, incluindo os seus portadores.

O perfil da pessoa com DPOC em geral é de uma pessoa fumante, com cerca de 40 anos e que apresenta como principais sintomas a tosse e a falta de ar.

Os tabagistas acham que a tosse é um produto que vem natural e “gratuitamente” com o cigarro e que um dia vai passar… Grande engano! A tosse não cessa, ao contrário,  tende a piorar e o tabagista acaba se acostumando achando mesmo que a tosse é normal!

 

Diagnóstico da DPOC

A grande maioria das pessoas que fumam pensam que por terem feito uma radiografia de tórax recentemente, e esta encontra-se com o laudo “normal.” Infelizmente a imagem não é tudo! A Radiografia de tórax pode ser normal e ainda assim o paciente pode apresentar DPOC.

O Exame que diagnostica DPOC é a espirometria ou prova de função pulmonar ( também conhecida popularmente como “teste do sopro”). A espirometria avalia dados da função pulmonar que podem indicar ser o fumante portador de DPOC.

 

Mas Lembre: Fumar provoca 52 doenças diferentes e uma delas é a DPOC!

 

Indústria Tabagista & DPOC

 Para a “felicidade” da Indústria de derivados de tabaco, como a de cigarros, os fumantes acham que podem parar de fumar a qualquer momento. Isto, para a enorme maioria da pessoas não acontece, por uma razão muito simples:

O CIGARRO CONTÉM NICOTINA UMA SUBSTÂNCIA QUE QUE VICIA, PROVOCA DEPENDÊNCIA QUIMICA E IMPEDE A PESSOA DE PARAR DE FUMAR!

Segundo o editor médico da PULMAOSA, O Dr. Marcos Nascimento, ” é por esta razão que parar de fumar sem acompanhamento médico é extremamente difícil: apenas 3 a 5 pessoas a cada 100 conseguem.” Por isto, a necessidade de procurar por ajuda psicológica e médica para iniciar um tratamento cognitivo comportamental, complementa o Dr. Nascimento. E caso seja necessário utilizar medicamentos para minorar a síndrome de abstinência – que é aquele desejo incoercível de voltar a fumar, há vários medicamentos que podem ser usados para este fim.  De tal forma que com acompanhamento, o tratamento do tabagismo terá maior chance de sucesso e você pode impedir a progressão da DPOC.

Como qualquer empresa comercial as industrias tabagistas desejam apenas LUCRO para poder remunerar os seus acionistas.  As indústrias tabagistas obviamente sabem que o cliente pode ficar doente! Aliás, é exatamente por saber que seus clientes ficarão doentes, e poderão morrer ou deixar de ser clientes, é que desenvolveram um Marketing extremamente focado nos jovens e nas mulheres para retroalimentar sua base de consumidores e por conseguinte continuar seu negócio lucrativo.

 Parar de Fumar e DPOC

Há um ditado chinês em que alguém pergunta quando é o melhor momento para se plantar uma árvore. E a resposta diz que o melhor momento foi há vinte anos. O segundo melhor momento é agora!

Portanto, assim é com o DPOC e o tabagismo: O Melhor, seria não fumar em momento algum, mas SEMPRE será um excelente momento para PARAR DE FUMAR. Sendo assim, procure a ajuda de um(a) pneumologista, ele(a) saberá informa-lo(a) sobre os malefícios do cigarro e conduzir o melhor tratamento para a DPOC, começando pelo parar de fumar!

Fontes:

Pulmão S/A: Sua Atmosfera, Sua Vida!®

OMS: Organização Mundial da Saúde

Pulmões Sempre Trabalhando!

5 de dezembro de 2011 Comentários desligados

Melhore a Saúde do seu Pulmão: Sorria!

Pulmões Sempre Trabalhando!

Seus pulmões realizam um trabalho surpreendente todos os dias. Funcionam como uma grande hidrelétrica, fornecedora de  energia (leia-se oxigênio), para um país ( para todo o corpo).

Pulmões saudáveis  fornecem grandes quantidades de oxigênio para o sangue, e é isto que lhe permite trabalhar, andar, correr, brincar e viver bem. Eles também removem o dióxido de carbono (CO2), e outros gases residuais que seu corpo não precisa. Há muitas coisas que você pode fazer para manter seus pulmões saudáveis e livre de doença. Veja as dicas e o vídeo abaixo:

  1. Você fuma? Então, procure ajuda para parar de fumar;
  2. Evite o fumo passivo: proteja tanto você, quanto os entes queridos e mesmo os seus animais de estimação;
  3. Seja criativo para proteger os pulmões das crianças;
  4. Mantenha as suas mãos e a das crianças lavadas com água e sabão;
  5. Vacine-se contra a gripe e proteja-se com as vacinas antipneumocócicas;
  6. Proteja-se da poluição ambiental, e no trabalho procure usar Equipamentos de proteção Individual (EPI);
  7. Siga a @PulmaoSA no Twitter e Torne-se um amigo da @PulmaoSA no Facebook!
  8. Lembre-se dos remédios que não estão em frascos: Sorria mais para ter uma saúde pulmonar melhor!

 

 

FONTES:

PULMÃO S.A. – Sua Atmosfera, Sua Vida!®

YouTube Free Videos

%d blogueiros gostam disto: