Arquivo

Posts Tagged ‘Tamiflu’

O que você deve saber sobre a vacina da gripe 2011/ 2012

14 de agosto de 2011 Comentários desligados

Criança sendo vacinada para gripe

O que você deve saber sobre a vacina da gripe 2011/ 2012

1. Quem deve ser vacinado para gripe?

Todos entre 6 meses de idade em diante deveriam tomar a vacina da gripe. Entretanto crianças maiores que 6 meses, Professores e contatos de crianas com menos de 6 meses de idade, idosos com mais de 60 anos, profissionais de saúde, gestantes, portadores de doença crônica como DPOC, Asma, Diabetes, etc, população indigena constituem o grupo de maior risco, e portanto, prioritário.

 2. Qual a melhor data para receber a Vacina?

Como a vacina demora cerca de 3 meses para atingir seu maior efeito de proteção, o melhor momento para receber a vacina da gripe é  no inicio do outono que no hemisfério norte se dá  em outubro e no hemisfério sul em abril.

 3. Por que estar vacinado contra o influenza?

A gripe é causada pelos vírus influenza e trata-se de uma doença contagiosa, que se transmite através de tosse, coriza ou secreções nasais. O grupo mais afetado é o de crianças que deveriam ser prioritariamente vacinadas. Entretanto, como explicitado acima outros grupos estão sobre risco e deveriam prevenir as complicações de gripe como a pneumonia. Tomando a vacina da gripe você protege- se de complicações, minora o risco de internação e inclusive de óbito pela gripe. Além disso, o vírus da gripe está sempre sofrendo mutações, sendo aconselhado receber  a vacina antiinfluenza anualmente.

A Vacina da gripe da temporada 2011/2012 é Triviral, protegendo contra 3 virus influenza ( um influenza tipo B, um tipo A H2N3 e o influenza tipo A H1N1 da gripe suina)

4. Quais são os riscos associados a vacina da gripe?

A Vacina da gripe que contem vírus mortos  é  tomada por via injetável. Como todo medicamento, pode apresentar reações que em geral são leves:

  • Dor de garganta, tosse, olhos vermelhos e coriza;
  • Febre baixa, dor e inchaço no local da aplicação da injeção.

Quando estes problemas ocorrem, podem iniciar no momento da aplicação e durar entre 24 a 48 horas.

Reações Moderadas:

  • Convulsão pode ocorrer em algumas crianças quando a vacina antiinfluenza for associada a vacina pneumocócica 13 valente ( PCV 13). Portanto, é  prudente saber se a criança possui histórico anterior para convulsão, e perguntar ao seu médico por informações complementares.

Reações Graves:

  • Reações alérgicas graves associadas a vacinas são extremamente raras. O risco para síndrome de Guillain Barré é  de 1 caso para 1 milhao de pessoas vacinadas. Este risco é menor do que o risco para as complicaçoes da gripe.

ATENÇAO: Em alguns paises ha a disponibilidade para Vacinas inalatorias com virus atenuados (vivos e enfraquecidos). Estas vacinas são contraindicadas para gestantes.

5. Onde posso saber mais sobre vacinas?

Pergunte ao seu medico por maiores infomações.

Outras informações podem ser obtidas no site do Ministerio da Saude no Brasil

Vacinas anti H1N1 no Brasil

E nos Estados Unidos no site do CDC

Ou ligando para 1-800-232- 4636 (1-800-CDC-INFO)

FONTES:

PULMAOSA – SUA ATMOSFERA, SUA VIDA! ®

MINISTERIO DA SAUDE BRASIL

CDC – USA

Anúncios

Brasil registra primeira morte por Gripe A em 2011 – Brazil Confirmed the first death from influenza A in 2011

8 de junho de 2011 Comentários desligados

Vacina da gripe em 1957 - Flu Vaccine Shot in 1957

Confirmada primeira morte por Gripe A no Brasil em 2011

Foi confirmada, na manhã desta quarta-feira (8), pela Secretaria de Estado da Saúde do Rio Grande do Sul, a primeira morte por Gripe A no Brasil neste ano. Até agora, foram notificados 87 casos suspeitos da doença, com três confirmados.

A vítima foi uma mulher de 48 anos, residente em Anta Gorda, que iniciou com sintomas gripais no dia 29 de maio.

A Secretaria de Saúde esclarece que a situação da Influenza A H1N1 está sob controle no Estado até o momento. Todos os municípios do Estado contam com medicamento antiviral e outros insumos necessários para o enfrentamento da circulação viral.

O Editor da Pulmão SA, Dr. Marcos Nascimento relembra a necessidade de estar vacinado para a gripe. “A Vacina antiinfluenza é a melhor maneira de se proteger tanto contra a gripe sazonal como para a gripe suina/ H1N1. E Isto é particularmente importante para pessoas do grupo de risco como gestantes, profissionais de saúde, Indígenas, idosos, crianças de 0 a 2 anos de idade,  portadores de doenças crônicas como DPOC e asma, assim como viajantes e aeronautas,” complementa Dr. Nascimento.

FONTES:

PULMAOSANEWS – PulmaoSA – Sua Atmosfera, Sua Vida!

Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul (SES)

ENGLISH

Confirmed the first death from influenza A in Brazil 2011

(PULMAOSANEWS) – It was confirmed on the morning of Wednesday (8), by The Health Office of Rio Grande do Sul State, the first death from influenza A in Brazil this year. So far, 87 suspected cases were reported of the disease, with three confirmed.

The victim was a woman of 48 years, residing in Anta Gorda, which started with flu symptoms on 29 May.

The Health Department declares that the situation of Influenza A H1N1 is under control in the state. All municipalities in the state have antiviral drugs and other inputs needed to combat the viral circulation.
The Md. Editor from PULMAO SA, Dr. Marcos Nascimento recalls the need to get vaccinated for flu. “The anti-influenza vaccine is the best way to protect yourself and your children against seasonal flu and also swine flu/ H1N1,” said Dr. Nascimento.

SOURCES:
PULMAOSANEWS – PulmaoSA – Your atmosphere, Your Life!
Health Secretariat of Rio Grande do Sul State, Brazil

Coloque na Agenda: Vacina da Gripe √

27 de abril de 2011 Comentários desligados

Campanha Nacional de Vacinação da gripe 2011

Coloque na Agenda: Vacina da gripe √

A partir de segunda-feira, 25 de abril inicia-se no Brasil a campanha nacional de vacinação contra a influenza (gripe). A meta do governo brasileiro é vacinar de 24 milhões a 30 milhões de pessoas até o dia 13 de maio de 2011.

Os alvos da campanha de 2011 são: os idosos com mais de 60 anos, indígenas, gestantes e crianças entre seis meses e menos de dois anos de idade devem ser imunizados contra a gripe, dentro da campanha nacional de vacinação.

A PULMÃO S.A. alerta para a necessidade de 2 doses de vacina para as crianças.

A vacina é triviral, portanto oferece cobertura contra os três virus influenza , definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) : 1. H1N1 tipo A,  pandêmico  2009 ( Vírus da gripe suína); 2. H3N2 tipo A e 3. Um virus influenza tipo B.

Vale a pena lembrar que dentre as contra indicações para vacina estão a alergia a albumina (proteína do ovo) e encontrar-se em estado febril no dia da vacinação.

A vacina antiinfluenza é protocolarmente indicada também aos portadores de doenças crônicas, como DPOC, Asma brônquica, Insuficiência Cardíaca, Diabetes Mellitus, etc  pois ao adquirirem gripe têm maior risco de complicações como a pneumonia bacteriana, o que pode tornar necessário a internação hospitalar. Uma vez que a vacina antiinfluenza reduz o risco de gripe, e em concomitância minora o risco de complicações bacterianas, deveria ser também oferecida aos portadores de doenças crônicas, segundo o editor médico da PULMÃO S.A. , o Dr. Marcos Nascimento.

Lembre:

1. Os sintomas da gripe iniciam entre 1 e 7 dias após a infecção ( e têm um período de incubação médio de 2 dias). O início é súbito com febre em geral alta ( > 37,8ºC), mialgia (dor no corpo), dor de cabeça e tosse seca e coriza. Caso seu filho apresente estes sintomas não o leve a escola, e procure um médico.

2. Utilize lenços de papel ao espirrar e use sabão comum e álcool gel a 70% para a higienização das mãos;

3. Antitérmicos e analgésicos podem ser utilizados para controlar os sintomas da gripe, principalmente a febre e a dor, porém não agem contra o vírus da gripe, e devem ser orientados por um médico.

4. A utilização de medicamentos que contenham em sua formula o ácido acetilsalicílico (AAS®, Aspirina®, Doril®, Melhoral® etc.) é terminantemente proibida em crianças com gripe, pela possibilidade de desenvolver a Síndrome de Reye.  Esta síndrome, é rara, mas possui alta letalidade, e como supracitado, está associada ao uso do ácido acetilsalicílico durante infecções virais em crianças, sendo caracterizada por comprometimento do Sistema nervoso Central e hepático. Por isto, sempre consulte um médico antes de tomar qualquer medicamento.

FONTES:

1.PULMÂO S.A. – Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

2.Cives- UFRJ

3. OMS Arquivos.

H1N1:Estudo sugere diferenças na apresentação clínica entre H1N1 e Gripe comum –

26 de maio de 2010 Comentários desligados

Influenza virus

Estudo sugere que a Clínica pode dar pistas e diferenciar Gripe A da Sazonal

PULMAOSANEWS–  Um estudo realizado com pacientes internados em um hospital de Cingapura, que foi publicado na revista médica Archives of Internal Medicine sugere que há possibilidade de diferenciar através de  sinais e sintomas clínicos a gripe sazonal (comum) da gripe epidêmica tipo A ou Suína.

O estudo foi realizado nos primeiros três meses da pandemia de H1N1 em 2009, e evidenciou um padrão clínico diferenciado da gripe A em relação aos pacientes portadores de gripe sazonal.

Resumidamente os pacientes com Gripe Suína/ H1N1 eram mais jovens, e apresentaram um quadro clínico pobre, portanto com poucos sintomas, quando comparados com aqueles portadores da gripe sazonal.

De 547 pacientes com gripe H1N1, 42% tinham:

  • Entre 6 e 18 anos de idade;
  • 35%  de 19 a 35 anos;
  • E apenas 6% estavam numa faixa de  51 anos de idade ou mais velhos.

Nos 193 pacientes que foram diagnosticados com gripe sazonal, os números foram:

  • Respectivamente:  16%, ( Entre 6 e 18 anos);
  • 21% na faixa de 19 a 35 anos de idade;
  • E 23% apresentando  51 anos ou mais.

Febre foi mais comum em pessoas com a gripe sazonal.

Tosse, Odinofagia (dor de garganta), e mialgia (dores musculares) foram  sintomas mais associados a gripe A/H1N1.

O Abstract do artigo pode ser acessado em inglês no link: Archives of Internal Medicine

A PULMÃO S.A. todavia esclarece, com base em consenso do Centro de Prvenção e Controle de Doenças Americano ( CDC), que deve-se tratar a Síndrome gripal, pois em uma epidemia a probabilidade é maior para uma apresentação por vírus pandêmico.

FONTES:

PULMAOSA – Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

Center for Diseases Control- CDC USA;

Archives of Internal Medicine.

ENGLISH

Study suggests that the Clinic can give clues and differentiate Seasonal Influenza from H1N1

PULMAOSANEWS
-A study of patients admitted to a hospital in Singapore, which was published in the medical journal Archives of Internal Medicine suggests that it is possible to differentiate by clinical signs and symptoms of seasonal flu (common) flu epidemic type A or swine.

The study was conducted in the first three months of the pandemic of H1N1 in 2009 and showed a clinical pattern distinct influenza A compared to patients with seasonal flu.

Briefly patients with Swine Influenza / H1N1 were younger and had a poor clinical condition and therefore have fewer symptoms when compared with those suffering from seasonal flu.

Of 547  patients with influenza H1N1,

* 42% were: Patients between 6 and 18 years of age;
* 35% present 19-35 years-old;
* And only 6% were in the range of 51 years of age or older.

In 193 patients who were diagnosed with seasonal flu, the numbers were:

* Respectively, 16% (from 6 to 18 years);
* 21% in the range 19-35 years;
* And 23% had 51 years or more.

Fever was more common in people with seasonal flu.

Cough, sore throat, and myalgia (muscle pain) were more symptoms associated with influenza H1N1.

The abstract of the article can be accessed in English at the link below:

Archives of Internal Medicine

However, The PULMAOSA clarifies, based on consensus of the Center for Disease Control and Prevention (CDC),that the flu syndrome it must be treated , since in one epidemic probability is higher for a presentation on pandemic virus.

SOURCES:

PULMAOSA – Your atmosphere, Your Life! ®

Center for Disease Control CDC, USA;

Archives of Internal Medicine.

Vacina contra a gripe sazonal oferece proteção contra o H1N1 – Seasonal influenza vaccine offers protection against H1N1

22 de maio de 2010 Comentários desligados

Vacina anti Influenza Vaccine

Vacina contra a gripe sazonal oferece proteção contra o H1N1

Desde 2009 a PULMÃO S.A tem alertado de forma pioneira para a necessidade de se estar vacinado para a gripe sazonal (gripe comum), como uma forma também de proteção contra a gripe suína H1N1. Pois ao vacinar-se para a gripe sazonal, entra-se a em contato com 3 cepas virais diferentes e com potencial pandêmico.

Em 2009, o Editor Médico da Pulmão S.A, Dr. Marcos Nascimento, chamou a atenção para este fato em artigo intitulado Gripe Suína- Editorial a respeito da situação– e  inclusive conclamava para que as pessoas estivessem com a vacinação sazonal em dia, e que este fato poderia inclusive ser uma resposta para  a explicação do motivo pelo o qual os idosos estariam sendo menos comprometidos pelo vírus influenza pandêmico H1N1.

Agora em 2010, em um recente estudo publicado pela revista médica Plos one, que contou com a participação de  1.205 militares que contraíram a gripe suína  em 2009 (vírus H1N1 pandêmico 2009), os pesquisadores comunicaram os seguintes dados :

  1. Aqueles que tinham recebido a vacina contra a gripe sazonal no ano anterior, apresentavam um nível de proteção ou eficácia vacinal (EV) de 45% contra o novo vírus;
  2. Aqueles que tinham sido vacinados contra a gripe sazonal em 2004 apresentaram 41% de EV;
  3. O estudo também mostrou EV de 62% contra manifestações graves ou complicações da doença!
  4. A vacina sob a apresentação injetável apresentou uma maior EV (44%), em comparação com a vacina realizada com pulverizador nasal,* ou inalador nasal, cuja EV ficou em (24%).                      *Vacina antiinfluenza Inalatória -existente  nos Estados Unidos.

O Estudo pode ser acessado na ítegra em Inglês no Link : Estudo Ratifica  artigo da PULMAOSA

Fontes:

PULMAOSANEWS

PULMAOSA- Sua Atmosfera, Sua Vida! ®

Plos one

ENGLISH


Seasonal influenza vaccine offers some protection against H1N1

Since 2009 the PULMAOSA has warned as one of the pioneers the need to be vaccinated for seasonal influenza (flu), as a form to be protect against pandemic H1N1.

After all when immunized for seasonal flu, we are increasingly coming into contact with three different viral strains with pandemic potential .
In 2009, the Medical Editor of PULMAOSA, Dr. Marcos Nascimento, drew attention to this fact in an article titled Editorial about Swine flu-(only in Portuguese) urged that it would be necessary for people to be vaccinated against seazonal flu as a form of to be protect against pandemic H1N1, and this fact could even be the answer for the explanation of the reason  the elderly were being less affected by pandemic influenza virus H1N1.

Now in 2010, in a recent study published in the medical journal PLoS one that included the participation of 1,205 soldiers who contracted the flu in 2009 (H1N1 pandemic in 2009), researchers reported the following data:
1. Those who had received the vaccine against seasonal influenza in the previous year had a 45% level of vaccine efficacy (VE) against the new virus;
2. Those who had been vaccinated against seasonal influenza as early as 2004 showed a 41% EV;
3. The study also showed EV 62% against severe disease!

4. The shot vaccine gave a higher VE (44%) compared with the vaccine performed with nasal spray or nasal inhaler (24%)-[This presentation existing and performed in the United States].
The Abstract of the Study can be accessed in English Link: Study Ratifies 2009 article of  PULMAOSA

Sources:
PULMAOSANEWS
PULMAOSA-Your atmosphere, Your Life! ®
Plos one

Mortes pediátricas por H1N1 nos USA foi 4 vezes maior que gripe comum -H1N1 Pediatric deaths in the USA were 4 times larger than seasonal influenza

7 de maio de 2010 Comentários desligados

Influenza Virus

Mortes pediátricas por H1N1 nos Estados Unidos é 4 vezes maior que gripe comum

PULMAOSANEWS– Orlando, FL- Em comunicado realizado durante reunião da Academia  Americana de Pediatria  fora constatado por técnicos do CDC que a pandemia de gripe H1N1 matou 317 crianças em suas duas primeiras ondas nos Estados Unidos! Este número é quase quatro vezes o número médio de mortes pediátricas – observado nas últimas cinco estações de gripe, que foram 82.

A maioria dos óbitos aconteceram em crianças pertencentes a grupos de risco e numa faixa etária média de 9,4 anos, portanto mais velhas em comparação com o grupo comumente afetado pela gripe comum ou sazonal, cuja média foi de 6,2 anos. uma diferença que era significativo em P <0,01.

Este dado corrobora e reforça o pedido realizado pela PULMAOSA para que o Ministério da Saúde  estenda a cobertura dos escolares no Brasil.

O CDC informa ainda que dos óbitos associados à gripe pandêmica, 205 (ou 65%) tinha uma condição de alto risco médica subjacente.

Essas condições incluem doença pulmonar obstrutiva crônica, distúrbios neurológicos, Asma e doença cardíaca.   Mas, em contrapartida, entre os 155 que morreram nas últimas duas temporadas da gripe, apenas 67 (ou 43%) eram portadores destas comorbidades.

Não houve diferenças significativas na raça, gênero ou etnia, segundo o CDC.

Acesse a PULMAOSA no TWITTER

FONTES:

PULMAOSANEWS

CDC- USA

ENGLISH

H1N1 Pediatric deaths in the USA was 4 times larger than seasonal influenza


PULMAOSANEWS– Orlando, FL-In a statement during a meeting of the American Academy of Pediatrics, the CDC’s experts told that pandemic influenza H1N1 has killed 317 children in their first two waves in the USA! This number is almost four times the average number of pediatric deaths – observed in the past five flu seasons, which were 82.

Most deaths occurred in children belonging to risk groups and a mean age of 9.4 years, so older compared with the group commonly affected by common cold or seasonal, which averaged 6.2 years, a difference that was significant at    P <0.01.

This finding corroborates and reinforces the claim made by PULMAOSA for the Ministry of Health to extend the coverage of schoolchildren in Brazil.
The CDC also said that the deaths related to pandemic influenza, 205 (or 65%) had a high risk condition underlying medical.

These conditions include chronic obstructive pulmonary disease, neurological disorders, Asthma and heart disease. But in contrast, among the 155 who died in the last two flu seasons, only 67 (or 43%) were carriers of these comorbidities.
No significant differences in race, gender or ethnicity was observed, according to the CDC.

Follow us at TWITTER

SOURCES:

PULMAOSANEWS
CDC-USA

Categorias:H1N1, Principal Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

H1N1:Paraná registra 668 casos em 2010, e 9 óbitos – H1N1: Paraná in 2010 recorded 668 cases and 9 deaths

14 de abril de 2010 Comentários desligados

H1N1:Paraná registra 668 casos em 2010, e 9 óbitos

A Secretaria de Estado de Saúde do Estado do Paraná comunicou em seu último boletim epidemiológico nesta terça(13/4/2010), o registro de 668 casos confirmados laboratorialmente de gripe suína e a ocorrência de 9 óbitos em 2010.

Vinte e dois casos (3,2%) dos 668 foram em gestantes.

Chama a atenção que  88,8% dos óbitos  se concentraram na faixa etária de 0-49 anos. Este dado corrobora a necessidade de se vacinar escolares de 0-19 anos, conforme artigo publicado pela PULMÃO S.A.

BoletimEpidemiologi04-2010

ENGLISH

H1N1: Paraná in 2010 recorded 668 cases and 9 deaths

The Health Department of Paraná State announced in its latest epidemiological bulletin on Tuesday (4/13/2010), the record of 668 laboratory confirmed cases of swine flu and the occurrence of 9 deaths in 2010.
Twenty-two cases (3.2%) of 668 were in pregnant women.
It is striking that 88.8% of the deaths were concentrated in the age group of 0-49 years-old. This finding affirms the need to vaccinate schoolchildren 0-19 years-old, according to an article published by PULMAOSA

SOURCES:

Health Department State of Parana

PULMAOSANEWS-PULMAOSA-LUNG:Your Atmosphere, Your Life!®

%d blogueiros gostam disto: